Por que você insiste em estudar para concursos públicos?

O primeiro mês de 2020 já está chegando ao fim e as 366 novas oportunidades já são reduzidas a 335. Se você ainda não aproveitou este mês, por que você insiste em estudar para concursos?

Há aquelas pessoas que emendaram o réveillon em “férias” e agora parecem protelar até o carnaval.

Em contrapartida, em alguns momentos de lucidez, se desesperam, correndo atrás de dicas e fórmulas milagrosas para alcançar a tão sonhada aprovação.

Se você se identificou totalmente, afinal, por que ainda insiste nos “estudos”, ou melhor, na ideia do concurso?

Por outro lado, se você está apenas desanimado, este artigo pode ser a injeção de ânimo que você precisa para recuperar o tempo perdido. Continue a leitura!

Persistente ou insistente?

Em um artigo anterior, elaborado a partir de um bate-papo com o mentor de concursos Victor Ribeiro, nós destrinchamos a diferença entre o concurseiro persistente e o insistente.

O persistente estuda por anos e é aprovado. Já o insistente, persevera nas falhas por anos, não se cura da doença da desculpite e não obtém sucesso.

Há anos eu recebo mensagens de pessoas dizendo que simplesmente “não conseguem estudar”. Afinal, não conseguem de fato ou não querem? 

Ao meu ver, são pessoas insistentes, não persistentes.

A doença da desculpite

Primeiramente, entre as principais reclamações e medos de quem não está conseguindo estudar para concurso que leio frequentemente, estão:

  • vou esperar o orçamento sair para ver se tem previsão do concurso que eu quero;
  • estão falando que a estabilidade vai acabar;
  • a aposentadoria vai piorar;
  • irão diminuir a remuneração inicial.

Meu amigo, nenhuma dessas ideias é motivo para deixar de lado a sua rotina de estudos. Todas essas “informações” e decisões são, na verdade, sintomas da “doença da desculpite”.

Os leitores do meu livro já devem conhecer essa expressão, pois foi muito citada em minha obra, mas este é um conceito retirado do livro “A mágica de pensar grande”, do autor David Schwartz, lançado em 1959.

O termo explica que a maioria dos problemas e percalços que encontramos no caminho até o nosso objetivo se trata apenas de desculpas.

Assim sendo, a vítima da “doença da desculpite” está sempre em busca de uma boa “razão” para justificar a sua procrastinação.

Tudo bem não querer prestar concursos

Quando você decide prestar concursos, deve entender suas reais motivações.

Isso significa decifrar o que você pode alcançar trabalhando no serviço público, esquecendo um poucos os números propriamente ditos na conta bancária.

Afinal, se seus principais motivos para estudar para concursos não estiverem bem claros em sua mente, a chance é que, aos poucos, sua motivação despenque e você desista na primeira adversidade.

Também não é incomum aqueles “concurseiros” que só o são por influência da família e dos amigos.

Afinal, ser servidor público é o que, de fato, você deseja? Tudo bem se não for! Empreenda ou construa uma carreira brilhante na iniciativa privada.

Em suma, a vida de servidor público não é só ter uma conta bancária gorda e estabilidade. Você precisa ter vocação e identificação com o cargo a ser ocupado!

Quero ser persistente!

Entenda que não existe “meio concurseiro”, ou seja, aquela pessoa que deseja prestar um concurso, mas estuda apenas eventualmente.

Dessa forma, prestar um concurso é uma postura que deve ser internalizada e refletida em estudo constante!

Portanto, se você percebe que manter uma rotina de estudos realmente não é a sua praia, pare de se enganar, meu amigo.

Deixe de gastar dinheiro com materiais e criar expectativas na sua família sobre a aprovação em um cargo público.

No entanto, se você está decidido que o mundo dos concursos é para você, aprenda a ser persistente

Para conquistar a mentalidade do concurseiro vencedor é preciso fazer ajustes o tempo todo – no seu ciclo de estudos, no material, na escolha de exercícios e mais.

Além disso, aprender com os acertos também é um jeito de aprender mais, mais rápido e melhor. Isso quer dizer que você também deve entender o que está sendo efetivo e continuar replicando.

Ainda não consigo estudar! O que fazer?

Encontrar o que te motiva a estudar é a melhor forma de cessar as queixas de “não consigo estudar!”.

Sendo assim, questione-sempre: Por que eu estou estudando para um concurso público? Quais aspectos da sua carreira te deixavam insatisfeitos e te levaram a tomar essa decisão?

Portanto, identificar a motivação é ter combustível o suficiente para alcançar o seu objetivo.

Para te auxiliar neste impasse, reuni em um artigo as possíveis causas para o bloqueio com os estudos e como superá-las: “Não consigo estudar! Há uma solução emergencial para essa situação?”. Não deixe de ler!

Por que você insiste em estudar para concursos?

Se você tem uma resposta muito boa para essa pergunta, é hora de sacrificar alguns confortos e encarar os estudos.

Por fim, se você decidiu que atuar como servidor público é para você, estude. De verdade. Com todo empenho e a todo momento.

Ou você estuda de verdade, por meio de bons materiais de estudo e com métodos de qualidade ou você busca se encontrar em outra carreira.

Os candidatos que são aprovados não são meio-concurseiros, mas concurseiros por inteiro.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

Concurso depois dos 40 anos: É possível? Vale a pena tentar?

Frequentemente recebo perguntas de pessoas mais “experientes”, aquelas que já passaram da faixa etária mais tradicional para estudar para concursos públicos, sobre valer a pena ou não estudar para concurso depois dos 40 anos

Existem diversas motivações e histórias de vida que podem levar você a tomar a decisão de prestar um concurso quando estiver mais maduro. Inclusive, existem muitos casos de pessoas que já são servidores públicos em cargos de nível médio, mas desejam buscar uma vaga em concursos de nível superior. 

Por isso, escrevi este artigo para ajudar você a refletir melhor sobre prestar algum tipo de concurso público depois dos 40, 50 anos ou até mesmo acima disso. Vou contar um pouco da minha experiência e como eu acredito que você pode se preparar, se este é o seu caso. Continue a leitura!

A minha experiência 

Eu voltei aos estudos quando tinha 35 anos e fui aprovado pouco tempo depois, por volta dos 35 anos e meio e, depois, prestei mais um concurso e estou, desde então, no meu atual cargo, como Fiscal do Estado de São Paulo, desde meus 36 anos. Para ser sincero, não sei se teria grandes diferenças se eu tivesse sido aprovado com 40 anos ou mais. 

Para quem conhece mais a fundo minha trajetória, sabe que eu consegui passar no concurso em poucos meses porque antes já havia me dedicado em estudos há 10 anos. Claro, tive que me atualizar, mas meu pensamento era de que iria estudar o tempo necessário para passar no concurso que eu queria. E, se eu não fosse aprovado, teria continuado a estudar, pois existem muitas vantagens para quem quer virar concursando(a) nessa fase da vida.

Vantagens de prestar concurso depois dos 40 anos

Acredito que a idade mais avançada pode contar positivamente em diversos aspectos para um concursando ou concursanda. A maior vantagem competitiva, na minha opinião, é a maturidade adquirida ao longo do tempo.  

Quando você tem uma atitude mais madura, naturalmente você pode ser mais organizado nos estudos. Além disso, alguém com mais idade pode estar mais determinado e mais obcecado em ser aprovado naquele período, já que não tem muito tempo a perder! 

Outro benefício que enxergo para quem tem mais experiência acumulada é aplicado na hora de fazer uma prova do concurso. Normalmente, uma pessoa mais jovem fica mais ansiosa e pode se perder durante um exame. Já uma pessoa com mais maturidade, tem maior capacidade de concentração, mais calma, e pode usar isso tanto para selecionar melhor os conteúdos durante os estudos, quanto no momento da prova. 

Desvantagens de prestar concurso depois dos 40 anos

No meu caso, vou destacar duas desvantagens que senti com o passar dos anos e que poderiam prejudicar a minha performance. A primeira delas é a perda de memória que senti um pouco mais com o passar do tempo, mas vale ressaltar que eu sempre me considerei ruim de memória. 

E o outro fator que acredito que possa atrapalhar é a coluna! Isso porque eu sofria com dores na coluna quando estudava e se eu fosse voltar à uma rotina dessas hoje, com certeza teria muito mais cuidado com a minha postura. Sobre isso, contei um pouco mais da minha experiência com uma dor crônica nas costas. Aconselho você a parar para fazer alongamentos frequentes e a procurar algum tipo de exercício aeróbico, como a caminhada. Tudo isso, se possível, com a orientação de um profissional da saúde

Mas não acredito que isso seja um empecilho para alguém que quer começar hoje a estudar. 

Existe idade máxima para prestar concurso público? 

Depende do concurso. De uma forma geral, os concursos podem exigem que os candidatos tenham pelo menos 18 anos até o dia da posse ou podem exigir um limite de 65 anos. 

Mas, se formos olhar o que diz a Constituição Federal, legalmente, não existe uma idade máxima para prestar concurso público. No entanto, a limitação encontra-se nos pré-requisitos e, consequentemente, no nível de qualificação. Escrevi mais sobre esse assunto neste artigo.

Razões para você considerar prestar um concurso

Como já destaquei, acredito que não haja grandes empecilhos para você prestar um concurso depois dos 40 anos. Elenquei alguns motivos que considero pertinentes para você refletir ao buscar um concurso:

  • Pessoas que possuem algum problema no seu atual emprego;
  • Caso você já seja servidor público, mas quer subir do nível médio para o superior;
  • Quando você não está satisfeito no atual emprego;
  • Se você está desempregado e não se vê mais na carreira em que atuava.

E, o mais importante, você se identificou com alguma das opções anteriores e enxerga o concurso público como uma boa opção para retomar a carreira? Então não importa a sua idade, vá estudar e passar no concurso que é o seu sonho! 

Por que a melhor hora para começar é agora?

Com minha vasta experiência no mundo dos concursos públicos, vejo muita gente mais nova que tem muita disposição, mas que não consegue se dedicar o suficiente por enfrentar problemas familiares, financeiros ou até mesmo de saúde. Em contrapartida, uma pessoa mais das antigas pode estar mais estável em sua vida e conseguir se dedicar mais aos estudos. 

Na verdade, independente da idade, todo mundo tem problemas! Não adianta criar desculpas e achar que a vida do outro é perfeita. Existe uma frase famosa que diz o seguinte: “Não compare seus bastidores com o palco dos outros”. E isso serve para você parar de criar esses empecilhos ao se comparar com alguém mais jovem. E também não vale ficar se lamentando porque não estudou quando tinha seus 20 e poucos anos. 

Por mais que você ache que sua idade é um problema, pense: é a idade que você tem hoje e você pode começar agora! 

Vamos elevar a média de idade dos aprovados 

Este ano comemoro dois marcos muito importantes na minha vida: 

O primeiro deles é que vou completar, no dia 12 de junho, meus 25 anos como Auditor Fiscal. Quando tinha 24 anos, assumi o cargo de Auditor Fiscal em Belo Horizonte. Já o segundo marco, também em 2020, é a celebração do meu aniversário de 50 anos de idade

Quando fui aprovado no meu cargo atual, em 2006, para Fiscal do Estado de São Paulo, tive vários colegas aprovados para o mesmo cargo que na época tinham idades bem variadas, destaco 61, 58 e 40 e poucos anos.  

A questão é que essas pessoas talvez não apareçam tanto por aí, seja dando aula em cursinhos, seja criando conteúdo nas redes sociais. Mas não é porque não as vemos que elas não existam e estejam ocupando seus lugares. 

Ao longo da minha vida e das conquistas obtidas nos concursos que prestei, sinto que posso afirmar sem sombra de dúvidas: se você tiver que correr atrás para conquistar novos objetivos, vá atrás. Muitas pessoas ficam esperando e se esquecem que podem acabar sendo demitidas também com idades mais avançadas. E todos são capazes de dar a volta por cima. 

O que você está esperando para começar a estudar? Espero encontrar vocês no clube dos servidores cinquentões, igual eu serei este ano! 

Um abraço, Alexandre Meirelles.

Local de estudo: como definir o espaço ideal para estudar?

Saber escolher e organizar corretamente seu local de estudo impacta diretamente na qualidade do seu aprendizado. 

Muitos estudantes pensam que qualquer lugar é lugar na hora de estudar, mas a maioria tem rendimento melhor quando está em um local de estudo confortável.

De toda forma, ter um bom lugar para estudar é determinante para a sua aprovação, bem como para a sua saúde. Afinal, não dá para passar horas sentado torto em qualquer canto, né?

Sendo assim, separei algumas dicas de como definir o seu local de estudo. Confira!

Sua casa geralmente é o seu melhor local de estudo – a não ser que não possa

Em geral, é em casa que nós encontramos sossego e tranquilidade para concentrarmos nos nossos livros e outros materiais de estudo.

Lembrando que, quando falo da sua própria casa, quero dizer que lá deve ter um lugar bem organizado para estudar com:

  • mesa ampla;
  • cadeira confortável;
  • boa iluminação;
  • boa internet;
  • silêncio.

Ainda, em casa, as refeições estão sempre ao seu alcance e você tem o aconchego familiar.

A sua casa só deixa de ser o melhor local de estudo quando há fatores limitantes como excesso de barulho (seja da rua ou das pessoas que você mora) ou conflitos nos relacionamentos.

Neste caso, a melhor solução é buscar outro lugar silencioso e organizado para estudar.

A biblioteca como local de estudo

Se a sua casa não for um lugar para estudar com paz, considere procurar a biblioteca mais próxima.

A dica da biblioteca é muito útil também para quem concilia os estudos para concursos com o trabalho.

Neste caso, se você trabalha até 17h ou 18h, e depois perde uma hora ou mais voltando para casa, devido ao rush, estude próximo ao seu trabalho.

Tente arrumar uma biblioteca e estude até o trânsito diminuir consideravelmente. 

Assim, você estudará com cabeça menos cansada e poderá estudar por mais tempo.

No entanto, voltando à situação anterior, a biblioteca também é uma boa alternativa para quem se dedica apenas ao estudo para concursos pelos seguintes motivos:

1. Você cria uma rotina e obrigação

Se você tem dificuldade de criar uma rotina dentro do ambiente da sua casa, a biblioteca é ideal para organizar seu cotidiano.

Isso porque você criará a obrigação de acordar, organizar seu material e deslocar-se até este local de estudo.

Dessa forma, seria uma rotina semelhante à de um trabalho e, aos poucos, você encarará os estudos com mais seriedade.

Não se esqueça de preparar seu almoço e lanches caso você pretenda passar o dia todo na biblioteca estudando.

2. Você espanta a preguiça

Em casa, há sempre uma tentação: sua cama tão aconchegante, alguém da família para conversar, seu cachorro/gato, o celular com Wi-Fi e mais.

Assim sendo, a biblioteca é um local de estudo que não deixa de ser confortável, mas que tira do seu alcance os gatilhos da preguiça.

O resultado, é claro, mais rendimento e concentração nas disciplinas que você vem estudando.

Leia também: Como aumentar a concentração?

3. Você foge do “já que”

É terrível, mas infelizmente é frequente o quanto as pessoas ao seu redor podem não levar a sério os seus estudos.

Sabe aquela boa e velha frase “você só estuda”? A lógica é mais ou menos essa.

O “já que” começa com “já que você está em casa, vá à padaria” e, assim, surgem vários outros pedidos de ajuda que acabam com o seu progresso nos estudos.

Dessa maneira, estudar na biblioteca é a garantia de que ninguém irá te designar tarefas que afetam completamente a sua evolução nos estudos.

Ainda assim prefere sua casa? Fuja dos obstáculos

Se você prefere estudar em casa (assim como fiz por muitos anos), você deve buscar driblar tudo aquilo que atrapalha seus estudos.

Assim sendo, aqui vão algumas dicas para fugir dos obstáculos da aprovação que você encontra em casa:

Conversas paralelas e barulho

Converse com seus pais, cônjuge ou companheiros para que evitem as conversas e as chamadas enquanto você estiver estudando.

Muitas vezes, eles podem fazer por carinho, como quando te chamam para almoçar. Entretanto, basta conversar com delicadeza e pedir que você mesmo gerencie seu tempo.

Cuidado com a TV

Uma das principais vilãs dos estudos para concursos é a televisão. Se você está acostumado a acompanhar toda a programação de um determinado canal, é hora de rever esse hábito.

É claro que, após um dia inteiro de estudos, você precisa relaxar. Portanto, se após um dia cheio de estudos você precisa se distrair, assista a algo como prêmio.

Devemos ter cuidado, entretanto, com programas que geram compromisso de horário – como novelas e futebol. Só um capítulo ou partida te tomam muito tempo.

Horas de sono

Eu sei que a vida toda você ouviu que dormir 8 horas por noite é o ideal para manter um alto índice de produtividade.

Mas tente aos poucos reduzir suas horas de sono. Se você vive para estudar – sem trabalho ou filhos –, acredito que 7 horas sejam suficientes.

Infelizmente, se precisa conciliar seu tempo com trabalho, casa e filhos, talvez seja necessário dormir um pouco menos.

Smartphone longe do local de estudo

Celular, mesmo sem notificações, é um dos grandes vilões dos estudos. Mesmo no silencioso ou no vibra call, ele é capaz de sinalizar notificações ou te deixar tentado a conferir.

Sendo assim, evite estudar grudado ao seu smartphone. Mantenha-o distante.

E quanto ao ambiente de estudo: Como organizar?

Definido se você estudará em casa ou na biblioteca, é hora de pensar nas particularidades que vão melhorar a qualidade do seu estudo.

Uma cadeira confortável, um suporte para livros e até mesmo um abafador de ruído para concurseiros podem aumentar e muito o seu desempenho.

Aqui no blog já preparamos um artigo completo sobre este assunto, não deixe de conferir: Organizando o seu ambiente de estudo.

Local de estudo definido? Agora é hora de foco total!

Seja em casa ou na biblioteca, após definir seu espacinho, é hora de se concentrar em seu plano e no ciclo de estudos para concurso. 

Para isso, separei mais uma dica: faça parte da nossa Liga da Aprovação da área de concurso que você escolheu.

Se você é um concurseiro de nível iniciante ao avançado, pode entrar para nossa Liga e diminuir o tempo que separa você da aprovação!

Não está conseguindo estudar para concurso público ou quer melhorar suas chances de ser aprovado? A Liga oferece o mais completo treinamento de como estudar para concursos

Em suma, os alunos da Liga da Aprovação têm direito a:

  • Tira-dúvidas individualizado;
  • seis meses de mentoria comigo;
  • atividades ao final de cada módulo;
  • descontos nos serviços de nossos parceiros e professores.

Botão no artigo "Local de estudo" para inscrição na Liga da Aprovação

Tenha um bom lugar para estudar, porque em breve os concursos virão. Você estará preparado?

Um abraço, Alexandre Meirelles.

Como passar em um concurso público em 2020?

O ano novo chegou e, com ele, aumentam as expectativas dos concursandos pela tão sonhada aprovação. Pensando nisso, eu preparei este artigo para te orientar sobre como passar em um concurso público em 2020.

Há diferenças de postura no estudo entre quem já se prepara para um edital aberto e para os concursados que aguardam ansiosamente uma notícia do concurso.

Assim sendo, com a minha vasta experiência no mundo dos concursos, vou elencar algumas dicas que vão te ensinar de vez como passar em um concurso público. Continue a leitura!

Você é daqueles que acha que o ano só começa depois do carnaval?

Existem dois tipos claros de pessoas: aquelas que começam o ano prontas para retomar os exercícios físicos, fazer dieta, estudar 8 horas líquidas por dia e mais.

Por outro lado, há aqueles que vão protelando, emendando o fim de ano com uma viagenzinha para a praia, com o carnaval e, só aí, começam a “cair na real”.

Dessa forma, associado à procrastinação, bate o desânimo ao ver os noticiários com péssimas notícias sobre os concursos, sobretudo com a austeridade do Ministro da Economia Paulo Guedes sobre a realização de novos certames federais.

De toda forma, seja lá qual for a sua postura, vou sugerir uma atitude essencial para quem deseja passar em um concurso público em 2020.

Um bom calendário é uma das respostas de como passar em um concurso público

Pegue um calendário trimestral, com foco no início de janeiro até as vésperas da Semana Santa, estipulando de 90 a 100 dias de estudo.

Prefira o modelo que tenha quadradinhos ou retângulos por dia em cada mês – você pode buscar um arquivo na internet e imprimir cada mês em uma folha.

Primeiramente, para definir a estimativa de horas de estudo por dia e, depois, por semana, mês e trimestre, trace seus compromissos diários para já subtrair essas horas.

Isso deve incluir consultas médicas, tempo dedicado aos filhos, aos exercícios físicos, ao trabalho e se você descansa aos sábados e aos domingos.

Depois disso, faça uma estimativa de quantas horas líquidas você consegue estudar a cada dia. 

Deve ser uma meta desafiadora – não tão alta que você não consiga cumprir, mas não tão baixa de forma que você acabe não dando conta do conteúdo.

Subtraindo os compromissos, é só somar o número de horas dedicadas aos estudos no período determinado e tenha o número de horas que você acredita que será capaz de estudar por trimestre.

A melhor alternativa para garantir o cumprimento das suas horas de estudo é estabelecer um ciclo de estudos.

O ciclo de estudos

Se você deseja saber como fazer um ciclo de estudos, leia o meu artigo Ciclo de estudos para concursos públicos | PARTE PRÁTICA

Quer um exemplo? Vamos supor que você definiu que irá estudar 300 HBCs até o final de março. 

Também vamos imaginar que você fez um ciclo de estudos de 20 horas de duração. Isso significa que, até o fim de março, você precisa dar 15 rodadas no seu ciclo.

Assim, se, no seu ciclo, você estuda 2 horas de português, ao final de 15 rodadas, no fim do trimestre, você terá estudado 30 horas de português. Faça essa estimativa por horas de cada disciplina!

Com a média de horas por disciplina por trimestre, você consegue dividir pela média de minutos/página e ter a ideia de quantas páginas irá estudar até o final do período definido.

Como passar em um concurso público em 2020? Cobre-se!

Não é que o preparo para os concursos públicos deva ser sua vida. É permitido, sim, ter um tempinho para tomar um chopinho, ver os amigos ou assistir à TV.

O problema é quando as escapadas do estudo são frequentes e essas recompensas são dadas após uma semana ou um dia de estudos “meia-boca”.

Aí está a importância em definir uma meta diária de estudos e, após cumpri-la, oferecer a si mesmo uma recompensa.

Pode ser uma hora de videogame, assistir a um ou dois episódios de uma série ou até mesmo comer um pedaço da sua sobremesa favorita.

No entanto, tudo o que você prometeu estudar deve ser cumprido à risca, garantindo assim a sua evolução no plano de estudos.

Além disso, só vale abdicar de estudar aos fins de semana caso você tenha uma semana extremamente empenhada com os estudos.

Lembrando que, principalmente para quem trabalha, sábados e domingos são dias ideais para começar matérias novas, pois a cabeça está mais fresca e há mais tempo para se dedicar.

Em suma, é importante ter consistência no estudo para concursos públicos. Logo, trate como um emprego, em que você não pode faltar e entrar e sair quando bem entender.

Importante: Dê continuidade aos trimestres

Finalizado o primeiro trimestre de estudos (janeiro, fevereiro e março), não se esqueça de definir o próximo trimestre!

Para saber melhor como organizar seus estudos por trimestre, leia o artigo “Metas de estudo para concurso: como defini-las da melhor maneira?”.

Não abandone as disciplinas que você tem dificuldade

Você não deve “varrer as sujeiras para debaixo do tapete”. Isso quer dizer que você não pode ignorar as disciplinas e assuntos que você apresenta mais dificuldade.

Se você apresenta dificuldades em disciplinas como Matemática e Estatística, por exemplo, enfrente-as. Portanto, nada de estudar apenas aquelas em que você é craque!

Isso porque – é óbvio – a prova não é feita apenas das disciplinas que você tem aptidão. E justamente as suas fraquezas que podem te reprovar por alguns pontinhos.

Dessa forma, diante das disciplinas que você tem dificuldade, procure ajuda, assista a aulas e dedique-se intensivamente.

Lembrando, sobretudo, que essa atenção deve ser redobrada para as disciplinas de Exatas, que, geralmente são aquelas em que os concurseiros frequentemente apresentam mais dificuldade.

Portanto, ao longo dos trimestres, diminua as horas do seu ciclo de estudos dedicada às disciplinas que você tem aptidão e aumente aquelas mais difíceis.

Lembrando que toda matéria é passível de ser aprendida! Não existe disciplina que é muito difícil, embora você tenha aptidão e preferências.

Dessa forma, cabe a você se esforçar e buscar suporte de aulas para alcançar o melhor desempenho possível e, consequentemente, a aprovação.

Para passar em um concurso público em 2020, suporte é fundamental!

Se você deseja ser aprovado em 2020, você também pode apostar em um suporte profissional completo, podendo tirar dúvidas em vários tópicos e dificuldades que você tem.

Para isso, você pode contar com a ajuda de uma mentoria, cujos profissionais irão ajudar a escalar seu desempenho antes da prova.

Assim sendo, eu mesmo ofereço uma aqui no Método de Estudo: A Liga da Aprovação.

A Liga da Aprovação é dividida entre diversas áreas, como Fiscal, Policial, Controle, Bancária e mais. Sempre oferecendo um acompanhamento próximo da qualidade do seu estudo!

Em suma, os alunos da Liga da Aprovação têm direito a:

  • Tira-dúvidas individualizado;
  • seis meses de mentoria comigo;
  • atividades ao final de cada módulo;
  • descontos nos serviços de nossos parceiros e professores.

Botão de inscrição na Liga da Aprovação no post "dicas para concursos"

Por fim, desejo um excelente ano para você e que essas tenham sido dicas úteis para passar em um concurso público em 2020.

Um abraço, Alexandre Meirelles.