Conteúdo para concurso público: por quais métodos devo estudar?

Com o avanço da tecnologia e a supremacia dos tablets e dos smartphones, são muitas as formas de conteúdo para concurso público a serem estudadas.

Além dos tradicionais livros para concurso e cursinhos presenciais, o concursando tem a seu dispor materiais em PDF, videoaulas, mentoria para concursos, sites de questões de concursos públicos e mais.

Assim sendo, diante de tamanha disponibilidade de conteúdo para concurso público, como escolher os métodos de estudo mais eficientes? Quais são as vantagens de cada um?

Neste artigo, vou apresentar as diferenças, benefícios e desvantagens entre as diferentes alternativas de estudo para concursos públicos. Continue a leitura!

Materiais de estudo: quais são as diferenças entre livros, PDFs e apostilas?

Quando falamos de materiais de estudo para concursos públicos, temos, inicialmente, três alternativas mais comuns: livros, PDFs e apostilas.

Esses três métodos são fundamentais para ter em mãos um conteúdo para concurso público conciso e completo.

Primeiramente, comecemos a discutir o uso do primeiro deles, os livros. Uma pergunta recorrente aqui no blog e no canal é se livros acadêmicos, que você tem contato na faculdade, são úteis para estudar concursos públicos.

Livros acadêmicos só servem para concursos muito específicos

Os livros acadêmicos só configuram-se como um bom conteúdo para concurso público para certames mais específicos.

Este é o caso dos concursos mais específicos da área jurídica – para cargos de juiz, promotor e procurador.

Alguns livros acadêmicos e jurídicos são constantemente utilizados por concurseiros que estão em busca de cargos como estes.

É claro que há muitos livros jurídicos voltados para concursos, mas há quem prefira utilizar a explicação de um autor específico, tradicionalmente usado nos livros acadêmicos.

Outra situação em que é possível usar livros acadêmicos para estudar para concursos públicos é para quem está prestando um certame específico para a sua área de formação.

Por exemplo, você é Engenheiro Eletricista e irá estudar para um concurso para esse cargo para algum órgão.

Nesse caso, dificilmente haverá livros que apresentem conteúdo para concurso público voltado especificamente para a área de Engenharia. O mais recorrente é para Português, Contabilidade, Matemática e mais.

Dessa forma, o conteúdo para concurso público específico da sua formação só será encontrado nos livros acadêmicos.

Para a maioria dos concursos, use livros voltados para concursos públicos

Se você estuda para cargos famosos, como do MPU e ISS, além de outros certames da área policialda área fiscal, da área de controle, entre outros, você deve procurar livros voltados para concursos públicos, obrigatoriamente!

Assim sendo, procure editoras especializadas em conteúdo para concurso público, como a Método, do grupo GEN; JuspodivmImpetus; Ferreira e Saraiva.

Todas essas editoras lançam livros muito bons e voltados para o estudo para concursos públicos.

Quais são as vantagens e desvantagens de estudar por meio de livros?

Estudar por meio de livros também apresenta alguns desafios. Isso porque, dificilmente o conteúdo para concurso público exigido no edital será compatível com o índice do livro.

Por exemplo, você compra um livro de Direito Constitucional. Só que o concurso, muitas vezes, pode pedir o conteúdo de forma mais sucinta do que o livro.

Nestes casos, você tem que fazer uma espécie de “cara-crachá”: conciliar o conteúdo programático do seu edital com o conteúdo do livro.

O livro, também, pode não apresentar todo o conteúdo para concurso público exigido pelo edital. Dessa forma, é necessário consultar novas fontes.

Já entre as vantagens dos livros, está a maior referência dos autores e um rigor maior de escrita e diagramação.

PDF ou livro: qual é a melhor forma de estudar o conteúdo para concurso público?

Os livros, por sua vez, agora têm um concorrente muito eficiente quando o assunto é estudar conteúdo para concurso público: o PDF.

O PDF nada mais é que o último estágio de um livro antes de ser enviado para a gráfica. Ou seja, é a diagramação final sem imprimir.

Dessa forma, não é necessário arcar com os custos de impressão. Você pode estudar o conteúdo pela tela do computador ou por um tablet, por exemplo.

No entanto, se você não se adaptar com a leitura por meio de uma tela, terá gastos extras, pois será necessário arcar com os custos do PDF somado aos valores da impressão.

Os materiais em PDF são vantajosos também porque, em geral, combinam conteúdo de vários livros de maneira sintética, concentrando-se nos assuntos mais cobrados nos concursos.

Outra vantagem é que este é um material feito em cores, o que torna mais dinâmica a leitura. Em geral, livros repleto de cores encarecem para as gráficas, que cobram maiores valores no mercado.

Além disso, por não ter preocupação com o custo de impressão, o espaçamento entre as linhas e as margens dos materiais em PDF são maiores, tornando a leitura menos confusa e mais agradável aos olhos.

Há vários sites que sempre disponibilizam um compilado de conteúdos valiosos para os certames em PDF, como o Estratégia Concursos, Ponto dos Concursos e Exponencial Concursos.

Dá para passar em concursos públicos estudando só por meio de PDF?

Outra questão muito recorrente entre os concursandos é se é possível conquistar a aprovação estudando apenas por um pacote de conteúdo para concurso público em PDF.

Acredito que, muitas vezes, sim. Você pode, às vezes, acabar não se identificando com o autor do conteúdo para concurso público em PDF e buscar outro ou, até mesmo, procurar um complemento nos livros.

No entanto, se adaptar com o material em PDF, gostar de um determinado autor, professor e didática é questão de gosto e perfil de estudos.

Apostila ainda traz bons conteúdos para concursos?

Primeiramente, é necessário diferenciar o material que os professores oferecem nas aulas daquelas apostilas maiores, muitas vezes vendidas em bancas de jornal e livrarias.

A primeira é um material de apoio para as aulas. Em geral, você se inscreve em um curso e recebe um material complementar para acompanhar as aulas.

Logo, este conteúdo para concurso público não é o suficiente para te preparar para provas mais pesadas.

Se o seu concurso é de nível mediano de dificuldade, que não exige tanta concorrência, em geral apostilas e materiais de aula conseguem oferecer um bom suporte.

As apostilas encontradas nas bancas, por sua vez, têm o mesmo peso que as apostilas de apoio.

Não são suficientes em casos de concursos de elevado nível de exigência, mas conseguem oferecer base para certames mais básicos.

Devo fazer cursos onlines e/ou presenciais para estudar para concursos?

Hoje, basicamente, há duas modalidades de cursos preparatórios disponíveis: online e presencial.

Ao meu ver, o curso online traz como principal vantagem a velocidade de absorção do conteúdo para concurso público se comparado ao curso presencial.

Isso porque a hora é líquida, ou seja, não há intervalos e você é capaz de ditar o seu ritmo.

Enquanto isso, os cursos presenciais sofrem com eventuais atrasos de professores, pausas para sanar dúvidas de colegas, intervalos e mais.

Além disso, ao fazer cursos online, você pode se acostumar a absorver o vídeo de forma mais rápida.

Como assim, Alex? O Youtube e outras plataformas de vídeo permitem que você acelere a velocidade e isso agiliza a aula, sem que você perca detalhes.

Dessa forma, ao absorver conteúdo para concurso público por meio dos cursos online, você ganha em velocidade. Seja pela ausência de interrupções nas aulas ou pela possibilidade de as assistir mais rápido.

Além disso, além de ser mais barato, o curso online evita que você gaste tempo com deslocamento, por exemplo.

Entretanto, cursos online também têm suas desvantagens. Isso porque, ao assistir aulas só pelo computador, você acaba se isolando de um ciclo social de concurseiros.

Dessa forma, ao fazer um curso presencial, você tem contato com outras pessoas que estudam assim como você. Isso é benéfico para trocar dicas, experiências, recomendações de materiais, tirar dúvidas e mais.

Além disso, em caso de dúvidas, no curso presencial elas são respondidas prontamente. Quando trata-se de um curso online, sua questão pode demorar dias para ser respondida ou até mesmo nem ser respondida.

Diante de tantas opções de conteúdo para concurso público, o que escolher?

Agora que já te apresentei as mais diferentes alternativas de estudar para concursos públicos, o que escolher?

O meu conselho é fazer uma combinação de três a cinco desses métodos de estudo. Não há uma receita de bolo de como obter o melhor conteúdo para concurso público.

A efetividade de um canal ou material irá depender da sua base, da sua aptidão com tecnologia, da verba disponível para investir e mais.

O meu objetivo é esclarecer as vantagens e desvantagens de cada metodologia, para que você faça escolhas compatíveis com a sua realidade.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Além disso, fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais:

Rotina de estudos: saiba como se dedicar e ser mais produtivo

Muitos concurseiros não conseguem criar uma rotina de estudos: eles preferem estudar quando conseguem, abrindo o primeiro livro que veem pela frente e ficando horas em cima da mesma matéria. Isso quase sempre é ineficaz e pouco produtivo, sendo necessárias muitas horas de estudo para não aprender tanto.

Saber criar uma rotina de estudos bem organizada é essencial para estudar mais, aproveitar seu tempo e não se render à exaustão. Além disso, um bom ciclo de estudos deve contar com uma boa produtividade, em que você precisa do mesmo tempo para aprender a matéria e, assim, estudar mais e melhor.

Por isso, no texto de hoje, vamos dar diversas dicas para melhorar sua rotina de estudos. Venha conferir!

Rotina de estudos por toda a semana

É importante manter uma rotina de estudos organizada para que tenha controle, inclusive, nos finais de semana.

 

O primeiro passo para organizar seu ciclo de estudos é definir quanto tempo você tem para estudar. Isso pode variar muito de pessoa para pessoa – alguns ainda estão na faculdade, outros trabalham, outros têm filhos para cuidar etc. Por isso, essa parte do seu planejamento é muito particular.

Vamos dar algumas dicas para que você se organize melhor com o tempo que tem:

Dias de semana

Organizar sua rotina de estudos nos dias de semana é, basicamente, aprender a equilibrar suas outras tarefas com seus estudos. Se você ainda estiver na escola ou na faculdade, significa ter que estudar ainda mais horas do que o normal. Se você trabalha, significa ter pouco tempo e estudar quando se está cansado.

O segredo é tentar espalhar os estudos durante toda a semana, evitando que você precise estudar por períodos muito longos de uma só vez. Estudando por umas três horas por dia, de segunda a sexta, com intervalos, você já cobre muitas disciplinas.

Para quem estuda

Quem está na faculdade, no cursinho ou em qualquer instituição de ensino pode usar isso ao seu favor na hora de estudar para concurso. Tire dúvidas com seus professores, organize-se para estudar na biblioteca da faculdade, pegue livros emprestados do acervo.

O tempo do deslocamento, se você usa o transporte público, também pode ser aproveitado, assim como a hora do almoço. Mas não exagere: o descanso também influencia na sua produtividade.

Para quem trabalha

Quem trabalha, ou trabalha e estuda, tem menos tempo de se dedicar para concursos públicos. Mas não pense que isso é impossível: aproveitando pequenos intervalos, tempo de deslocamento e horários de estudo vagos durante a semana, é possível estudar bastante e não acumular matérias demais para o fim de semana.

Fim de semana

Mesmo que esses sejam os únicos dias em que você pode dormir até mais tarde, os finais de semana também são os únicos dias em que, provavelmente, você tem mais tempo para estudar. Procure se organizar para utilizar essas horas a mais sendo produtivo, mas não se esqueça: crie uma rotina de estudos que também respeite seu descanso.

Muitos gostam de usar os finais de semana para fazer uma revisão geral de toda a matéria, mas isso nem sempre funciona. Se sua semana for muito ocupada, utilize o sábado e o domingo para colocar matérias mais pesadas em dia, revisar as matérias mais simples e fazer muitos exercícios de fixação.

5 dicas para organizar sua rotina de estudos

A organização pode mudar tudo em sua rotina de estudos. Afinal, ninguém consegue adquirir um novo hábito sem dedicar algum tempo para organizá-lo e garantir que sua atual rotina está pronta para ser ajustada.

Confira abaixo algumas maneiras simples de organizar sua vida e estudar mais no dia a dia.

  1. Faça dos estudos uma prioridade. Se você não colocá-los em primeiro lugar, qualquer motivo se transformará em uma desculpa para não estudar.
  2. Use uma agenda, planner, calendário ou bullet journal para se organizar. Todas essas são ferramentas que funcionam para se planejar visualmente, dividindo seus horários de estudo e o tempo de outras obrigações. Experimente e descubra qual funciona melhor para você!
  3. Pequenas atitudes, como usar canetas coloridas, adesivos, post-its e marcadores em suas anotações pode motivá-lo a estudar e deixar a memorização mais fácil. Esses materiais não são indispensáveis, mas se puder, tenha-os por perto.
  4. Baixe aplicativos que bloqueiam sites e aplicativos de redes sociais. Assim, você fica menos tentado pelas distrações quando tiver que estudar.
  5. Procure por diversos materiais que o incentive a estudar mais em cada um dos seus intervalos. Alguns aplicativos de flashcards são muito úteis quando você precisa memorizar palavras, datas ou fórmulas, e podem ser utilizados na fila do banco, no transporte público, na sala de espera do dentista ou em qualquer outro tempo vago que você tiver. Videoaulas também são boas maneiras de reforçar o que você aprendeu quando se tem pouco tempo.

7 dicas para ser mais produtivo

Rotina de estudos para seguir

Ter uma boa alimentação, organização e ter períodos de descanso ajudam muito na hora dos estudos.

Nossa produtividade é afetada por diversos elementos. Alguns deles são fatores que nem sempre conseguimos controlar, como nosso humor. Mas outros são mais fáceis de lidar, quando nos planejamos bem.

Veja abaixo algumas dicas para melhorar sua produtividade e estudar mais em menos tempo:

  1. Tenha objetivos claros para cada uma de suas tarefas. Como objetivo de longo prazo, você tem o concurso público. Mas tudo o que você faz deve ter um objetivo – por exemplo, fazer 10 exercícios de Português para entender a regra da crase.
  2. Planeje-se com antecedência. Abrir os livros sem saber o que estudar pode atrapalhar toda sua rotina de estudos. Quando você sabe exatamente o que deve fazer, tudo flui com mais facilidade e você se sente mais preparado para aprender.
  3. Organize seu ambiente. Uma mesa de estudos sem tralhas atiradas por todos os cantos – canetas que não funcionam, embalagem de doces, xícaras vazias – tem menos distrações e faz com que você possa se focar melhor no que importa: a matéria.
  4. Descanse. Fazer pausas, no máximo, a cada uma hora e meia de estudo, ajuda sua cabeça a descansar. Quando você volta da pausa, consegue se concentrar melhor e estudar mais. Dormir bem também entra nesse quesito, já que o sono influencia em nosso humor, concentração e memória.
  5. Alimente-se bem. Não viva apenas de café para se manter acordado. Controle o consumo de cafeína e tente comer lanches mais saudáveis ao longo do dia, como frutas, castanhas e nozes. Quando estamos doentes, nossa produtividade cai consideravelmente. E os lanches podem ser ótimas desculpas para fazer uma pausa e recarregar suas energias.
  6. Pratique exercícios físicos. A atividade física melhora a circulação, aumenta nossa disposição e diminui o estresse, além de fazer bem para a saúde. Tudo isso influencia em nossa produtividade.
  7. Experimente a meditação. Quem medita costuma ter uma facilidade maior em se concentrar e mantém o foco por mais tempo. Comece aos poucos, com 5 minutos por dia, e vá aumentando com o tempo. Existem muitos aplicativos que podem ajudá-lo nessa tarefa!

Aplicando essas dicas de organização e produtividade, sua rotina de estudos será mais eficaz, mesmo que você não tenha tanto tempo para se dedicar.

O mais importante, no entanto, é sempre manter os estudos como uma prioridade, cuidar de sua saúde e se lembrar de que sempre vão existir obstáculos, mas sua força de vontade pode tirar todos eles do caminho.

Rotina de estudos para concurso

Quer mais dicas para melhorar sua rotina de estudos e se preparar para o próximo concurso? Venha conhecer a Método de Estudo!

Qual a idade máxima para entrar na polícia federal?

Entrar na polícia federal é um sonho para muitas pessoas. Porém, muitos acabam desistindo desse sonho por se acharem velhos demais para realizá-lo. Mas qual a idade máxima para entrar na polícia federal?

No texto de hoje, vamos falar dos requisitos básicos para ser um policial federal, do perfil ideal para quem quer seguir essa carreira e de como é possível, para alguém com mais experiência, se organizar e estudar para passar no concurso. Confira!

Quais são os requisitos para ser um policial federal?

Se você deseja saber como ser policial federal, é importante entender alguns requisitos que todos os concurseiros devem seguir se querem ter uma chance nessa carreira

Além de se preparar para a prova escrita e para o teste físico para policial federal, outros elementos são importantes para você realmente tomar posse de seu cargo.

Todos os requisitos estão explicados nos editais de concurso e não podem ser ignorados. Esses requisitos são:

Cumprir as regras do edital

Na teoria, qualquer um que tenha o que é necessário para fazer um concurso público – RG, CPF, comprovante de residência e de pagamento da taxa de inscrição – pode fazer o concurso da polícia federal.

No entanto, mesmo passando no concurso, você não pode tomar posse no cargo se não cumprir as regras do edital.

Pode parecer um requisito óbvio demais para mencionar, mas são muitos os candidatos que passam em concursos e não assumem o cargo porque não tem a experiência ou escolaridade necessária, e ficam sem entender ou acham a medida injusta.

Está tudo no edital. Você só precisa ler e cumprir. Não tente encontrar brechas que o favoreçam.

Isso não quer dizer que você deve esperar o edital ser publicado para estudar. Analise editais passados enquanto o atual não é divulgado. Você tem acesso a algumas dicas no artigo:Como estudar sem edital publicado em 3 passos simples”. 

Atenção: Quando o edital oficial sair, dedique um tempo para ler cada detalhe presente.

Entender como funcionam os concursos é um dos pilares para alcançar a aprovação. Para conhecer outros passos que são importantes para facilitar sua caminhada rumo a tão sonhada vaga na Polícia Federal, aconselho você a se inscrever no “Curso Pilares da Aprovação”.

Com o curso, além de entender como funcionam os concursos, você vai receber dicas de como organizar seu tempo para estudar, como administrar recursos financeiros e se motivar para estudar, e muito mais.

Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa

Quem quer ser policial federal deve ter nacionalidade brasileira ou portuguesa. Nesse segundo caso, é necessário estar amparado pelo estatuto de igualdade (reciprocidade ou equiparação) entre portugueses e brasileiros para poder tomar posse do cargo.

Ter um diploma de ensino superior

Para o concurso da polícia federal é necessário ter um diploma de conclusão de nível superior devidamente registrado e fornecido por uma instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), inclusive os cursos de tecnólogo.

Não importa qual é a área em que você se graduou – o mais importante é ter o diploma!

Ter uma carteira de habilitação

Policiais federais precisam ter uma carteira nacional de habilitação na categoria B – ou seja, terem permissão para dirigir carros e outros veículos de quatro rodas com peso de até 3 toneladas e meia.

Cumprir os requisitos de idade

Os candidatos do concurso da polícia federal devem ter pelo menos 18 anos na data da matrícula do curso de formação profissional.

Qual a idade máxima para entrar na polícia federal?

Teoricamente, não existe uma idade máxima. O que deve ser respeitado, nesse caso, é a Lei Complementar n◦ 51/85, que determina que o policial será aposentado compulsoriamente aos 65 anos. Ou seja, antes dessa idade, você pode fazer o concurso para a polícia federal sem problemas. Talvez esta idade seja um pouco alterada na Reforma da Previdência.

Além desses requisitos, o candidato também deve demonstrar aptidão física e mental, estar em dia com as obrigações eleitorais e não ser eliminado na investigação social – afinal, você vai trabalhar para a polícia.

Qual é o perfil ideal de um policial federal?

 afinal qual a idade máxima para entrar na polícia federal

Qual a idade máxima para entrar na polícia federal e qual o perfil ideal do profissional são umas das perguntas mais frequentes feitas por quem quer exercer esse trabalho.

Qual a idade máxima para entrar na polícia federal e qual o perfil ideal do profissional são umas das perguntas mais frequentes feitas por quem quer exercer esse trabalho.

Uma das maiores preocupações de quem pergunta qual a idade máxima para entrar na polícia federal é que esse seja um trabalho só para jovens profissionais, que têm todo o vigor físico que ações mais complicadas exigem. Mas não é apenas de um bom físico que o policial federal precisa.

Vamos deixar claro que não estamos falando de habilidades. Como dissemos nos requisitos, você pode ser formado em qualquer curso de nível superior para ser policial federal, e isso não vai influenciar muito na sua aprovação no concurso. O que estamos buscando aqui é um perfil do policial federal.

A primeira característica necessária para ser um bom policial federal é ser alguém versátil. Essa não é uma carreira em que sempre se trabalha das 8 às 18h, assim, para quem gosta de uma rotina bem estabelecida, pode ser difícil.

Em segundo lugar, é preciso ter um bom pensamento lógico e não se deixar levar pelo emocional enquanto estiver no exercício de suas funções. Afinal, muitas vezes será necessário encarar situações difíceis de uma maneira mais fria e distante.

Características como sagacidade, paciência e curiosidade também podem ajudar nas tarefas do dia a dia. Além disso, ter espírito de equipe e estar pronto para trabalhar com outros policiais vai facilitar sua rotina profissional.

Como é possível perceber, nenhuma dessas características está intrinsecamente ligada à idade do candidato. Por isso, se você tem mais de 18 anos, não precisa se preocupar com essa questão.

A experiência pode ajudar?

Nos requisitos, não existe qualquer tipo de experiência necessária para se tornar um policial federal. Porém, apesar de isso não ser necessário na aprovação do concurso, não quer dizer que ter certa experiência não seja benéfico para quem quer ser um membro da polícia.

Você, que se pergunta qual a idade máxima para entrar na polícia federal, talvez já tenha uma boa experiência profissional na sua área de atuação. Talvez toda sua experiência esteja mais no âmbito pessoal do que em sua carreira.

Não importa: ser mais experiente pode sim trazer benefícios no dia a dia profissional.

Isso porque pessoas mais experientes agem menos por impulso, pensando melhor antes de tomar decisões – algo que pode fazer toda a diferença quando se trata do trabalho policial.

Além disso, quem tem mais experiência também costuma ser mais empático e pensar em um quadro geral, em vez de pensar apenas em sua equipe ou em suas tarefas.

Um ambiente de trabalho diversificado, com pessoas de várias faixas etárias, só tem a ganhar. Por isso, sua idade pode ser uma vantagem no cargo de policial federal.

Como se preparar para o concurso?

Pessoas mais velhas também temem se inscrever no concurso da polícia federal por não saberem se conseguirão estudar o suficiente. Por isso, separamos algumas dicas que podem ajudar você a criar um plano de estudo para concurso público, ampliar seu tempo de dedicação  e a caminhar rumo à aprovação:

  • Separe todos os momentos livres que você tem na semana, desde a hora do almoço na empresa até os momentos no transporte público, e defina quando você pode estudar;
  • Encontre materiais que combinem com seu estilo de aprendizagem: vídeos, livros, podcasts, listas de exercícios, tudo pode ajudar;
  • Fique atento ao edital, já que suas regras podem mudar toda vez que houver um novo concurso;
  • Deixe as distrações de lado durante os estudos. Se você não parar o tempo todo para ver o celular ou conferir seus e-mails, vai conseguir se concentrar melhor e, assim, será mais produtivo;
  • Peça a colaboração de todos os membros da sua família, especialmente se você mora com um cônjuge ou se tem filhos;
  • Não se esqueça de se divertir, encontrar os amigos, passar um tempo com a família e cuidar da sua saúde. Isso vai ajudá-lo a se manter saudável, motivado e sem estresse até o dia da prova.

Leia também: Como lidar com as pessoas que sabotam os nossos estudos?

Estudar para um concurso público nunca é fácil, mas é ainda mais complicado para quem precisa dividir seu tempo com diversas responsabilidades. Organize-se, faça um bom plano de estudos e se mantenha motivado para ir bem na prova.

Agora que você já sabe qual a idade máxima para entrar na polícia federal, faça a prova! Mesmo que você já seja uma pessoa mais experiente, com mais idade, ainda vale muito a pena. Pessoas de todas as idades podem ser profissionais competentes que vão fazer muito pela segurança do país.

Uma das formas de se manter comprometido com os estudo com acesso aos melhores métodos de aprendizado, bem como materiais de alto nível é integrando a Liga de Aprovação Policial de Elite.

Feita para concurseiro iniciantes ou avançados que querem cortar caminho rumo a aprovação em uma carreira policial. Um trabalho de mentoria que irá ampliar seus resultados em menor tempo.

Se você tem dúvidas sobre a Liga de Aprovação Policial, te damos 21 dias para desistir. Nesse período, se você quiser desistir, devolvemos seu dinheiro rapidamente e sem burocracia.

qual a idade máxima para entrar na polícia federal

Quer mais dicas para o concurso da polícia federal? Entre no site da Método de Estudo, fique por dentro da Liga da Aprovação e de todas as nossas dicas!

6 dicas para estudar por meio de questões de concursos públicos

Estudar por meio de questões de concursos públicos é um método muito eficiente, uma vez que, durante a resolução de exercícios você exercita mais o cérebro, amplificando a sua capacidade de memorização.

Isso porque, ao resolver questões de concursos públicos, você ativa ainda mais o hemisfério esquerdo do cérebro, que é caracterizado por ter áreas responsáveis pelo raciocínio lógico, fala, matemática, linhas e mais – esse lado também é conhecido como o “cérebro acadêmico”.

Além do mais, quando você resolve determinada questão, você percebe quais conteúdos são recorrentes e têm muita chance de serem cobrados novamente – logo, você acaba prestando mais atenção e retendo melhor a informação.

Entretanto, para que o estudo por meio de questões de concursos públicos seja eficiente, é necessário ter em mente alguns hábitos e posturas, para driblar erros e potencializar o percentual de acertos.

Pensando nisso, separei 6 dicas para estudar por meio de questões de concursos públicos. Confira!

1. Não dá para estudar só por meio de questões de concursos públicos

Eu acredito que desenvolver questões de concursos públicos é a principal estratégia para um estudo eficiente. No entanto, esse método de estudo tem a hora certa para ser adotado.

Assim sendo, nada de desenvolver questões de concursos públicos sem ter estudado, com muita atenção, a teoria do assunto.

Para você conseguir resolver as questões, é fundamental saber a teoria. Além disso, a teoria geralmente engloba mais conteúdo do que os exercícios. Logo, ao estudar só por meio deles você corre o risco de perder muitos detalhes que podem ser cobrados no seu certame.

Portanto, busque desenvolver questões de concursos públicos após ter algum conhecimento da teoria.

2. Assine um site de questões

Assinar um site de questões de concursos públicos é fundamental para amplificar o seu conhecimento e destreza para as provas.

Hoje, para um concurseiro profissional, acredito que é imprescindível pagar um site de questões – mas não necessariamente no início dos seus estudos.

Isso porque, quando você está começando a estudar, os materiais de estudo já trazem muitas questões relacionadas à teoria. Logo, a princípio, o ideal é solidificar a teoria e desenvolver as questões do material.

Posteriormente, no nível mais avançado de estudos, quando você tiver consolidado uma boa base teórica, é fundamental buscar por um site de questões.

Quais os melhores sites de questões para concursos?

Se hoje você me perguntasse qual deles eu usaria, seria o Mapa da Prova, pois são milhares de questões de diversas disciplinas, divididas por banca, ano e nível de dificuldade, além de várias outras vantagens.

Se me pedir uma lista dos 3 melhores, indico para você os seguintes portais:

Em geral, a maioria dos sites dedicados às questões de concursos públicos oferecem uma semana de testes gratuitamente.

Dessa forma, aproveite esse período para verificar a efetividade do site. Sugiro que você apenas assine um site que apresente as seguintes funcionalidades:

  • Comentários nas questões – são fundamentais para desvendar pegadinhas, explicar detalhes e sanar o que há de certo e errado em cada alternativa, elucidando, assim, suas dúvidas;
  • marcar suas questões favoritas – para que você possa identificar, principalmente, as que você errou e venha a trabalhar nelas novamente;
  • amplo número de questões da sua banca – o site deve apresentar uma ampla gama de exercícios da banca do seu certame, pois conhecer o estilo da banca afeta positivamente o seu desempenho.

3. Saiba escolher as questões que você irá resolver

Não basta resolver quaisquer questões de concursos públicos – é necessário que elas sejam do perfil da banca do seu certame.

Assim sendo, faça questões desenvolvidas pela sua banca, preferencialmente as mais recentes, pertencentes a certames ocorridos nos últimos anos.

Mas Alex, de quantos anos para cá devem ser as questões que eu devo desenvolver? Depende!

Contabilidade, por exemplo, é uma disciplina que sofreu grandes mudanças de 2009 para cá – logo, é arriscado fazer questões de anos anteriores a este período.

Português, por sua vez, teve a Reforma Ortográfica em 2008 – mas, ainda hoje, poucas questões exigem as alterações na língua.

A banca, por exemplo, também pode afetar a periodicidade das questões escolhidas. Se, por exemplo, o meu certame desejado fosse a Receita Federal e a banca fosse a Esaf, seria muito melhor desenvolver questões desde o meu certame, que ocorreu em 2005, do que de outras bancas com concursos semelhantes recentes.

Além da banca do seu concurso, é interessante, também, resolver questões de concursos públicos de outras bancas renomadas. Dessa forma, recomendo:

  • Cespe;
  • Esaf;
  • Fundação Carlos Chagas – FCC;
  • Fundação Getulio Vargas – FGV.

Essas bancas, em geral, têm questões de concursos públicos mais bem elaboradas e que exigem mais conhecimento. Logo, elas irão demandar mais de você para encontrar a resposta certa e, consequentemente, você ficará mais afiado!

4. Marque as questões que você errou

Estudar por meio de questões de concursos públicos é eficiente porque assim fica muito mais fácil identificar seus erros e aperfeiçoá-los.

Logo, após resolver os exercícios, confira quais você errou. Assim, marque todos as questões erradas, para que você possa desenvolvê-las novamente em um futuro próximo. Também marque as que você acertou, mas que tenha encontrado dificuldades para resolvê-las.

A partir dos seus erros, é possível reconhecer quais são suas dúvidas e confusões e saná-las, para que a falha não volte a acontecer – principalmente na hora da prova!

5. Controle o seu percentual de acertos

Seja por meio de automação do site de questões, em uma planilha do Excel ou mesmo à mão, é fundamental ter um controle do seu percentual de acertos.

Tenha em mente que, para alcançar a aprovação, é fundamental melhorar continuamente o percentual de acertos durante os estudos.

Para saber qual é um bom índice de acerto, verifique a nota do último colocado no último concurso.

A partir disso, o seu percentual de acertos deve sempre estar um pouco acima dele. Afinal, o próximo edital pode não trazer um grande número de vagas e a concorrência pode ser mais acirrada.

Além disso, considere também que, em casa, o seu percentual de acertos provavelmente será melhor do que na prova.

Isso porque, quando você resolve questões de concursos públicos em casa, você está em condições mais favoráveis – sem estresse, sentado em uma cadeira confortável, descansado e bem alimentado.

Já na hora da prova, há o nervosismo habitual, você pode não ter dormido bem na noite anterior, o tempo é contado, a carteira é pequena e desconfortável, entre outros fatores prejudiciais.

Fora que quando você entra num site de questões para fazer questões, algumas delas você já viu e já estudou anteriormente, o que poderá mascarar o seu desempenho.

Logo, se você está fazendo 80% em casa, provavelmente fará apenas uns 70% na prova – assim, é necessário batalhar para manter o percentual de acertos bem alto.

6. Conheça suas dificuldades

Você também precisa verificar quais são seus calos – ou seja, quais conteúdos você tem menor percentual de acerto.

Se você atinge 80% de acerto, é importante identificar quais conteúdos colaboram mais para gerar os 20% de erro.

Por exemplo, se você fez uma prova de português contendo 20 questões e acertou 15, verifique quais são os assuntos das cinco que você errou.

Em português, pode ser crase, pontuação, concordância, verbo e mais. Assim sendo, mantenha essas falhas anotadas para que você intensifique seus estudos nessas temáticas, por meio de aulas, materiais e, é claro, mais questões de concursos públicos.

Por fim, lembre-se de que não é produtivo gastar horas de estudos em uma questão só sem grande importância ou perder muito tempo com assuntos que você já domina.

Além da técnica, você precisa saber dosar o número de questões de concursos públicos por conteúdo. Lembre-se que seu objetivo é passar no concurso, não ser o melhor do mundo no assunto.

Siga as dicas acima e eu garanto que o seu estudo por meio de questões será muito mais eficiente.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Além disso, fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais:

Mentoria de estudos para concursos públicos realmente funciona?

Já ouviu falar de mentoria de estudos? Estudar para concursos públicos não é algo simples. Na verdade, é preciso seguir várias etapas até mesmo para começar a se organizar.

Encontrar e selecionar materiais, organizar sua agenda, conciliar os estudos com o trabalho, saber quando fazer pausas e descansar, definir em que lugar da casa ou da faculdade vai estudar…

Por isso, muitas pessoas se sentem perdidas nesse processo e não conseguem, com seus próprios esforços, estudar sozinhas para a prova. E é para essas situações que existem os mentores de estudos.

Mas a mentoria de estudos para concursos públicos realmente funciona? Para quem ela pode ser útil? Quais são seus benefícios?

Continue lendo e entenda melhor o tema!

O que é mentoria de estudos?

Tomar a decisão de dedicar seu tempo para estudar para concursos públicos é um passo muito importante. Porém, apenas decidir não é o suficiente: é preciso muito estudo, planejamento e esforço para passar na prova. Sendo assim, muitas dúvidas começam a surgir no processo:

  • Por onde devo começar a estudar?
  • Quais materiais devo adquirir?
  • Como posso fazer um cronograma de estudos?
  • O que não pode ficar de fora do meu planejamento?
  • Como concilio minhas obrigações atuais com os estudos?
  • Que tipo de método eu uso para estudar?

Todas essas questões são válidas e, suas respostas, essenciais para um bom planejamento de estudos. A organização é tão importante quanto o ato de estudar. Afinal, quantas pessoas você conhece que estudam por anos e não conseguem passar na prova? E quantos concurseiros acabam perdendo a motivação meses antes de fazer o exame?

A mentoria de estudos é um serviço que está aqui para ajudá-lo a resolver todas essas questões em diversas etapas da sua jornada. Como um técnico de futebol ou um personal trainer, o mentor de estudos pode orientá-lo, ajudá-lo e incentivá-lo a estudar mais e da melhor forma possível.

O mentor pode ser visto como uma pessoa mais experiente que vai guiá-lo ao longo do caminho até o dia da prova com seus conselhos e orientações. Ele tem muito conhecimento sobre concursos públicos, entende como funcionam as provas, sabe das especificidades de cada exame e ainda auxilia com questões de organização e motivação.

Quem deve procurar a mentoria de estudos?

a mentoria é muito importante para o estudo

Buscar uma mentoria de estudos para concursos públicos garantirá um melhor rendimento e desempenho para quem está com dificuldades. Pense nisso como um investimento!

A mentoria de estudos para concursos públicos pode ajudar diversos tipos de estudantes. Você pode procurar esses serviços se:

  • Tem dificuldades de conciliar os estudos para concurso público com faculdade, trabalho ou estágio;
  • Não tem o hábito de estudar e não sabe como reverter esse problema ou quer colocar os estudos em sua rotina da maneira certa;
  • Não sabe como se planejar para estudar tudo o que é necessário ou priorizar as matérias mais importantes;
  • Não tem motivação para continuar seus estudos, não consegue visualizar seus objetivos e pensa em desistir frequentemente;
  • Não sabe organizar seu espaço de estudo, seus materiais ou sua agenda para estudar;
  • Precisa de alguém que acompanhe e cobre suas metas;
  • Quer saber de novas técnicas e métodos para estudar.

A mentoria de estudos para concursos públicos pode ajudá-lo em todas essas ocasiões e, por isso, pode se adequar ao seu perfil em diversos momentos da preparação da prova, desde a organização inicial até a motivação necessária para ter sucesso no exame.

Vantagens da mentoria de estudos para concursos públicos

O estudante pode extrair muitos benefícios da mentoria de estudos. Afinal, o mentor pode ajudar em todas as etapas do preparo, a partir de diversas abordagens, como vimos acima. Mas esse acompanhamento traz ainda outros benefícios que o concurseiro dificilmente alcançaria sozinho ou em um curso preparatório. Por exemplo:

Personalização

Um curso preparatório para concursos públicos traz muitas vantagens. Porém, os professores desse tipo de curso precisam prestar atenção nos vários alunos presentes em sala de aula e, raramente, conseguem dar uma atenção especial para quem precisa.

A mentoria de estudos é feita pensando exclusivamente em você – sua agenda, seus conhecimentos, seus horários, suas responsabilidades. Assim, seu planejamento fica personalizado e pode ser modificado de acordo com suas necessidades.

Experiência

O mentor de estudos para concurso público tem conhecimento de causa e vivência no ramo. Muitas vezes, ele é um professor de curso preparatório ou alguém que é concursado. Por isso, ele pode falar da própria experiência e dar dicas de primeira mão, testadas e aprovadas, para ter sucesso na prova.

Além disso, se vocês forem da mesma área, ele pode dividir seu conhecimento técnico e fazê-lo entender melhor as matérias cobradas na prova. Com essa troca de conhecimento, você aprende mais sobre sua carreira futura e se prepara para o grande dia com uma ajuda profissional.

Autonomia

O objetivo do mentor de estudos não é guiar o concurseiro por todos os caminhos até a prova. Seu objetivo é mostrar o que pode ser feito e acompanhar o estudante até que ele tenha a autonomia necessária para estudar, se organizar, ter disciplina e se motivar sozinho.

Por isso, ter um mentor pode ser a melhor escolha para quem se sente perdido na hora de estudar para um concurso e precisa de um auxílio.

Mas será que a mentoria de estudos para concursos públicos realmente funciona?

Mentoria de estudos para concursos públicos realmente funciona?

A mentoria de estudos parece ser a ajuda de que todos os estudantes precisam para passar em um concurso público. Mas será que ela garante a aprovação? Ter esse tipo de auxílio realmente faz diferença na vida de um concurseiro?

A verdade é que a mentoria de estudos é uma das ferramentas mais eficazes para quem procura se planejar, organizar e estudar melhor para concursos. Além disso, ela também é de grande ajuda para quem se sente desmotivado e precisa de um empurrãozinho para se dedicar mais para a prova.

No entanto, a eficácia da mentoria de estudos para concursos públicos depende quase exclusivamente do aluno. Você pode ter um bom mentor que o ajude a organizar seus horários, planejar seus estudos e se manter em dia com suas metas, mas de nada vai adiantar se você não estiver comprometido com os estudos.

Contudo, para quem realmente quer estudar, se esforçar e passar em um concurso público, ter um mentor é uma ótima maneira de se manter dedicado, motivado e em dia com suas metas. Por isso, firme sua convicção primeiro e, depois, procure a mentoria de estudos.

Mentoria de estudo para concurso

A mentoria de estudos para concursos públicos é uma aliada de peso para quem se dedica a ter bons resultados.

Mentoria de estudos

Quer mais dicas para passar em concursos públicos e conquistar o emprego dos seus sonhos? Conheça nossa Liga da Aprovação e confira nossos serviços de mentoria!

Como conciliar paternidade e estudo para concursos públicos?

Mais um dia dos pais se aproxima, data que é comemorada por grande parte dos concursandos que têm o grande desafio de conciliar paternidade e estudo para concursos públicos.

De um lado, está o sonho de ingressar na carreira pública, ter um bom salário e, consequentemente, oferecer mais qualidade de vida à sua família.

Do outro, há seu cônjuge e seu filho que, mais do que depender financeiramente de você, precisa de atenção para crescer saudável.

Assim sendo, para muitos concursandos parece quase impossível conciliar paternidade e estudo para concursos públicos. Como ser um bom pai, enquanto, muitas vezes, é necessário se ausentar para estudar e buscar um futuro melhor para a família?

De fato, fazer essa conciliação não é uma tarefa fácil, meu amigo. No entanto, conciliar paternidade e estudo para concursos públicos é possível e, sobretudo, imprescindível. Seu filho merece a sua atenção.

Neste artigo, apresento alguns conselhos para que você possa conciliar paternidade e estudo para concursos públicos. Acredito que as dicas também são muito válidas para as mamães. Continue a leitura!

Reserve um tempo de qualidade para o seu filho

Se você decidiu prestar concursos públicos, a sua rotina deve ser, ao máximo, disciplinada, girando em torno dos estudos, do trabalho (se você trabalha, claro), de manter sua saúde e garantir a felicidade da sua família.

Dessa forma, se você é pai, sobretudo de uma criança ou adolescente, que requer mais atenção, passar um tempo de qualidade com seu filho deve ser um compromisso inadiável.

Não há desculpa de que “não há tempo”. Filhos, assim como os seus estudos para concursos, são prioridade!

Posso citar o meu exemplo. Sou pai do Victor, de quatro anos e meio de idade, e tenho uma rotina cheia: trabalho como fiscal do Estado de São Paulo, reviso livros, mantenho o blog e o canal do Método de Estudo, estou escrevendo livros de coautoria e tenho alunos na Liga da Aprovação.

Mas, ainda assim, não deixo de reservar algumas horas do meu dia de total dedicação ao meu pequeno.

No entanto, não basta estar presente fisicamente. Ter tempo de qualidade para os filhos é participar, ativamente, da vida do seu filho. Isso consiste em moldar o caráter dele, ajudá-lo a alcançar o sucesso na escola, conhecer seus amigos, atividades e mais.

Conciliar paternidade e estudo para concursos públicos exige atenção

Tenho certeza que você gostaria de passar mais tempo com o seu filho. No entanto, com a rotina cheia, o período de dedicação é curto. Por isso, é indispensável garantir que o tempo para os filhos seja de alta qualidade.

Isso quer dizer que, quando você se propõe a passar um tempo com seus filhos, deve ter em mente que este é um período em que você deve dar total atenção a eles.

Ou seja, nada de apenas sentar-se ao lado dele e assistir ao futebol, novela, telejornal ou ficar na internet.

O seu tempo deve ser dedicado às brincadeiras, para ajudar no dever de casa, ouvir as histórias que ele tem para contar, incentivar a leitura, saber das notas na escola, dos amigos dele e mais.

Dessa maneira, se você dedicar de 30 minutos a uma hora, diariamente, para participar ativamente da vida do seu filho, ele irá te reconhecer como um pai presente.

Para conseguir reservar este tempo, é necessário apenas ter organização – muitas vezes, perdemos mais que uma hora do dia procrastinando em meio aos estudos. Logo, construa um bom ciclo de estudos, cumpra com suas demandas e será fácil reservar um tempo de qualidade para os seus filhos.

Vale ressaltar que as crianças percebem quando estão recebendo a devida atenção e quando não estão.

Você mesmo pode comprovar se lembrando do seu pai: ele jogava bola com você? Ele viajava muito? Costumava só te encher de presentes ou também te ajudava no dever de casa e assinava seu boletim escolar?

Da mesma forma que você tem lembranças muito sólidas do seu pai, seu filho também terá sobre você. Dessa forma, é fundamental que você seja participativo, para que ele tenha boas memórias a respeito da relação de vocês.

Talvez eles não entendam seu esforço agora, mas terão orgulho no futuro!

Muitas vezes, as crianças reclamam atenção dos pais pois não entendem porque eles precisam passar tanto tempo fora de casa ou então, no caso dos concursandos, porque passam tanto tempo com os livros.

Quando eles são pequenos, eles não entendem que seus esforços levarão a consequências muito positivas também para eles. Isso porque o pensamento deles é imediatista: eles desejam ter o papai ou a mamãe para brincar e conversar.

Entretanto, não se deixe abater se, por hora, eles não conseguem compreender os seus esforços. Eu te garanto que, no futuro, com a sua aprovação, eles terão muito orgulho de você.

Além disso, a sua aprovação certamente irá melhorar as condições financeiras da família. Assim sendo, você conseguirá proporcionar ao seu filho brinquedos novos, viagens e passeios divertidos nos finais de semana. Nessas ocasiões, o sorriso deles valerá toda e qualquer batalha que você tenha enfrentado.

Com a aprovação, você também dará orgulho para o seu pai

Muitas pessoas próximas, principalmente as mais velhas, como nossos pais, costumam desestimular concursandos, afirmando que os certames são fraudados etc.

Entretanto, eles não querem nos fazer mal, mas de fato acreditam que concursos são para gênios ou apadrinhados. Dessa forma, eles não nos querem nutrindo falsas esperanças.

Nesses casos, a solução é o diálogo! Explique a eles que a aprovação é difícil, mas que as chances de sucesso aumentam com o apoio deles.

É importante lembrar que, mesmo que seu pai não apoie os estudos, ele ficará feliz com a sua aprovação.

Assim sendo, além de conciliar os estudos com seus filhos, converse com seus pais para ajudá-los a entender seus objetivos!

Busque manter uma relação saudável também com o seu pai

Conciliar paternidade e estudo para concursos públicos também envolve a relação com seu pai. Mesmo que ele não entenda suas escolhas, é fundamental que vocês mantenham uma boa relação. 

Assim sendo, dê atenção a ele. Faça visitas regulares, telefone (caso vocês morem longe um do outro) e o mantenha atualizado sobre as suas conquistas.

Caso ele seja descrente sobre o mundo dos concursos, reserve um tempo para mostrar para ele histórias de sucesso de quem foi aprovado, bem como para explicar porque ainda vale a pena estudar para concursos públicos.

A atenção e o carinho são revolucionários, meu amigo. Muitas vezes, a falta de apoio dos pais é resultado do distanciamento com os filhos, que gera falta de empatia.

Se você mantiver uma relação de carinho com seu pai, certamente ele ficará mais aberto a entender suas perspectivas. E, assim, te dará o apoio paterno que é fundamental para que possamos alcançar todos os nossos sonhos.

Por fim, ressalto que, nada vale mais a pena do que ver o orgulho de seu pai por você. Quando fui aprovado para a Receita Federal em 2006, por exemplo, meu pai chorou de felicidade ao receber a notícia. Essa foi uma das poucas vezes que o vi chorar!

Portanto, meu amigo, continue a estudar e batalhar pela aprovação, mas sem se distanciar da família. É possível, sim, conciliar paternidade e estudo para concursos públicos.

Todo esforço será válido quando você vir o sorriso do seu pequeno e receber um abraço orgulhoso do seu velho.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Além disso, fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais:

Será que ainda vale a pena estudar para concurso público?

Passar em um concurso público é o sonho de muitos brasileiros. Fatores como a estabilidade no emprego, bons salários e benefícios sempre atraem candidatos. Mas será que, no Brasil atual, ainda vale a pena estudar para concurso público?

Em virtude da crise econômica que assola o país desde 2014, é nítido o quanto as oportunidades no serviço público sofreram reduções. De fato, são cada vez menos vagas, notas de corte mais altas e elevados períodos de escassez entre um certame e outro.

Não vou tirar a sua razão de estar um tanto desiludido com a carreira pública. No entanto, vou te explicar por que ainda vale a pena estudar para concurso público. Continue a leitura!

A crise econômica é um “tsunami” para a iniciativa privada e “marola” para o serviço público

Nos últimos anos, o Brasil saiu de um “boom” econômico para um período severo de recessão econômica.

Em 2016, a economia encolheu 3,6%. Em um passado recente, a realidade era inversa e o país registrou seu maior avanço do PIB em 20 anos em 2010, quando a economia cresceu 7,5%.

A fim de reverter a instabilidade, em 2017 o governo implementou algumas medidas, como a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que limita o crescimento dos gastos públicos e a Reforma da Previdência.

Ainda, muitas empresas privadas enxugaram o quadro de funcionários e vários profissionais experientes estão na rua. E mesmo com qualificação somada a anos de prática, não conseguem se reposicionar no sistema.

O país está num momento difícil e, assim, o funcionalismo público, que por muitos era visto como um local ruim pela “estabilidade” ou ainda por “acomodar” as pessoas, voltou a atrair os olhares.

Tudo isso fez com que o concurso público se tornasse uma opção para muitos.

Mesmo em tempos de crise econômica, os impactos sofridos pelo serviço público ainda são menos drásticos do que na iniciativa privada.

A onda do desemprego

Por mais que, no ano passado, o então Ministro da Fazenda Henrique Meirelles tenha afirmado que a recessão econômica já acabou, o Brasil ainda sofre as consequências.

Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), foram fechados quase 80 mil cargos de chefia na iniciativa privada em 2018.

Há empresas que optaram por ampliar as obrigações de quem já está em cargo de chefia, fazendo com que passe a coordenar a gerência de múltiplas áreas.

Outras colocaram mais empregados sob o comando de um mesmo gestor. Ainda há aquelas que delegaram tarefas de gerência a empregados que, antes, ocupavam posições subalternas.

Isso demonstra que os impactos negativos na economia foram sentidos, de maneira mais agressiva, no setor privado, pois as empresas buscaram “enxugar” o quadro de funcionários para driblar a crise.

Assim sendo, é possível refletir que, mesmo que a recessão econômica afete o poder de compra e eventuais aumentos no salário da iniciativa pública, a manutenção do cargo é garantida, o que reforça a minha proposta de que ainda vale a pena estudar para concurso público.

Empreendedorismo por necessidade

A crise econômica fez crescer o chamado empreendedorismo por necessidade. De 2014 para cá, uma parcela maior de pessoas abriu uma empresa por falta de trabalho.

Segundo dados do Sebrae, o percentual de novas empresas (com até 3,5 anos) criadas por necessidade saltou de 29% em 2014 para 43% em 2015.

A grande maioria das novas empresas é um microempreendedor individual (MEI). Ou seja, uma pessoa que trabalha por conta própria e se formalizou como pequeno empresário.

Se o empreendedorismo é uma alternativa para se livrar do desemprego, há outro problema: fazer seu negócio vingar.

Também segundo o Sebrae, 23% das empresas no Brasil fecham as portas nos dois primeiros anos.

Logo, por mais que o empreendedorismo pareça uma alternativa viável, para manter-se estável frente à crise, é necessário ter resiliência para fazer o negócio prosperar.

Portanto, se você deseja fugir do desemprego e não deseja enfrentar as dores do empreendedorismo, eu afirmo para você que sim, ainda vale a pena estudar para concurso público.

Ainda vale a pena estudar para concurso público? A boa fase dos concursos públicos está longe de voltar

Sem dúvidas, meu amigo, o cenário dos concursos públicos no Brasil não é tão favorável como há alguns anos.

O cargo que ocupo hoje, por exemplo, de Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo, teve dois últimos concursos recheados: em 2009, foi lançado um edital para 600 vagas e, em 2013, a oportunidade foi para 885 vagas.

Infelizmente, posso afirmar que grandes oportunidades como essa dificilmente surgirão por, pelo menos, nos próximos cinco anos.

Em resumo, com a crise econômica, trabalhar na administração pública perdeu sim parte da atratividade, tanto pela redução da oferta de novos editais, quanto pelas más notícias em relação à aposentadoria integral.

Além disso, as notas de corte aumentaram, muito em decorrência de que há mais candidatos capacitados devido à grande oferta de materiais qualificados e cursos no mercado.

Neste momento, você deve ter voltado a se perguntar por que eu insisto em dizer que ainda vale a pena estudar para concurso público? Simplesmente porque  é necessário lembrar que, mesmo diante dos períodos de recessão, a administração pública precisa continuar funcionando. Há serviços essenciais para a sociedade e para o funcionamento do estado.

Certamente há cargos a serem enxugados, mas geralmente não são os preenchidos por meio de concurso público, e sim aqueles de livre nomeação, ocupados por indicação política.

Portanto, se você deseja construir uma carreira pública, o meu conselho é: siga em frente em sua preparação para passar em concurso público, pois ainda haverá ótimos certames.

Com isso em mente, a primeira dica que eu te dou é se matricular no curso Pilares da Aprovação no qual você vai aprender tudo sobre concursos públicos, desde como funcionam os concursos públicos até dicas sobre cada área.

A LDO 2019 e os concursos públicos

Outro aspecto que vem fazendo as pessoas se questionarem se ainda vale a pena estudar para concurso público foi a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019 e a Proposta da LDO de 2020.

Apesar de a LDO 2020 não proibir a realização de concursos, acredito que, dificilmente, grandes certames para a administração federal direta serão realizados. Alguns bons concursos serão abertos, como sempre, mas não espere por muita coisa.

Assim sendo, uma boa saída é ter foco nos concursos estaduais e municipais, que podem ser realizados e fazer nomeações normalmente.

Ou seja, busque oportunidades que estejam alinhadas à área de concurso para a qual você já vem estudando.

Além disso, sociedades de economia mista e empresas públicas também podem realizar concursos normalmente. Esse é o caso de órgãos como:

  • Petrobrás;
  • Banco do Brasil;
  • Caixa Econômica Federal;
  • Transpetro;
  • Correios;
  • BNDES e outros.

Ainda vale a pena estudar para concurso público se você entende o propósito

Antes de entender se ainda vale a pena estudar para concurso público, reflita: o que isso significa para você? Faça a você mesmo a pergunta: por que eu estudo para concursos?

Para quem resume a experiência aos bons salários, as chances de desistir ao longo do caminho são grandes.

Em primeiro lugar, você deve ter em mente que ser servidor público é servir ao público. É claro que a carreira garante que os seus direitos serão respeitados, estabilidade e muitos outros benefícios.

Contudo, toda essa tranquilidade tem uma contrapartida, que é trabalhar corretamente. Já foi o tempo em que havia inúmeros “funcionários fantasmas”, que trabalhavam muito pouco em diversos locais.

De certo, hoje, do funcionário público é exigido respeito aos horários de trabalho, produção, eficiência e honestidade. Logo, entre no serviço público para acrescentar algo ao país, não entre pensando apenas em você.

Ainda é mais fácil “vencer na vida” dentro da carreira pública

Em suma, é possível afirmar que a situação econômica não está fácil para nenhum setor econômico.

No entanto, hoje, ainda é mais fácil “vencer na vida” ingressando na carreira pública.

Você pode hoje, por exemplo, passar até seis anos estudando e, ainda assim, há chance de ser menos tempo do que o necessário para obter sucesso empreendendo ou na iniciativa privada.

Se você quiser saber mais sobre o tempo necessário para aprovação em concurso, indico que leia nosso artigo: Quanto tempo para passar em concurso público: 4 variáveis que afetam o cronograma”.

Portanto, ao meu ver, ainda vale a pena estudar para concurso público. A carreira pública, além de oferecer estabilidade, permite que você trabalhe em uma função de ampla relevância social.

Então, se você ainda não começou a trilhar seu caminho de preparação para um concurso, eu indico que comece o quanto antes. Para isso, uma boa opção é ler meu artigo sobre por onde começar a estudar para concurso público. Um spoiler: já ouviu falar sobre Passaporte da Liga da Aprovação? Não? Então continue lendo este artigo para receber uma grande dica sobre como passar em concurso público.

Continuando, uma outra dica, tanto para iniciantes como para concurseiros avançados, é otimizar seu estudo participando de grupos que possam ajudar você a ser aprovado o quanto antes e garantir sua vaga. Como vimos, a perspectiva é de que a quantidade de concursos diminua, então quanto antes você conseguir a aprovação, melhor, não é mesmo?

O processo de mentoria te ajuda a aprender mais em menos tempo e assim aumentar as suas chances de ser aprovado já nos próximos concursos.

Para começar te convido a se inscrever em nosso curso gratuito: Jornada da Aprovação. São 4 aulas para apresentar algumas técnicas de como otimizar suas horas de estudo e melhorar seus resultados, diminuindo o tempo que você leva até à aprovação.

Se você está em fases mais avançadas de sua preparação, indico que conheça o Passaporte da Liga da Aprovação e tenha acesso a TODOS os cursos, descontos e privilégios de TODAS AS LIGAS DA APROVAÇÃO JUNTAS, de TODAS AS ÁREAS!

O Passaporte da Aprovação é um grupo de mentoria para todas as áreas de concurso com tudo o que tem de melhor para garantir sua aprovação:

  • treinamentos completos online;
  • canal direto comigo, Alexandre Meirelles;
  • Webinários exclusivos mensais;
  • cursos extras e mais.

Acesse nossa plataforma e leia os depoimentos de alunos que foram aprovados após passar por nosso método.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Além disso, fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais: