Existe uma formação ideal para prestar concursos fiscais?

A aprovação em concursos da área fiscal é o desejo de muitos brasileiros. Além de concorridos, os maiores certames não ocorrem desde 2014, o que só aumenta a ansiedade dos concurseiros. Pensando em estar preparado para a oportunidade, é comum que o concursando tenha dúvida se há formação ideal para prestar concursos fiscais e se é válido tentar uma nova graduação.

Dessa forma, muitos concursandos me questionam se existe um curso superior que oferece mais base para concursos fiscais.

Contabilidade e Direito são as alternativas cotadas por aqueles que desejam passar em concurso e ingressar em cargos públicos da área fiscal.

No entanto, reforço que, independente do curso superior que você tenha, alcançar a aprovação é questão de disciplina e dedicação ao seu tempo de estudo.

Neste artigo, vou desmistificar a ideia de que há uma formação ideal para prestar concursos fiscais. Continue a leitura!

Não tenho curso superior e quero prestar concursos fiscais: e agora?

Se você ainda não possui uma graduação e com certeza deseja prestar concursos fiscais e não trabalhar na iniciativa privada, o meu conselho é não se matricular em um curso extenso, mas recorrer a modalidades mais fáceis e rápidas.

Você não precisa cursar cinco anos de Contabilidade ou Direito para estar apto para prestar concursos fiscais.

Entretanto, se você ainda tem dúvidas sobre a área para a qual deseja se preparar, é preciso que você entenda cada uma, o perfil dos profissionais e quais os concursos que podem aparecer ao longo da sua caminhada.

Escolher uma área apenas porque a remuneração é boa, mas a vaga não tem nada a ver com o seu perfil, pode ser um tiro no pé a longo prazo.

No curso Pilares da Aprovação oferecemos um módulo exclusivo para apresentar cada uma das áreas disponíveis, além da Fiscal, você aprenderá mais sobre os concursos de Tribunais, Policiais, Bancários, Controle e Gestão e mais.

O curso também oferece módulos com estratégias para melhor gestão de tempo, organização de ambiente e outros assuntos que podem facilitar seu caminho rumo à nomeação.

Mas, voltando a falar sobre a formação ideal para prestar concursos fiscais, a maioria dos certames da área aceitam diploma em qualquer curso de formação, inclusive em tecnólogo, modalidade com cerca de dois anos de duração.

Portanto, se você não tem curso superior e procura uma formação ideal para prestar concursos fiscais, escolha a modalidade tecnólogo.

Os cursos tecnólogos são mais baratos se comparados a outros cursos superiores e contam muitas especialidades disponíveis para ensino à distância.

O curso escolhido, é claro, deve ser reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Dessa forma, rapidamente você estará formado e estudando para os certames desejados.

Algumas formações oferecem base, mas nunca são limitantes para a aprovação

Outro questionamento recorrente entre concursandos da área fiscal é se formações como Direito e Contabilidade representam uma vantagem diante da concorrência.

É claro que um contador por formação terá um pouco mais de facilidade para lidar com algumas disciplinas da área fiscal, como a própria Contabilidade, do que um graduado em Botânica, por exemplo.

Afinal, este concurseiro já terá tido contato anterior com a disciplina e, por isso, poderá absorver o conteúdo rapidamente.

Diante desse fato, surge um novo questionamento: por que então vou gastar meu tempo com o curso tecnólogo? Não é melhor cursar Direito ou Ciências Contábeis?

Não, meu amigo. É muito mais vantajoso você ter qualquer formação e manter uma rotina disciplinada de estudos do que dispensar cinco anos em uma graduação.

As vantagens de um concursado formado em Contabilidade são pequenas! É uma diferença que rapidamente deixa de existir se você estudar muito, a partir de bons materiais, tempo de estudo e as ferramentas certas. O curso Jornada da Aprovação é gratuito e apresenta tópicos fundamentais, como estes que citei aqui. Além de desmistificar a ideia de que só gênios são aprovados em concursos, também listamos:

  • pontos chave para a passar no concurso;
  • ferramentas que ajudam a otimizar seu tempo e mais.

Você vai ter custo zero e mais algumas pedras tiradas do caminho.

Muitos concursandos que já possuem formação em um curso superior também acreditam ser interessante cursar Contabilidade ou Direito, por exemplo, enquanto estudam para o certame.

Essa escolha é uma verdadeira sabotagem. Se você já tem um curso superior, não dedique seu tempo de estudos com outra graduação. Estude, exclusivamente, para o certame desejado.

Não é necessário fazer outrocurso superior, curso de línguas e muito menos pós-graduação para ser aprovado no concurso desejado!

Explico mais sobre este assunto neste vídeo. Assista!

Não existe formação ideal para prestar concursos fiscais, mas sim a dedicação correta

Contabilidade, Direito e Engenharias saem um pouco na frente em termos de base, mas você é capaz de superar essa vantagem com muito estudo e dedicação.

No entanto, o elevado índice de aprovações de candidatos formados nessas áreas deve-se ao costume de estudar com disciplina e não necessariamente pela formação.

Para você ter uma ideia, quando fui aprovado para o cargo de Auditor-Fiscal da Receita Federal em 2005, o quinto curso que mais aprovou no certame foi Odontologia.

Mas, o que levou um curso tão distinto da área fiscal registrar tantas aprovações? O nível de estudo dos candidatos.

Odontologia, por exemplo, é uma graduação que exige uma intensa jornada de estudos, logo, os formados nessa área têm costume de criar uma rotina de estudos  com disciplina.

Dessa situação, entende-se que a graduação não influencia tanto na aprovação, mas sim seu compromisso e facilidade de se organizar para estudar para concurso.

Portanto, não ingresse em uma nova graduação que você acredita que tenha ligação com a área fiscal.

Concursos para Auditor-Fiscal da Receita Federal, por exemplo, não acontecem desde 2014. Logo, se você perde tempo buscando se formar em uma nova graduação, você corre o risco de perder o edital dos sonhos e ter que esperar por anos para que o certame ocorra novamente!

Não existe formação ideal para prestar concursos fiscais, mas sim concursandos com curso superior que estudam muito e o quanto antes.

Se você quer ganhar alguma vantagem nesse desafio que é se preparar para concursos, uma opção é contar com uma mentoria especializada.

Os programas de mentoria da Liga da Aprovação irão prepará-lo em alto nível para todos os concursos que você está planejando estudar. O objetivo é garantir sua aprovação o mais rápido possível.

A Liga da Aprovação é a mentoria para concurseiros aqui do Método de Estudo e reúne diversos benefícios:

  • Seis meses de mentoria comigo;
  • Atividades ao final de cada módulo;
  • Descontos nos serviços de nossos parceiros e professores,
  • Tira-dúvidas individualizado e muito mais.

Se você deseja fazer parte da Liga da Aprovação Área Fiscal e de Controle é só se inscrever e se dedicar.

Resumindo, se você não tem curso superior, procure a formação mais rápida possível. Se tem, é com o diploma que está em sua mãos é que você se tornará fiscal.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Se você tiver dúvidas ou comentários, escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Além disso, fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais:

Como lidar com a pressão familiar durante os estudos para concursos?

A estabilidade emocional tem grande influência no alcance da aprovação em um certame, sendo tão relevante quanto uma rotina disciplinada de estudos. No entanto, a saúde psicológica, muitas vezes, é afetada pela ansiedade e pela pressão familiar durante os estudos para concursos.

Quando decidimos estudar para concursos, é normal que nós mesmos e muitos familiares acreditem que a aprovação virá em poucos meses – o que é um grande equívoco.

Na maioria das vezes, conquistar o cargo público é um processo demorado, que exige anos de dedicação. 

Por isso, é normal que você ouça conselhos de amigos e familiares para você desistir e procurar um emprego na iniciativa privada.

A pressão familiar durante os estudos para concursos é inevitável, assim como os “conselhos” dos amigos. Mas a nossa reação a elas pode variar, e muito! 

Para entender como lidar com a pressão familiar, continue a leitura!

A sua ansiedade é o maior obstáculo para a aprovação

Contar com o apoio dos familiares e dos amigos na busca pela aprovação é excelente, no entanto, alcançar o sonho é um projeto pessoal. 

Dessa forma, a maior cobrança que pode vir a te prejudicar durante os estudos para concursos é aquela que vem de você mesmo.

É normal que, na jornada de estudos para concursos públicos, ocorram vários eventos que contribuam para agravar a ansiedade, como as primeiras reprovações, o acúmulo de disciplinas a serem estudadas e a dificuldade em acertar os exercícios mesmo após estudar o conteúdo.

Se você está sofrendo de ansiedade e autossabotagem no estudo para concursos públicos, a primeira medida a ser tomada é colocar a cabeça em ordem e refletir.

Antes de se desesperar, busque avaliar os percalços vividos por muitos aprovados – muitos dos ocupantes de cargos públicos hoje também estudaram por muitos anos e viram seu nome na lista de reprovados muitas vezes até alcançarem o sucesso.

Ter paciência é o primeiro passo para alcançar a aprovação. Estudar para concursos é um processo evolutivo; se você está estudando por bons métodos, com disciplina e com materiais confiáveis e atualizados, em breve o êxito virá!

Além disso, ter organização é fundamental. Ao fechar metas de estudo e o tempo necessário para estudar, você terá um período saudável para se preparar.

Combatendo a ansiedade no estudo para concurso público

A ansiedade no estudo para concurso público também é, muitas vezes, fruto do excesso. Respeite os seus limites. Se não entra mais nada na cabeça e você não consegue mais estudar, descanse.

Lembre-se sempre que concurso é uma fase da nossa vida quando escolhemos esse caminho. Faça o possível para que esse caminho não provoque danos irreversíveis para a sua saúde.

Diante da ansiedade no estudo para concurso público, tome algumas medidas que podem auxiliar a sua saúde:

  • Faça atividades físicas;
  • Cultive sua espiritualidade;
  • Tenha uma alimentação saudável;
  • Tenha relações saudáveis com outras pessoas;
  • Converse com alguém sobre o que sente;
  • Se for necessário, procure apoio terapêutico especializado.

Superando a pressão familiar durante os estudos para concursos

Quem nunca prestou um concurso público dificilmente conhece a fundo a dinâmica do processo e, por isso, pode ter uma visão irreal do que estamos fazendo e dos resultados que estamos obtendo.

A pressão familiar durante os estudos para concursos pode ocorrer por diferentes motivos:

  • Crença de que concursos são ilegítimos e fraudados;
  • Ausência do concursando em momentos de lazer e convivência;
  • Ansiedade para obter estabilidade financeira.

O desconhecimento familiar gera questionamentos como: “Você estuda e ainda não foi aprovado; será que não é melhor desistir e procurar um emprego?”.

O primeiro passo para resolver este impasse é o diálogo – peça apoio e explique que estudar para concursos é um processo natural, que é normal levar tempo para ser aprovado.

Peça o apoio dos seus familiares e reforce que o incentivo deles é fundamental para a sua aprovação.

Diante das críticas, siga estudando, sem pestanejar! É importante manter a disciplina para os bons resultados dos seus estudos, pois os resultados dependem de sua total concentração.

Além disso, reserve nos seus momentos de lazer tempos exclusivos de dedicação à família – isso ajuda a reduzir a ansiedade das pessoas próximas.

Quando a pressão vem do esposo ou esposa

Quando a pressão familiar durante os estudos para concursos vem do cônjuge, a situação pode ser ainda mais delicada.

Nesse caso, a melhor alternativa é pedir apoio e reforçar a reciprocidade sentimental que um casamento envolve.

Além disso, ressalte que a aprovação em um certame pode lhe conceder maior autonomia financeira e melhoria no orçamento familiar.

Se os pais exercem pressão familiar durante os estudos para concursos

Os pais têm medo de assistirem à decepção dos filhos e, muitas vezes, acreditam fielmente que concursos públicos são fraudados.

Com os pais, além de apresentar depoimentos de aprovados, diga que você terá a construção da independência financeira definitiva.

Se os filhos não entendem o seus esforços

Os filhos tendem a não compreender por que, de uma hora para outra, o pai ou a mãe parece tão ocupado(a).

Além de reservar um período de dedicação a eles, é importante apontar as consequências para a família após a aprovação.

Ressalte a possibilidade de construção de uma nova condição financeira para todos.

Diga que, com a aprovação, será possível viajar mais, ter mais tempo juntos e comprar mais brinquedos. Para os adolescentes, diga que haverá como investir em computadores, celulares, shows e outros objetos de desejo!

Quando você precisa de dinheiro para manter a família

Pode ocorrer de você estar estudando e ter a própria pressão de manter a família bem financeiramente.

Reduza os gastos e. se for o caso, preste um concurso intermediário, de “escada”, antes do mais difícil, para ter uma renda melhor e tranquilidade o suficiente para ir atrás do seu sonho.

Lidando com a descrença apresentada pelos amigos

Os comentários mais comuns entre os amigos são: “Você não percebe que concurso possui cartas marcadas? Você passa o dia todo estudando e não tem mais tempo para se divertir com os amigos! Você vai ver sua vida passar olhando para livros?”

Muitos amigos não fazem esses comentários por desejar o seu fracasso – mas porque, de fato, desconhecem o universo dos concursos públicos.

Por isso, você deve evitar ser influenciado por esse tipo de postura imediatista. Foque nos seus objetivos e converse com o seu colega.

Busque explicar que, atualmente, a maioria dos certames possuem critérios rigorosos de segurança.

É claro que fraudes em concursos públicos não estão extintas mas, quando ocorrem, são tratadas como crime, denunciada, apurada e punida como tal.

Confira o vídeo que aborda o tema sobre fraudes em concursos:

Além disso, busque apresentar dados e depoimentos de pessoas que alcançaram a aprovação após anos de dedicação.

Quanto ao tempo para o lazer em companhia dos amigos, é importante alertar que mudanças vão acontecer durante o período de preparação.

Organizar a rotina de horários, e informar quais são os horários de estudo e quais são os horários livres, ajuda a reduzir a ansiedade das pessoas próximas, porque saberão quais serão os momentos de convivência.

Faça por merecer o apoio familiar

Lembre-se de que para conquistar apoio dos amigos e evitar a pressão familiar durante os estudos para concursos, você deve fazer por onde!

Se você apenas frequenta o cursinho e não estuda em casa, por exemplo, é natural que a sua família e os amigos cobrem mais disciplina.

Estude bastante, empenhe-se, pare de se cobrar! Bons materiais e organização são indispensáveis para ser aprovado e ter um final feliz com os concursos.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais:

Como driblar a dor nas costas durante a jornada de estudos?

Você já parou para pensar na postura que está agora diante do computador? É comum um concurseiro passar de seis a oito horas estudando, todos os dias. Com uma rotina árdua, é comum concursandos queixarem-se de dor nas costas durante a jornada de estudos. Além de problemas para a saúde, a dor pode prejudicar também o seu rendimento. Hoje vou dar algumas dicas e contar como eu lido com esse problema.

 

É preciso estudar bastante para garantir a aprovação no concurso público dos sonhos. Passando muito tempo na mesma posição, relaxando a postura e as pernas e até debruçando-se na mesa. Tudo isso causa traumas na coluna!

Sete em cada dez brasileiros sofrem com dor na coluna. A dor nas costas é, sem dúvida, a grande razão das principais queixas relacionadas à dor de muitas pessoas em todo mundo. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% das pessoas no mundo sofrem, ou sofrerão ao longo da vida, com algum tipo de dor nas costas.

Há mais de 20 anos eu lido e faço tratamento para dor crônica nas costas. Ao relatar este problema no meu livro, muitos concursandos se identificaram com a situação e me questionaram como driblei este problema.

Pensando em ajudar os concurseiros que sofrem desse mal, resolvi dar algumas dicas preventivas. Confira!

A minha relação e convivência com a dor nas costas

Se você ainda não tem dor nas costas, infelizmente, estudando para concursos, você provavelmente terá.

Em geral, estudar para concursos envolve até cerca de 4 anos de luta diária, sentado, estudando ou assistindo a vídeo aulas, o que, naturalmente, força a coluna e detona o pescoço.

Assim, na luta contra a dor nas costas, já frequentei diversos médicos e especialistas – só em 2018, já visitei três ortopedistas, pois, ultimamente, estou com sérios problemas na nuca.

Nos últimos anos, já fiz mini cirurgias por radiofrequência e, mesmo que tenham fornecido o alívio momentâneo, não resolveram o problema.

Na atual situação, o primeiro especialista recomendou uma cirurgia para retirar um disco na medula e inserir prótese e pinos – no entanto, tive receio de realizar um procedimento tão delicado e busquei a opinião de um segundo especialista.

O segundo médico, por sua vez, preferiu o tratamento com laser e medicamentos. O terceiro, não indicou nada disso. Logo, se você sofre com dores, ouça várias opiniões médicas antes de encarar a sala de cirurgia!

4 dicas para evitar a dor nas costas durante a jornada de estudos

Para que você não precise passar por todo este transtorno, separei 4 dicas para manter a saúde da sua coluna. Confira!

1. Compre um suporte para livros

Depois de alguns meses estudando por muitas horas seguidas, com a cabeça abaixada, lendo os materiais, a tendência é que você comece a sentir dores na nuca, que podem ser refletidas nas costas.

O suporte para livros faz com que a sua visão fique mais alta, o que contribui para que o cansaço visual não apareça e te incomode.

É muito fácil de encontrar para comprar – basta procurar em sites como o Mercado Livre, por exemplo. A Lector Brasil também apresenta modelos muito eficientes!

Com o suporte, é claro, é difícil de escrever. Utilize o suporte para ler e fazer marcações e, se precisar anotar, retire o livro por alguns momentos e escreva.

2. Faça alongamentos continuamente

Alongar-se antes e após os estudos é um hábito que muitos concurseiros vão deixando de lado ao longo da jornada.

Com os músculos que compõem a parte de trás do corpo bem alongados, há a redução da incidência de dores nas costas.

Isso por que uma musculatura alongada diminui a pressão entre as articulações e, consequentemente, as dores.

No próprio Youtube, é possível encontrar vários tutoriais básicos de alongamento para o pescoço.

Além de cuidar da postura, busque praticar atividades físicas frequentemente para exercitar a musculatura das costas!

3. Escolha uma cadeira confortável

Uma cadeira confortável e ortopédica  é indispensável para ter uma jornada de estudos tranquila e driblar a dor nas costas.

Eu, particularmente, recomendo que você utilize uma cadeira com braço, de preferência de rodinhas e com encosto de cabeça.

Muitos concursandos me perguntam qual cadeira utilizo – a marca é Monti, ela possui um bom custo-benefício e já me atende há dois anos, sem nenhum rasgo ou desgaste no estofado.

Ao utilizar a cadeira, tenha atenção na sua postura: as costas devem estar sempre apoiadas no encosto, da parte superior até a curvatura; as pernas dobradas, formando um ângulo próximo a 90º e os pés apoiados no chão ou sobre um  apoiador para pés.

4. Posicione corretamente o monitor do computador

O posicionamento errado do computador também pode ser um fator de risco para dor nas costas!

O monitor precisa estar posicionado na altura dos olhos – o início da tela precisa estar alinhado com o topo do seu olhar.

Caso você utilize notebook, instale um teclado externo, conectado ao aparelho pela entrada USB ou pelo bluetooth. Também é importante subir o monitor com um suporte de plástico ou madeira para que fique na altura do seu olhar.

Estudar com conforto e segurança é fundamental para driblar a dor nas costas e ter saúde o suficiente para cumprir com a missão da aprovação.

Se você tem dicas de boas cadeiras, onde comprar suportes ou até mesmo outras técnicas para evitar a dor nas costas, compartilhe nos comentários.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais: