Devo fazer concursos para a minha área de formação ou não?

Você batalhou por quatro ou cinco anos e fez a sua graduação. Seja em qualquer área – Saúde, Exatas ou Humanas – conseguir um emprego logo de cara nem sempre é fácil. Nesse momento, os concursos parecem uma boa opção. Mas aí você se pergunta: “devo fazer concursos para a minha área de formação ou não?”.

Ingressar na carreira pública, sobretudo em vários dos melhores concursos, exige formação em qualquer curso superior. Às vezes até mesmo tecnólogo.

No entanto, para muitas pessoas pode ser difícil prestar um certame fora da área de formação.

Isso porque, muitas vezes, bate a sensação de estar “jogando fora” tudo o que foi aprendido na faculdade.

No entanto, decidir prestar um concurso dentro da área de formação ou não é uma decisão que envolve:

  • vocação;
  • pretensão salarial;
  • concursos previstos;
  • locais onde deseja morar;
  • e mais.

Sendo assim, decidi dar alguns conselhos para você decidir se deve ou não fazer concursos alinhados à sua graduação. Confira!

Estudar em paralelo: será que é uma boa opção?

Muitas vezes, você tem um concurso dos sonhos e está decidido a prestá-lo. Esse é o caso, por exemplo, de graduados em Ciências Contábeis que sonham com grandes concursos da área fiscal.

No entanto, vez ou outra aparece a oportunidade de concursos para o cargo de Contador.

Se o grande e sonhado concurso não tem nem previsão, pode parecer tentador fazer esses concursos “menores” na sua área. E agora?

Talvez você pense: “fazer concursos para a minha área de formação pode ser uma escada para um concurso maior depois”. Às vezes, sim. Em outros casos, pode tirar o foco do seu grande objetivo.

Nesse caso específico, por exemplo, se você é formado em Contabilidade, tem base para fazer concursos para a sua área de formação.

Porém, mesmo assim terá que estudar uma série de conteúdos que você não precisa estudar para outros concursos da área fiscal. E aí, será que dá para dividir seu tempo com dois editais bem diferentes?

Dessa forma, avalie o quanto você sabe do conteúdo do concurso para a sua área de formação e o quanto você sabe do concurso maior que também almeja.

No exemplo, se você já está muito adiantado com o conteúdo da área fiscal, garante-se diante de autorizações e editais que vierem a ser publicados e se sente preparado, considere também prestar concursos para a sua área de formação.

Principalmente, por exemplo, se seu concurso “maior” nem tem previsão de ocorrer ainda. Nesse caso, sua área de formação pode oferecer um excelente concurso escada.

Lembrando que concurso escada é um concurso intermediário que te dá estabilidade financeira e tranquilidade para continuar estudando para concursos mais concorridos e renomados.

Estudar para dois editais ao mesmo tempo é perigoso

Se você já vem estudando para um concurso grande e concorrido, com edital já aberto, e surge um edital para a sua área de formação, tenha cuidado.

Estudar para dois concursos diferentes, estando ambos próximos de serem realizados, pode ser um “tiro no pé”.

Isso porque você pode acabar não se aprofundando o suficiente para cada prova e, assim, não ser aprovado em nenhuma delas.

Assim sendo, se o concurso que é a sua prioridade já foi aprovado ou tem edital aberto, esqueça a ideia de fazer concursos para a sua área de formação por hora.

Só olhe para o lado se você se garante

Em suma, você pode pensar em outras possibilidades de concurso, como da sua área de formação, se você já está com o conteúdo afiado para o certame que é a sua prioridade.

Ou seja, se amanhã seu edital for publicado e você perceber que não estará preparado, não desvie o seu caminho.

Você quer mesmo trabalhar na sua área de formação?

É importante lembrar, ainda, que os concursos públicos são uma excelente alternativa para mudar de carreira.

Não é incomum escolher um curso e, depois, perceber que não é bem o que você deseja para a vida.

A maioria das pessoas, em fase avançada da graduação, optam por, mesmo insatisfeitas, terminar o curso e garantir o diploma.

Se este é o seu caso, fazer concursos fora da sua área de formação é uma chance de alcançar a satisfação profissional.

E, ainda por cima, sua graduação não é desperdiçada. Isso porque o seu diploma, de qualquer curso, é imprescindível para prestar certos certames.

Fiscais, analistas e consultores legislativos, por exemplo, são alguns cargos bem remunerados e que não exigem uma formação específica!

Avalie de vocação à localização

Por fim, recomendo que, antes de decidir fazer concursos para a sua área de formação ou não, conheça as carreiras públicas mais renomadas, suas exigências, procure saber se a sua área oferece boas oportunidade de emprego e mais.

Além disso, se o seu sonho é ter um alto salário, pode ser que nenhum concurso da sua área de formação ofereça isso. Expanda seus horizontes!

Vale ressaltar, ainda, que ficar preso a concursos da sua área de formação pode te levar a mudar para cidades e estados muito distantes ou que não sejam compatíveis com seu estilo de vida e da sua família.

Em resumo, esteja você fazendo concursos para a sua área de formação ou não, é importante ter disciplina e foco para ser aprovado.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Como lidar com as pessoas que sabotam os nossos estudos?

Engana-se quem acha que os desafios de um concurseiro se resumem a cumprir o edital, garantir materiais atualizados e estudar muitas horas. Além de tantos compromissos, precisamos lidar com a pressão familiar e, ainda, com outras pessoas que sabotam os nossos estudos.

Todo concurseiro tem um familiar que acredita que concursos públicos são fraudados. Ou então, aquele amigo empreendedor que não vê futuro na carreira pública. Ninguém parece compreender seus esforços.

No entanto, se você se deixar levar pelo pessimismo, não adianta estudar 24 horas por dia que a aprovação não virá.

O pensamento positivo e a motivação são elementos essenciais para o sucesso no mundo dos concursos.

Por isso, evitar cair nas armadilhas das pessoas que sabotam os nossos estudos também é um desafio importante. Lembre que, acima de tudo, você precisa ter saúde mental para ter sucesso.

Pensando nisso, preparei esse artigo com alguns conselhos para lidar com as pessoas que sabotam os nossos estudos. Continue a leitura!

A pior coisa a ser feita é brigar

Eu confesso que, pessoalmente, nunca sofri com as opiniões de pessoas que sabotam os nossos estudos.

Meus pais sempre me apoiaram quando eu estava estudando para concursos públicos, independentemente da época.

Mas sei muito bem que, infelizmente, nem todos os concursandos têm essa sorte. Por isso, se tem uma dica que dou para lidar com essa situação é: busque o diálogo.

Não adianta brigar com os sabotadores de estudo. Isso porque uma pessoa que jamais passou pela vida de concurseiro, não sabe o que é o sacrifício.

Em suma, cada um faz uma escolha honesta de vida. Há quem faça pós-graduação. Há quem vá tentar a vida no exterior. Você não é errado por tentar uma vida honesta no setor público.

No entanto, para quem não tem essa experiência, a impressão é que você está “perdendo a sua vida” em frente aos livros.

Você deve, no máximo, conversar. Sobretudo quando as pessoas que sabotam nossos estudos são nossos pais, cônjuges ou irmãos, o diálogo é imprescindível.

Para contornar as críticas, uma boa dica é pedir apoio e explicar que estudar para concursos é um processo natural, que é normal levar tempo para ser aprovado.

Em geral, as pessoas que sabotam nossos estudos não fazem isso por mal, mas por alguns motivos plausíveis, como:

  • Crença de que concursos são ilegítimos e fraudados;
  • Ausência do concursando em momentos de lazer e convivência;
  • Ansiedade para obter estabilidade financeira.

Dessa forma, principalmente para as pessoas que estão dentro de casa, apresente casos de pessoas que obtiveram sucesso em concursos públicos.

Depois, explique a média de tempo necessária até a aprovação e que, sobretudo, primeiro é necessário fazer renúncias para depois alcançar uma estabilidade que irá durar a vida toda.

Se as pessoas estão opinando, é porque elas desejam o seu bem

É normal que as pessoas tenham um modelo de vida de sucesso pré-estabelecido em sua mente e, por isso, acabam por julgar o outro que não faça escolhas semelhantes.

As pessoas que sabotam seu estudo normalmente o fazem por acreditar que você poderia estar fazendo escolhas mais sensatas. E fazem isso, acredite ou não, pelo seu bem.

Às vezes, as palavras duras vêm da ignorância – nesse caso, não significa grosseria, mas o desconhecimento dos benefícios da vida de concursado.

Cuidado com as pessoas que sabotam os nossos estudos por inveja

Você também precisa ter discernimento e saber diferenciar as pessoas que te sabotam, mas no fundo desejam seu bem, daquelas que realmente colocam peso na sua vida.

Infelizmente, acabamos envolvidos por falsos amigos ou pessoas que, simplesmente, não conseguem ver os outros alcançando seus sonhos e sucesso.

Já ouviu falar naquele ditado que diz que as pessoas querem te ver bem, mas nunca melhor que elas? Muitas vezes isso é verdade!

Dessa forma, se eu puder te dar um conselho é: mantenha distância daquele ciclo de pessoas que só te puxa para baixo.

A jornada dos concursos públicos é árdua mesmo com motivação e o caminho será muito mais turvo se repleto de negatividade!

Em geral, familiares de sangue não escolhemos, e conquistar a confiança deles é indispensável.

No entanto, amigos nós escolhemos e eu penso que você deve manter ao seu lado pessoas que torcem pelo seu sucesso.

O segredo é a chave do sucesso em muitos casos

Muitas vezes, nós atraímos as pessoas que sabotam os nossos estudos por termos a mania de sair divulgando nossos planos e sonhos.

Se você trabalha na iniciativa privada e decide prestar concursos públicos, pondere antes de comentar a sua escolha com seus colegas.

Isso porque, mesmo os mais próximos, podem te condenar – muitas vezes por não terem energia para lutar e fazer o mesmo.

Outros podem comentar a notícia até chegar nos ouvidos dos seus chefes – que, se não forem sensatos, podem acreditar que você não está vestindo a camisa ou cogitar sua demissão.

Dessa maneira, em contextos como esse, preservar sua privacidade e suas escolhas é a melhor opção.

Em resumo, tenha força, meu amigo! Eu sei, que muitas vezes, é amargo engolir certas palavras e olhares.

No entanto, tenha em mente apenas o seu sonho e batalhe para conquistá-lo. Tenho certeza que seu triunfo será doce para a sua família e para aqueles que te amam e um baque para os invejosos.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

assine a nossa newsletter

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Além disso, fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais: