Concursos estaduais e municipais valem a pena? Entenda!

Com o Decreto 9.739/19, que impõe uma série de critérios para a realização de concursos federais, muitos concursandos começaram a expandir seus horizontes e avaliar outras esferas. Neste contexto, de possíveis mudanças de foco, é normal você se questionar se vale a pena fazer concurso municipal e estadual.

Se você pensa em prestar um concurso federal pelos bons salários e status, saiba que, em muitos casos, concursos estaduais e municipais não deixam a desejar nem um pouco nesses aspectos.

Além do mais, os concursos estaduais e concursos municipais valem a pena, também, como concurso escada.

Isso é, aquele concurso que gerará renda e tranquilidade o suficiente para que você possa continuar estudando.

Se você está avaliando se  vale a pena fazer concurso municipal, continue a leitura. Separei alguns conselhos de como se organizar para estudar para concurso desse tipo, além de prós e contras dos certames.

Você sabia que eu trabalho no serviço público estadual?

Quase toda a minha carreira em serviço público foi em cargos estaduais ou municipais. Hoje, eu trabalho como Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo.

Fui  aprovado para Auditor Fiscal da Receita Federal em 2005 e, quatro meses depois, conquistei o cargo no estado de São Paulo e optei por ele.

Anteriormente, tive passagens pelo âmbito federal:

  • em 1985, atuei como Cadete do Exército, por dois anos;
  • em 1993, atuei como Técnico de Finanças e Controle do Ministério da Fazenda, também por pouco tempo.

Entretanto, na carreira Fiscal, área pela qual sou mais conhecido, os concursos estaduais e municipais sempre estiveram presentes. Já ocupei os cargos de:

  • Auditor Fiscal da Prefeitura de Belo Horizonte – MG, de 1995 até 2006;
  • Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo, de 2006 até hoje.

Leia também: O que faz um Auditor Fiscal? Saiba tudo sobre essa carreira!

Assim sendo, sou imensamente satisfeito com a minha carreira na Área Fiscal, tendo ela sido construída por meio de concursos da área fiscal estaduais e municipais.

Em suma, são 23 anos de carreira. Por isso, consigo garantir  se e quando vale a pena fazer concurso municipal  e estadual .

Quando o concurso federal demora, é interessante avaliar opções semelhantes

O maior erro de muitos concurseiros  é esperar, cegamente, por um concurso federal para o qual não há a mínima previsão de sair.

Como falei no artigo:Concurso federal: ainda vale a pena estudar para cargos deste nível?”,  se você está começando a estudar para concurso público , vale a pena persistir no seu alvo federal e continuar estudando, pois, daqui a alguns anos, quando o certame ocorrer, você estará “em ponto de bala” para ser aprovado.

Em contrapartida, se você já estuda há anos, está mais do que preparado e, se houvesse um concurso agora, brigaria por uma vaga, então que tal avaliar novas oportunidades?

Quando se está preparado e pronto para assumir o cargo, continuar estudando sem ter previsões do concurso pode ser até, emocionalmente, desgastante.

Portanto, o meu conselho é que você aproveite toda essa preparação com oportunidades semelhantes, que pagam tão bem e são tão prestigiadas quanto o concurso federal dos seus sonhos.

Se, por exemplo, você sonha em ser Fiscal e o concurso da Receita está longe, posso te afirmar que um concurso de ICMS ou ISS pode ser tão vantajoso quanto. Ademais, , neste período de “recessão” dos concursos fiscais, os estaduais e municipais continuam pipocando!

Saber identificar oportunidades como quando vale a pena fazer concurso municipal, estadual ou federal é um ponto importante da sua preparação, e isso só vai acontecer se você se preparar física e mentalmente, além de conhecer a fundo alguns macetes de concurseiros.

Um dos grandes macetes de concurseiros é o uso da tecnologia a favor da melhoria da eficiência de estudo, para isso indico o aplicativo Estudaqui. Ele irá facilitar muito a sua vida na hora de criar o seu plano de estudos perfeito (ou ciclo de estudo), além de te fazer aprender como organizar melhor o seu tempo, e muito mais.

Quando vale a pena fazer concurso municipal e estadual?

Afirmo  para muitos alunos que o momento é muito propício e que vale a pena fazer concurso municipal e concurso estadual.

Isso porque 2020 é o último ano de mandato das prefeituras, por exemplo. Em geral, se não houve concurso público ainda, é muito provável que o próximo governo lance um certame.

Leia também: Como escolher uma das áreas de estudos para concursos públicos?

O maior impasse dos concursos estaduais e municipais são as bancas

Em geral, costumo afirmar  que uma das maiores desvantagens dos concursos estaduais e municipais é a qualidade das bancas escolhidas.

Na maioria das vezes, os concursos federais  são comandados pelo Cespe, FCC, FGV, entre outras bancas conceituadas. Já os estaduais e municipais nem sempre têm esses privilégios.

Assim sendo, muitas vezes candidatos com alto nível de conhecimento são nivelados com outros não preparados, por conta de problemas como:

  • questões mal formuladas;
  • questões que deveriam ser anuladas, mas não são;
  • questões que cobram mais decoreba que conhecimento.

Mesmo assim vale a pena fazer concurso municipal e estadual, afinal,  quando uma banca é ruim, ela é ruim para todos. Assim sendo, você tendo um bom conhecimento e preparação, ainda tem grandes chances de sair na frente.

Concursos estaduais e municipais também te limitam geograficamente

É claro que um concurso federal possui inúmeras vantagens, dentre elas a possibilidade de trabalhar em qualquer lugar do país.

Assim, você tem a chance de:

  • trabalhar onde você está;
  • retornar para sua cidade/estado natal;
  • mudar-se  para outra localidade, na qual sempre desejou morar.

Em contrapartida, um concurso estadual te “obrigará”  a morar no estado para o qual você foi aprovado, assim como o municipal te mantém naquela cidade.

Eu, por exemplo, sou Fiscal do estado de São Paulo e, neste caso, eu devo permanecer em São Paulo, a não ser que eu preste outro concurso.

Concursos estaduais e municipais podem trazer mais qualidade de vida

Os concursos estaduais te limitam a certos estados e cidades, mas isso nem sempre significa algo ruim! Lembre-se porque você estuda para concursos: para ter uma vida mais confortável e mais qualidade de vida!

Se você tentar algum cargo em uma cidade do interior, seu custo de vida pode ser bem menor se comparado às capitais.

Isso, é claro, significa que seu salário será bem mais rentável – o aluguel é mais barato, a compra do mercado tem mais itens pagando menos e no final do mês o seu dinheiro vai acabar sobrando.

Ainda,  o tempo de locomoção em qualquer cidade do interior é menor do que o de uma capital.

Em muitos casos, você pode ir caminhando para o trabalho e aproveitar o ar fresco e a tranquilidade do interior. E também dá para pegar ônibus com mais agilidade.

O acesso a tudo é mais fácil, independente do horário. Você ainda pode, no horário de almoço, ir para casa e tirar um cochilo! rs

Além disso, no caso dos concursos municipais, por exemplo, por atenderem a pequenas populações, os órgãos municipais costumam ser ambientes mais calmos para se trabalhar.

Especialmente quando se  encontram fora da região metropolitana, o volume de trabalho também tende a ser menor. Essas são outras razões de porque vale a pena fazer concurso municipal!

Em alguns casos, a concorrência também é menor

Concurso de prefeitura vale a pena, assim como outros concursos municipais e estaduais,  também porque costumam ser menos almejados pelos candidatos. E, via de regra, recebem menos inscrições do que grandes concursos.

Logo, aumentam as chances de aprovação daqueles que se preparam para prestar o concurso público.

Se você não quer um concurso estadual ou municipal, pense neles como concurso escada

Ressalto  que concursos estaduais e municipais podem ser uma boa oportunidade de concurso escada.

O concurso escada é o nome dado a um concurso intermediário para aquele que você deseja ser aprovado.

Você pode buscar opções com uma jornada de trabalho reduzida, de 6 ou 7 horas diárias, o que te possibilitará ter mais tempo de estudo.

Além disso, o cargo assumido gera uma renda que vai custear materiais de estudo para concurso, livros, cursos e despesas pessoais enquanto você estiver estudando para o concurso final almejado.

Isso, é claro, ajuda a diminuir a pressão familiar pelos resultados. Assim é possível ter tranquilidade para estudar, pois as contas são pagas sem sufoco.

Concursos estaduais e municipais também exigem preparação

É importante destacar que, mesmo que você troque um concurso federal por um estadual ou municipal, seu empenho deve ser mantido.

Dessa forma, seja lá qual for o concurso, mantenha-se focado na aprovação:

  • procure antigos editais;
  • planeje seus estudos;
  • faça simulados;
  • dedique-se diariamente.

Você pode contar também com a experiência de grandes profissionais do mercado para te ajudar na aprovação.

Aqui fica uma dica para você: o aplicativo Estudaqui! O Estudaqui é uma ferramenta de estudo de alto desempenho, simples e acessível. Conheça e ganhe tempo de qualidade na sua preparação.

O aplicativo Estudaqui permite que cada aluno desenvolva seus estudos de maneira única e personalizada. Suas principais funcionalidades são:

  • ciclo de estudo realmente perfeito;
  • controle de estudo mais inteligente;
  • estatística inteligente e desenvolvimento real;
  • importação do histórico de estudo.

A experiência do time da Estudaqui irá  ajudá-lo a alcançar seu sonho!

Em resumo, acredito que vale a pena fazer concurso municipal e estadual, sim! Mas essa é uma decisão que varia de acordo com seu tempo de estudo, exigências salariais, moradia e mais.

Por fim, se você tem qualquer outra dúvida sobre concursos estaduais e municipais, compartilhe comigo nos comentários.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

Como voltar a estudar para concurso público após um tempo parado?

Concurso público é um projeto repleto de desafios, que requer tempo, determinação, resiliência e investimento financeiro. Após algumas reprovações, é normal ter a confiança abalada e “abandonar o barco por uns tempos”. No entanto, quando o interesse pela carreira pública é retomado, muitos se perguntam como voltar a estudar para concurso público.

Mesmo com a autoestima abalada ou por outros motivos que o levaram a se afastar dos estudos, não desista do seu sonho! É importante que você se lembre, constantemente porque estuda para concurso público.

A carreira pública pode lhe trazer estabilidade financeira e, sobretudo, realização profissional. Logo, seus esforços, uma hora ou outra serão recompensados.

No entanto, como voltar a estudar para concurso público varia de acordo com o tempo de afastamento.

Se o período longe dos livros corresponder a meses, uma  ideia é aprender, ou reaprender, como fazer uma revisão para concurso. Essa pode ser a solução dos seus problemas, principalmente se você tem mapas mentais para estudo criados anteriormente. No entanto, se você já contabiliza anos, é hora de se atualizar.

Neste artigo, daremos algumas dicas sobre como voltar a estudar para concurso público após um tempo parado.

Não estudo para concursos públicos há meses – como retomar o ritmo?

Você não ganhou na mega-sena, nem foi um talento descoberto pela rede globo e, muito menos, viu seu cônjuge enriquecer. O que fazer para retomar o ritmo dos estudos para concursos públicos?

Brincadeiras à parte, neste processo de como voltar a estudar para concurso público, é hora de ter foco e reconhecer, novamente, o seu principal objetivo.

Mentalize quais são seus objetivos com a carreira pública e, principalmente, qual é a área desejada.

Como você está há pouco tempo afastado dos estudos, é possível que já tenha uma área ou concurso em mente e até mesmo materiais atualizados para estudar.

Antes de tudo, não espere o edital ser publicado para voltar a estudar. O tempo entre a publicação do edital e a prova é curto e muitas matérias precisam ser vistas. Além disso, muitos concorrentes já estão estudando. Por isso comece logo e aproveite o período pré-edital.

É importante que você se dedique às estratégias de como se concentrar nos estudos para concursos e volte com gás total!

Prepare-se com antecedência. Sorte é você estar pronto quando a oportunidade aparece.

Com foco, é hora de ir fundo nas revisões!

Definido com clareza o concurso público que você irá prestar, é hora de retomar o seu ciclo de estudos para passar em concurso público.

Primeiramente, é necessário avaliar todo o conteúdo que você estudou até então e buscar nivelar o seu conhecimento no assunto.

Se, em uma passada de olhos no conteúdo, você perceber que não se lembra de praticamente nada, o ideal é estudá-lo novamente.

No entanto,  voltar a estudar para concurso público  não significa dedicar todo o tempo anterior à disciplina – como você já teve um primeiro contato com o conteúdo, você certamente terá melhor desempenho – mas deverá revisar com efetividade o conteúdo.

Quando você já é, pelo menos, familiarizado com o assunto, você lerá mais rapidamente e irá compreender com facilidade o assunto.

Se, ao percorrer os olhos, você notar que ainda possui certo domínio do assunto, embarque em uma revisão repleta de exercícios.

Para você saber exatamente o que fazer com cada conteúdo quando voltar a estudar para concurso, indicamos a leitura do artigo;Como revisar uma matéria que já foi estudada para concursos?”.

Não se esqueça de revisar a teoria, os exercícios propostos no material e, sobretudo, busque resolver questões de concursos públicos anteriores .

No entanto, lembre-se que revisar o conteúdo e chegar ao nível de aprendizado anterior pode demorar até alguns meses.

Se você ainda tem dúvidas sobre como voltar a estudar para concurso público usando as técnicas de revisão de matéria, indicamos a leitura do artigo;Revisão para concurso: posso fazer só exercícios?”. Ele te ajudará a ter uma visão ainda mais clara sobre todo o processo.

Voltar aos estudos é como uma preparação para uma Olimpíada

Outro aspecto importante a levar em consideração ao se dedicar a como voltar a estudar para concurso público é  a ideia de que o seu trabalho é similar ao de um atleta.

Isso quer dizer que requer treinos constantes para melhorar a capacidade de aumentar a concentração e intensificar a memorização dos estudos.

Como você se sente ao ir à academia durante três meses, com muita dedicação, e depois suspender por seis meses? Imagino que os resultados se perderiam e o treino voltaria praticamente ao zero.

O mesmo acontece com a sua preparação para concurso. A continuidade leva ao aprimoramento! Por isso, é importante que você siga as dicas de como voltar a estudar para concurso público, assim como seguiria as orientações de um personal trainner.

Estou parado há anos! E agora, como voltar a estudar para concurso público?

Como voltar a estudar para concurso público é um questionamento que muitos concurseiros se fazem.

Alexandre Meirelles (guru de concursos) relatou que parou de estudar para concursos públicos em 1995 e, apenas em 2005, voltou a estudar para prestar o concurso para Auditor-Fiscal da Receita Federal e depois para Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo.

Ele relata também que naquele ano precisava concluir as disciplinas do seu mestrado. Portanto, dedicou o primeiro semestre do ano a terminar o conteúdo do mestrado, enquanto buscava dicas de como estudar para  concursos, participava de fóruns sobre concursos na área fiscal e procurava os melhores materiais pelos quais deveria estudar.

Após selecionar todas as informações necessárias e concluir com as obrigações do mestrado, ele estava preparado para ter uma rotina de estudos para concursos.

Para retomar os estudos, é necessário ter foco

Dessa forma, a primeira dica que damos para você que está parado há muito tempo é: evite o “efeito metralhadora” e escolha uma área ou certame aos quais você se dedicará.

Se você ainda não sabe qual concurso escolher  é preciso ver o tipo de atividade, a faixa salarial e outros aspectos, para fazer uma escolha consciente.

Definido seu foco, é muito mais fácil escolher os materiais atualizados para voltar a estudar e definir o que deve ser revisado e o que precisa ser estudado novamente.

Procure saber quais são os melhores materiais – se for da área Fiscal, por exemplo, baixe nossa bibliografia para concursos da área fiscal. O mesmo vale para a área policial.

Se deseja prestar Tribunal ou outras áreas, entre em uma comunidade, comece a ver dicas, materiais e não compre o primeiro material que você encontrar – escolha com consciência.

Com o material atualizado em mãos, é hora de ir fundo nos estudos. Monte o seu ciclo de estudos e, aos poucos, estude as disciplinas que você mais se lembra por revisões e exercícios.

Para montar seu ciclo de estudos automaticamente você pode contar com o aplicativo Estudaqui. Com ele você só precisa colocar o concurso para o qual deseja se preparar e definir seu nível de facilidades pessoais em cada disciplina. Conheça já o Estudaqui.

Não exija muito de você nas primeiras semanas!

Assim como quem não estuda há poucos meses, você pegará o ritmo de estudos aos poucos. Calma e foco são parte fundamental do processo de como voltar a estudar para concurso público.

Se há alguns anos você estudava oito horas por dia, não adianta tentar engatar esse ritmo logo no primeiro dia de estudos – parte do processo de aprender como voltar a estudar para concurso público é entender que sua rotina  não retornará assim tão fácil.

Retome seus estudos aos poucos, sem desânimo. Com o tempo, você perceberá que, mesmo anos longe dos livros, terá um desempenho mais rápido do que quem nunca viu o conteúdo.

5 dicas de como voltar a estudar para concurso público com eficiência

Além dos conselhos acima sobre como voltar a estudar para concurso público, podemos citar cinco comportamentos que são muito úteis para retomar o ritmo de estudos, após ficar afastado por meses ou por anos. Confira!

1. Respeite seu limite

Não pense em compensar o período que ficou sem estudar com maratonas de estudo ou acelerar os estudos abruptamente.

Em vez disso, é recomendável realizar descansos regulares, que são essenciais para não comprometer a sua capacidade de reter informações.

2. Evite distrações

O seu tempo livre você pode dedicar para jogos, redes sociais e televisão, mas agora que voltou à sua rotina é necessário ter disciplina para alcançar suas metas.

Lembre que o período dedicado ao plano de  estudos para concurso deve ser respeitado e longe de qualquer distração.

3. Nova rotina

Voltar à sua rotina de estudos não significa que deve fazer tudo da mesma forma que fazia antes.

Busque implementar um ciclo de estudos, encontrar o melhor horário para você estudar e até fazer atividades físicas para melhorar sua qualidade de vida e, consequentemente, a capacidade de absorver conteúdo.

4. Objetivos

Estudar para concursos exige dedicação e, por isso, você deve ter metas de estudo para concurso diárias .

Cumprir um  plano de estudos para concurso  é fundamental para que os conteúdos que são exigidos nos editais sejam assimilados de forma integral.

5. Recompensas

Para não desanimar no meio do caminho e se concentrar em como passar em concurso público, estipule pequenas metas e recompense-se ao cumprir cada uma delas.

Essa é uma boa maneira de premiar seu esforço nos estudos e, aos poucos, fazer com que você aumente sua jornada.

As recompensas não precisam ser grandiosas e podem ser um jantar com os amigos ou uma hora jogando seu jogo favorito.

Com as energias positivas renovadas, mantenha o foco e a determinação em um só objetivo nos próximos meses: passar em um concurso público!

Após uma seca de editais, os concursos públicos virão a todo vapor. Vá à luta e busque a sua aprovação.

Para otimizar sua volta aos estudos, nessa fase, é recomendável que você busque ajuda de aplicativos e ferramentas que vão te ajudar a “dar um gás” em sua preparação.

Como indicamos acima, uma dessas ferramentas é o aplicativo Estudaqui. Em poucos minutos ele monta um ciclo de estudos personalizado, automaticamente. 

Todas as dicas desse artigo funcionam em conjunto com as funcionalidades que o Estudaqui disponibiliza a seus usuários.

Com um só clique você seleciona a prova que você fará, e com apenas mais um clique organiza toda a sua rotina dentro do modelo de ciclo de estudos, recomendado neste artigo, considerando a sua facilidade PESSOAL em cada disciplina. 

Ressaltamos que o plano de estudos criado é eficiente, personalizado e atende às suas necessidades. Com ele você sabe como, quando e o que estudar. 

Além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Ficou interessado? Acesse o site e conheça mais sobre o App. Você economiza muito tempo e otimiza muito o seu estudo.

Uma abraço, e bons estudos!

Como estudar TI para concursos das áreas Policial e Fiscal?

Como estudar TI para concursos tornou-se uma grande preocupação para candidatos das áreas Policial e Fiscal.

A matéria ganha complexidade em grandes provas, como de vários fiscos do nível estadual e do concurso da Polícia Federal. Neste cenário, como estudar TI para concursos de forma eficiente?

Leia também: Qual a idade máxima para entrar na polícia federal?

Fato é que muitos candidatos se acostumaram a olhar TI como uma disciplina secundária, que pode ser estudada até mesmo em fase pós-edital, se necessário.

Para se ter uma ideia, no último edital da Sefaz SC, um dos fiscos mais concorridos do país, o peso da matéria de TI foi equivalente ao dobro do peso de Direito Constitucional e de Direito Administrativo somados.

Dessa forma, é essencial entender que TI chegou para ficar.

O trabalho de Fiscal e o de Policial (sobretudo o Federal), está cada vez mais ligado à análise de complexas bases de dados.

Uma das formas de se manter atualizado sobre a preparação adequada para cada certame, de acordo com as áreas de concursos públicos para as quais você se dedica, é acompanhando os artigos publicados no site do aplicativo Estudaqui.

Para  discutir mais sobre como estudar TI para concursos convidamos o professor Deodato Neto, especialista em TI há mais de 20 anos e professor de cursos para concursos. Confira!

Como estudar TI para concursos? Comece focando nas provas anteriores

O professor Deodato Neto começa reforçando que, hoje, a disciplina de Tecnologia da Informação já tem muita importância para os cargos das carreiras Policial e Fiscal.

Entretanto, segundo ele, a forma de como estudar TI para concurso é relativa: “banco de dados é assunto de cinco anos de faculdade – é muita coisa. Por isso, os concursos focam mais em aspectos mais básicos”.

Dessa forma, o conselho de Deodato é estudar bastante pela resolução de questões de concursos públicos anteriores.

“Quando você pega para analisar concursos fiscais, você vê que não costumava cair conteúdos muito pesados, caíam Word, PowerPoint, Office e Internet, hoje já há a preocupação com a segurança da informação e, principalmente,o conteúdo de banco de dados”, destaca Deodato.

Assim sendo, ao estudar por meio de provas anteriores, dê atenção especial às questões de banco de dados – essa é a aposta de Deodato para ser o conteúdo mais cobrado em TI, seja lá qual for o certame.

E como estudar banco de dados?

“Banco de dados é um conteúdo muito grande, mas tem conceitos básicos, recorrentes em 30% e 40% da prova de TI”, alerta Neto.

A incidência desse assunto é explicada pela relevância do uso de banco de dados por um fiscal, por exemplo.

Isso porque, atualmente, nós produzimos no mundo cerca de dois terabytes de informação por ano. Hoje o Fiscal precisa ter o know-how de banco de dados porque toda empresa tem seus dados e informações.

Logo, a Receita Federal trabalha com uma estrutura denominada Big Data, que são grandes bases de dados, que por meio da mineração de dados consegue cruzar informações e tirar conclusões.

Dessa forma, para estudar banco de dados, por exemplo, para concursos da Receita Federal,  o aluno deve marcar no edital os conceitos básicos de TI, sobretudo os que envolvem banco de dados, e dar uma atenção especial a eles.

Comandos de SQL também merecem atenção

Além dos conceitos básicos de banco de dados, se dedicar em como estudar TI para concursos também engloba comandos de SQL.

Alguns dos exemplos dos comandos de SQL são insert, delete, update e select.

“Primeiro, ajuda você ter uma base de inglês para entendê-los, pois todos são nessa língua”, aconselha Deodato.

Tendo noções do idioma, o próximo passo é a prática – fazer muitas questões sobre o tema e revisar. Além disso, instalar um SQL no computador e praticar também facilita.

Cobit, ITIL, ISO, Pmbok… como estudar isso tudo também?

Muitas pessoas que estudam TI para concursos precisam fazer um comparativo entre os frameworks Cobit, ITIL, ISO, Pmbok e mais.

Entenda, por alto, o que direciona cada uma dessas siglas:

  • Um sistema de gestão baseado na ISO 9000 auxilia a empresa a trabalhar em uma estrutura de gestão por processos.
  • O PMBOK auxilia os profissionais de projetos a gerenciarem os programas e projetos da empresa com qualidade.
  • O COBIT estabelece objetivos de controle que servem como base para medir a maturidade e conformidade de TI com o negócio.
  • O ITIL é usado nas melhores práticas no gerenciamento de serviços de TI.

Como cada um desses frameworks conta com uma teoria pronta a respeito, infelizmente, o jeito é aprender na decoreba.

É claro que os nomes assustam, mas garantimos que, lendo com atenção e desenvolvendo questões, você percebe que não são conceitos mais difíceis do que os que você estuda em Contabilidade, por exemplo.

Leia também: O que estudar para concurso público na área Fiscal?

Estude também pela cara da banca

Ao estudar TI para concursos por meio de provas anteriores, é ideal que você prefira aquelas feitas pela banca organizadora de concurso responsável pela sua prova.

Isso porque a “cara das questões” de TI muda bastante de uma banca para a outra.

“O Cespe possui uma ideologia voltada mais para a teoria, já a FCC cobra mais a prática, com uma linguagem de programação mais pesada”, exemplifica Deodato.

Assim sendo, dedique-se ao estilo de prova da sua banca, pois assim seu aprendizado em TI será muito mais otimizado.

Saber como estudar TI para concursos pode ser seu diferencial

Nas disciplinas básicas como Direito Constitucional, Direito Administrativo, Língua Portuguesa e outras é essencial você dominar para que tenha chance de ser aprovado, mas isso todo bom candidato faz.

Dessa forma, destacar-se em TI pode ser o diferencial para que você alcance melhores resultados.

Isso porque, aos poucos, essa disciplina vem se tornando o “calcanhar de Aquiles” de muitos candidatos, já que vem sendo mais exigida.

Assim sendo, quase ninguém possui uma base densa de anos estudando TI. Logo, está na hora de você encarar essa disciplina e ficar craque nas questões.

Anote essa dica de como passar em concurso público e depois conta para a gente se ela funcionou!

Ainda não está craque nas disciplinas básicas? A gente te ajuda!

Tão importante quanto saber como estudar TI para concursos policiais e fiscais, é ter uma base bem consolidada em outras disciplinas da área.

Dessa maneira, além de um material de estudo para concurso de qualidade e um bom curso, recomendamos também o aplicativo Estudaqui fará toda diferença no seu aprendizado.

Isso porque, o Estudaqui permite que cada aluno desenvolva seus estudos de maneira única e personalizada. Suas principais funcionalidades são:

  • ciclo de estudo realmente perfeito;
  • controle de estudo mais inteligente;
  • estatística inteligente e desenvolvimento real;
  • importação do histórico de estudo.

Se você quer otimizar o seu tempo para estudar TI e outras disciplinas, o Estudaqui é o aplicativo certo para você.

Quero me inscrever e aproveitar as vantagens da Liga da Aprovação

No site do professor Deodato Neto, você também tem acesso a cursos ensinam como estudar TI para concursos. Confira!

Ainda tem alguma dúvida sobre como estudar TI para concursos policiais e fiscais? Compartilhe conosco nos comentários.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

Noções de informática para concurso: o que preciso aprender?

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo e ouça esse conteúdo sobre noções de informática para concurso!

Hoje em dia, todos sabem utilizar computadores. Afinal, passamos muito tempo nas redes sociais, mandamos e-mails o tempo todo e estamos sempre na internet. Mas isso significa que temos o que é preciso para passar na prova de noções de informática para concurso? Nem sempre.

Por isso, é preciso incluir a matéria em seu plano de estudos para concurso  e se dedicar muito. 

Caso você esteja usando um aplicativo, como o Estudaqui, para montar seu ciclo de estudo, basta inserir a prova que irá prestar. O app inclui automaticamente cada disciplina e as divide em blocos de tempo. 

Hoje, vamos dar algumas dicas para você se preparar para essa prova da melhor maneira possível e mostrar todo o seu conhecimento sobre Noções de informática para concurso.

Salientamos que neste post comentaremos somente sobre noções de informática para concurso, mas vários certames cobram conhecimentos que vão muito além disso, que compõem uma disciplina chamada Tecnologia da Informação, que muitas vezes se confunde com a de noções.

Se esse é o seu caso indicamos a leitura do artigo: Como estudar TI para concursos das áreas Policial e Fiscal?”. 

Continue a leitura e bons estudos!

Por que estudar Noções de informática para concurso  é diferente de estudar outras matérias?

Quem precisa estudar noções de informática para concurso pode acreditar que poderá fazer isso como se estuda qualquer outra matéria – Português e Matemática, por exemplo: 

Entretanto, o volume de materiais e a forma de se preparar para cada disciplina pode variar, de acordo com a organização de cada conteúdo. 

Para maior compreensão sobre esse tema, indicamos a leitura do artigo: Material de estudo para concurso público: pare de acumular apostilas!”. 

Voltando às Noções de Informática para concurso, é possível, sim, fazer isso com a ajuda de PDFs, livros e videoaulas disponíveis na internet

O problema, no entanto, é quando nos deparamos com as questões da prova.

Imagine que, entre os assuntos cobrados no concurso, está Excel 2013, e você estuda tudo o que pode sobre o assunto. Então, você vai atrás de provas antigas e erra as questões porque elas foram elaboradas de acordo com o Excel 2007, e não o 2013.

O caso é que tecnologia é algo muito dinâmico. Todos os anos são lançados novos aparelhos e programas que, rapidamente, substituem os antigos. 

Isso faz com que noções de informática para concurso seja uma matéria que fica obsoleta muito mais rápido do que as outras.

O que você pode fazer para ainda estudar questões de concursos públicos  passados como parte do seu plano de estudo é conferir as respostas e pesquisar para descobrir se nada mudou com as novas tecnologias. 

Use as provas anteriores de Noções de informática para concurso também como um guia para saber quais são os assuntos mais tratados nesta matéria.

E não pense que estudar as tecnologias mais recentes possíveis já dá conta do recado: podemos estar em 2018 e a prova cobrar algo que foi lançado em 2015. Nunca deixe de conferir o edital de concurso para saber exatamente o que estudar.

Entretanto, não é necessário esperar o edital ser divulgado, para começar sua preparação. Quer saber como fazer isso? Acesse o artigo: Como estudar sem edital publicado em 3 passos simples”. 

Observação: Após a liberação do edital, é fundamental que você confira, com atenção, seus direcionamentos.

Dicas como essas são valiosas para ajudar você a garantir uma vaga no concurso dos seu sonhos.

Como estudar noções de informática para concurso?

Noções de informática para concurso

Tanto o uso de materiais teóricos, quanto o de aparatos tecnológicos a seu favor são bem-vindos na hora de estudar para a prova de noções de informática.

 

Agora que você já sabe que estudar Noções de informática para concurso não é como estudar outras matérias, deve estar curioso sobre como  se preparar para essa etapa da sua prova. 

O estudo para as questões de concurso sobre informática não pode ser baseado apenas em teoria e nem apenas em prática. 

Mesmo que você esteja acostumado a mexer em computadores, é importante consultar materiais teóricos e fazer deles a base para o seu plano de estudo.

Na parte teórica, você pode usar:

  • livros;
  • PDFs especializados;
  • manuais de programas e ferramentas;
  • aulas online e mesmo o método do seu curso preparatório para estudar.

A parte prática deve ser diretamente no computador, usando alguns programas, como o Internet Explorer e o pacote Office, para fixar o que você aprendeu.

Assuntos recorrentes na prova de noções de informática para concurso

Não é possível prever com certeza quais são os tópicos que vão cair em um determinado concurso público. Por isso, é importante consultar o edital e preparar seus estudos a partir dele.

No entanto, alguns tópicos são mais recorrentes e, estudando a partir deles, você pode construir um bom conhecimento básico em informática que vai facilitar seus estudos e aumentar suas chances de ir bem na prova.

A seguir listamos alguns desses tópicos.

Sistemas operacionais

O sistema operacional é, em resumo, o que faz um computador ou dispositivo funcionar. Ele serve como um administrador geral dos recursos da máquina. Em celulares, por exemplo, temos sistemas como Android e iOS.

Mas o que cai nas provas de concurso são os sistemas operacionais de computadores: Windows, que é o mais utilizado em repartições públicas e em computadores pessoais, e Linux, um sistema gratuito.

As provas de noções de informática para concurso costumam cobrar:

  • o conceito de sistema operacional;
  • as características de cada um;
  • os procedimentos práticos para realizar tarefas em cada um deles.

Aplicativos de escritório

Processadores de texto, editores de planilha e editores de apresentação são os aplicativos de escritório que costumam cair na prova.

Você deve conhecer os aplicativos de dois sistemas operacionais:

  • Windows (Microsoft Office: Word, Excel e PowerPoint);
  • Linux (LibreOffice: Writer, Calc e Impress, respectivamente).

Ainda que o uso do Windows seja mais comum, não é impossível que caiam questões sobre Linux na prova. 

Mais uma vez, fique de olho no edital e estude o funcionamento desses programas.

Navegadores

Navegadores são programas que possibilitam que você acesse a internet. Alguns dos mais populares são:

  • Internet Explorer;

 

  • Google Chrome;

 

  • Mozilla Firefox.

Eles são os que mais são cobrados na prova de noções de informática para concurso.

Utilização de e-mail

Também chamado de “correio eletrônico”, o e-mail é um serviço digital que possibilita o envio e recebimento de mensagens. 

Os e-mails são oferecidos por provedores, e os mais populares do mercado, hoje em dia, são o Gmail e o Yahoo.

O e-mail também funciona como uma identidade digital, permitindo que você se cadastre em lojas, redes sociais e sites variados.

Para a prova, você deve conhecer esses conceitos e saber como utilizar as ferramentas disponíveis nos e-mails.

Segurança e proteção

Entender conceitos básicos de segurança na internet é muito importante para esse tipo de prova. Procure entender e diferenciar conceitos como:

  • vírus;
  • worm;
  • Cavalo de Troia;
  • firewall;
  • antivírus.

Vocabulário e atalhos

Compreender o vocabulário utilizado pela informática não apenas ajuda a responder questões da prova, mas também a interpretá-las.

Mesmo que cada programa tenha suas peculiaridades, alguns atalhos sempre permanecem. Por exemplo, as teclas control e B, quando pressionadas ao mesmo tempo, ativam a função “salvar” em quase todos os programas.

Procure entender o linguajar técnico básico para não se perder na hora de ler as questões e errar alguma coisa fácil só por não conhecer o vocabulário.

4 dicas gerais para a prova de Noções de Informática para concurso

  1. Não pense que saber mexer em um computador é o suficiente para ir bem no concurso. Mesmo que você tenha formação na área, estude como fará para todas as outras matérias. Muitas coisas que fazemos no dia a dia já estão no piloto automático e não sabemos explicar como elas funcionam. Esse é um risco que você não pode correr na hora da prova.
  2. Não se apegue demais aos atalhos. Você precisa conhecer o básico, mas computadores têm atalhos para quase tudo. Se você decidir decorar todos os atalhos, vai gastar seu tempo de estudo em uma tarefa que pode não levar a nada.
  3. Não confie em tudo o que está na internet. Qualquer um pode escrever um manual para utilizar determinado programa, e nem sempre vai fazer isso bem. Procure por materiais confiáveis, sites renomados e manuais específicos dos criadores.
  4. Leia o edital. Essa é, provavelmente, a dica mais importante desse post: se você não ler o edital, não tem como saber o que cairá na prova. A tecnologia está em constante mudança e o conteúdo não é muito previsível. Sempre revise o edital e faça seu plano de estudo de acordo com ele.

Agora, você já sabe o que precisa aprender para a prova de Noções de Informática para concurso e pode começar a se preparar da melhor maneira!

Uma das formas mais eficientes de estudar para concurso é adotar o modelo de Ciclo de Estudos, uma metodologia criada por Alexandre Meirelles que já aprovou muitos concurseiros em variados concursos. 

Como afirmamos no início do artigo, o aplicativo Estudaqui oferece um conjunto de funcionalidades que permite você montar seu ciclo de estudos personalizado de acordo com a prova e com as facilidades que você tem. 

Em poucos minutos você monta um plano de estudo que se encaixa perfeitamente na sua rotina e permite que você aproveite todo o tempo disponível.

Com um só clique você seleciona a prova que fará. E com outro clique tem toda a sua rotina dentro do modelo de ciclo de estudos, considerando a sua facilidade PESSOAL em cada disciplina.

O plano de estudos criado é eficiente, personalizado e atende suas necessidades. Com ele você sabe como, quando e o que estudar. 

O App também possui a funcionalidade de controle para que você possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e o quanto falta para terminar um ciclo. 

E isso não é tudo,  há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Conheça mais sobre o Estudaqui. Você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo.

Um abraço, e bons estudos!

Como estudar atualidades para concurso público com eficiência?

A disciplina de Atualidades se faz cada vez mais presente em concursos públicos. Por ser um conteúdo amplo e dinâmico, muitos concursandos têm dúvidas sobre como estudar Atualidades para concurso público.

A primeira impressão que muitos candidatos têm ao estudar Atualidades é de que não há um escopo definido. Isso, é claro, dá a sensação de que qualquer coisa pode aparecer na prova.

De fato, há provas que apresentam questões que fogem de assuntos de grande interesse público.

Exatamente por isso alguns concurseiros não sabem como se organizar para estudar para concursos que contém essa disciplina no edital.

Essa é uma preocupação válida, mas que tem respostas bastante simples. Afinal, é possível aprender como montar um ciclo de estudos que inclua algum tempo de dedicação à prova de Atualidades de maneira eficaz, focada na otimização de seus resultados.

Alexandre Meirelles relata que quando prestou o concurso para Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo, em 2006, deparou-se com uma questão que perguntava qual era a profissão de um artista que tinha feito uma exposição em São Paulo em 2006. E ainda outra que perguntou do que tratava o livro “Grande Sertão Veredas”, de 1956. Parece pegadinha, né?

No entanto, nem sempre os certames irão incluir questões surreais. Há uma forte tendência a surgirem perguntas que tratam de temas relevantes dos âmbitos social, político e econômico.

Não importa se o seu concurso é da área fiscal, jurídica ou bancária: cobrar atualidades é uma forma das bancas filtrarem a concorrência. Exatamente por essa razão o tema deve estar contemplado em seu plano de estudo.

Defina a área do concurso que irá prestar

Dedicaremos algumas linhas à escolha da área de concurso público que você fará. É importante que você conheça cada uma delas um pouco mais profundamente para entender em qual delas seu perfil se encaixa melhor. 

Ainda com relação às dicas de como estudar atualidades para concurso público, separamos algumas muito úteis para você saber como estudar atualidades para concurso público. Confira!

Fuja de fofocas – temas de Atualidades devem ser relevantes!

Ao estudar para um concurso público, saiba que em Atualidades nem todas as notícias poderão ser cobradas.

Comumente, as provas de atualidades têm certa recorrência de tratar dos principais temas nacionais e internacionais em debate, ou seja, que ocupam importante espaço midiático.

Dessa forma, fofocas, vida de personalidades, futebol, novelas e curiosidades têm pouco valor de prova.

Por isso, a primeira dica para quem deseja aprender como estudar para Atualidades é evitar trivialidades que podem tomar seu precioso tempo de estudo. Concentre-se em temas relevantes nos âmbitos social, político e econômico.

Além de ter boa noção dos principais assuntos de grande importância nacional e mundial, é importante saber se posicionar e propor soluções viáveis, o que é muito cobrado geralmente em provas de redação para concurso público.

Não recomendamos assistir a telejornais e ler revistas semanais

Quando a questão é como estudar atualidades para concursos públicos, se há uma recomendação recorrente é assistir a telejornais e ler revistas semanais como Veja, Época e IstoÉ.

No entanto, não acreditamos que acompanhar esses veículos seja a melhor alternativa para estudar atualidades.

Quando você está estudando para concurso, economizar tempo de estudo é uma prioridade.

Telejornais e revistas costumam trazer temas que, muitas vezes, são triviais e podem acabar roubando o tempo de estudos.

Além disso, esses canais podem acabar por expor, em detalhes, uma determinada temática, mas para fazer a prova você só necessita de conhecimentos básicos sobre o fato ou assunto.

A única revista que recomendamos é a de Atualidades, da Editora Abril, dedicada a estudantes que irão prestar vestibulares.

A revista aborda apenas temáticas de grande apelo nacional e internacional, trazendo detalhes que podem ser úteis em redação, bem como resumos que podem ser usados para entender os aspectos essenciais sobre cada assunto e cada conteúdo para concurso público.

A revista é publicada semestralmente e pode ser comprada nas bancas e livrarias por, em média, R$25,00.

Essa dica é valiosa para você que está em busca de soluções para organizar o tempo de estudo, otimizando as horas que tem, sem com isso perder em qualidade durante a preparação. 

Como estudar atualidades para concurso público em 6 passos

Agora que você entende a importância de estar antenado para prestar um certame, daremos dicas importantes de como estudar atualidades para concurso público. Olha só!

1. Leia a revista Atualidades, com foco nos resumos

A revista Atualidades, da editora Abril, aborda uma série de conteúdos relevantes, em reportagens extensas, que chegam a até sete páginas. 

Dessa forma, ler a matéria na íntegra também pode afetar o tempo de estudo que você possui disponível. 

Portanto, recomendamos que você leia o resumo presente ao final de cada matéria, que auxiliará você a se situar sobre a temática.

Se você está em busca de novas soluções para organizar sua rotina, leia o artigo; “Organize seu tempo com uma planilha de estudos para concurso”.

Uma outra solução é usar aplicativos para organizar estudos. Eles tornam a gestão do tempo mais eficaz e permitem que você monte um ciclo de estudos perfeito, sem grandes dificuldades. 

O Estudaqui, por exemplo, cria um ciclo de estudos com as matérias divididas em blocos de tempo de maneira personalizada e automática, de acordo com o concurso que você irá prestar e considerando suas facilidades pessoais. 

Isso quer dizer que o app irá indicar quanto tempo será necessário para você estudar Atualidades, caso caia na sua prova. Além das outras matérias. 

Voltando à revista, em geral, o box de resumo apresenta os envolvidos nos fatos, a questão política, social ou econômica em voga e a principal discussão sobre o acontecimento. 

A leitura do resumo é suficiente para sua preparação, uma vez que os certames dificilmente cobram detalhes nas questões de Atualidades.

2. Procure fontes confiáveis

A vida de concurseiro é bem corrida, sobretudo a de quem trabalha e estuda. Logo, para estudar Atualidades é necessário economizar tempo, indo diretamente a fontes confiáveis.

Sendo assim, quando for estudar atualidades para concursos, sempre procure algum especialista, como jornalistas, professores, entre outros.

Os especialistas apresentarão cada tema em seus aspectos essenciais, com um posicionamento definido, facilitando o seu entendimento.

Eles saberão dizer o que é essencial você saber dentro de cada assunto e quais têm mais chances de cair nas provas.

Uma das formas de você ter acesso a especialistas é por meio de uma mentoria. É uma ótima oportunidade para ter um encaminhamento personalizado de estudos, que indicará melhores conteúdos, não apenas para Atualidades, como também para as demais disciplinas de seu concurso.

3. Estude pontos de vista diferentes

Para entender como estudar atualidades para concurso público, saiba que é essencial que você conheça pontos de vista diferentes sobre os assuntos

Deixe de lado a vaidade de ler apenas o que está de acordo com os seus princípios e com as causas que você defende. Isso permitirá que você veja o assunto sob ângulos diversos, ampliando seu entendimento e compreensão.

Além disso, quanto mais você tiver noção das várias visões sobre determinado assunto, maior será seu poder de argumentação.

Ler discordantes é fundamental para perceber as inconsistências dos seus próprios argumentos, e assim fortalecê-los.

4. Saiba quais são os temas recorrentes da banca

Ao aprender como estudar atualidades é fundamental que você tenha consciência de que não caem todos os assuntos na prova de atualidades. Afinal, além de abordar atualidades, a prova tem que abordar todo o conteúdo indicado no edital.

Dessa forma, é importante saber quais são os assuntos mais frequentes nas provas dos concursos, para centralizar seus esforços neles. 

Resolva questões de concurso público  da banca do seu concurso e verifique quais temáticas de atualidades (guerras, políticas, economia) têm mais apelo.

5. Acompanhe canais com resumos midiáticos

Os resumos de noticiários com os principais fatos do Brasil e do mundo podem ser uma boa alternativa para manter você antenado! 

O portal de notícias da Globo, o G1, por exemplo, reúne ao início do dia as principais notícias das últimas horas na seção “o que você precisa saber para começar o dia bem informado”.

Essa é uma alternativa para ficar ligado em fatos relevantes que podem vir a ser abordados em prova. O folhetim pode ser acompanhado enquanto você toma um café, por exemplo.

Além disso, existem canais de cursos no Youtube, como Focus Concursos e o Gran Cursos que, no final do mês, fazem um vídeo com um apanhado das principais notícias do mês

Esse é um bom conteúdo para ouvir no trânsito, na espera no consultório médico, na fila do banco e mais.

Todas essas são dicas de como conseguir mais tempo para estudar, que você pode aplicar não apenas para Atualidades, mas também para outros conteúdos.

Participar de programas de mentoria pode ajudar você a estar sempre antenado em temas relevantes que podem ser assunto de sua prova de Atualidades.

6. Treine sua redação sobre o assunto

Essa dica é especialmente importante para quem fará algum concurso público que tenha redação ou questões discursivas sobre temas em geral, e não específicas de determinadas disciplinas.

Teste periodicamente sua capacidade de argumentação sobre os temas de atualidades escrevendo textos. Afinal, por mais que você leia e entenda os assuntos, expressá-los nem sempre é fácil. 

Ao treinar seu poder de escrita, você aprende a argumentar de uma forma mais coerente. 

Para saber como estudar atualidades para concurso público, é preciso saber buscar uma boa dose de informações, além de refletir e argumentar sobre elas.

Acreditamos que não compensa, em termos de custo-benefício, ler ou assistir a jornais todos os dias, pensando na prova. São poucas questões de atualidades. Gaste seu maior tempo de estudo com as disciplinas do edital.

A resposta para como estudar atualidades para concurso público, assim como se dedicar às demais disciplinas, começa por aprender como montar um plano de estudos para concurso. Para isso temos uma dica final: conheça o aplicativo Estudaqui.

Com ele você cria um plano de estudo realmente perfeito e faz um controle de estudo mais inteligente. 

Já imaginou, com um clique selecionar a prova que você fará e com apenas mais um clique organizar toda a sua rotina dentro do modelo de ciclo de estudos, que recomendamos neste artigo? 

Isso tudo automaticamente, levando em consideração as suas facilidades PESSOAIS em cada disciplina? Além de criar um plano de estudos eficiente, personalizado e que atenda às suas reais necessidades. Com ele você sabe como, quando e o que estudar. 

O App possui a funcionalidade de controle para que possa ver o quanto já avançou nas suas disciplinas e quanto falta para terminar seu ciclo de estudo. 

E além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível. 

Acesse o site e conheça todas as funcionalidades em detalhes.

 Um abraço, e bons estudos. 

Como estudar lei seca para concursos públicos com eficiência?

Saber como estudar lei seca com eficiência para os concursos públicos é uma dúvida recorrente entre os concurseiros.

Muitas pessoas encontram grande dificuldade no estudo da legislação normativa, o que cria um obstáculo à preparação completa de quem deseja passar em um concurso.

Antes de qualquer dúvida e confusão sobre como estudar lei seca, é preciso ressaltar que não se trata da lei 11.705, aprovada em 2008, que ficou mais conhecida como Lei Seca por reduzir a tolerância no nível de álcool no sangue de quem dirige.

Neste artigo, especificamente, trataremos do estudo da legislação seca, ou seja, na íntegra. Lei seca é como comumente chamamos os textos normativos como eles foram escritos e publicados pelos legisladores. Isso é, ao estudar lei seca, você está estudando a lei literalmente.

Ter o conhecimento da legislação vigente é essencial para muitos concursos públicos, especialmente, nas primeiras fases, com provas objetivas, e assim aumentar o percentual de acertos no concurso público.

Em geral, nessas etapas, boa parte da prova é composta de perguntas referentes à letra da lei.

Para orientar como estudar lei seca, nada melhor que ouvir um especialista em Direito.

Pensando nisso, convidamos o Defensor Público e mentor de concursos Gerson Aragão para dar dicas sobre o assunto. Continue a leitura!

Antes de tudo, o que é, exatamente, lei seca?

Explicamos por alto na introdução, mas é importante, antes de ensinar como estudar lei seca, definir bem este termo!

A legislação seca compreende todo texto normativo que contenha apenas os dispositivos que regem uma situação específica.

Por exemplo, temos:

  • a Constituição Federal;
  • o Código Tributário;
  • as Constituições dos estados;
  • a Lei Orgânica do Distrito Federal;
  • as leis orgânicas dos municípios.

A lei seca também inclui todas as leis e todos os atos normativos de determinado órgão, o que compreende:

  • as resoluções;
  • as portarias;
  • os regimentos internos;
  • as instruções normativas;
  • outros afins.

Em geral, os editais de concursos públicos preveem que a lei seca pela qual você deve estudar é a que foi publicada e atualizada até a data de publicação do edital do concurso.

Se isso não estiver previsto no documento, você deverá, portanto, utilizar a lei publicada até a data da prova.

Antes de saber como estudar a lei seca, é necessário entender a sua importância

Para Gerson Aragão, antes de mergulhar nos estudos da lei seca, o concursando deve entender a importância do texto a ser estudado.

Gerson AragãoÀs vezes a gente vai estudar um tema e não sabe a devida importância e, mentalmente, você diz estar estudando, mas acaba não dando a devida atenção e nem se preocupando com detalhes”, explica. E é aí que mora o perigo.

Segundo o defensor público, no seu canal, Método de Aprovação, foi feita uma análise com mais de 30 mil questões e itens de concursos e atestou-se que mais de 70% das questões cobram lei seca. Na banca Cespe, são mais de 60% das questões.

Com esses dados, é inegável a importância da legislação seca para concursos e, se você ainda não dá a devida atenção, deve mudar sua postura agora mesmo.

A proporção do seu tempo de estudo para a lei seca, portanto, deve ser condizente com o quanto ela é cobrada na prova.

À medida em que os artigos forem citados, estude o texto

Se você está estudando alguma disciplina de Direito por meio do seu livro, apostila ou PDF, deve dar atenção à lei seca conforme os artigos forem citados.

“Quando eu estudava para concursos, os artigos correlacionados ao tema que eu estava estudando já constavam no material de estudo”, explica Gerson. “Se o autor não traz os artigos no tema, é importante verificar na Constituição”.

Assim sendo, uma boa forma de como estudar para concurso é conciliar o estudo do conteúdo com a lei seca, e  ir grifando e destacando na Constituição e outros textos os artigos realmente relevantes para a sua prova.

Ou seja, à medida em que o autor for citando um artigo, se ele não estiver presente no material, estude-o no texto original.

Estudar somente a doutrina não é uma boa ideia, da mesma forma que estudar somente a lei seca pode deixar as coisas mais difíceis, em termos de interpretação. Combine e você terá uma visão mais global e completa da lei.

Mas você não deve abdicar do estudo específico do código

Por mais que os artigos citados no conteúdo estudado mereçam uma atenção maior, você não deve abdicar do estudo específico do Código, Constituição, entre outros.

“Entendendo a organização dos artigos, é possível avançar no entendimento da lei e acertar um maior número de questões”, essa é a explicação de Gerson Aragão sobre a importância do estudo integral da lei seca.

Além disso, o mentor reforça que é comum que muitos alunos reclamem que estudaram ao máximo os artigos citados e, na hora da prova, se enrolaram com outros que nem chegaram a ler.

Dessa forma, ao se dedicar em como estudar lei seca é preciso considerar que o estudo específico do código irá auxiliar na compreensão total da disciplina e da lei.

Conheça técnicas para dar mais atenção a determinados artigos

Se você pegar todas as leis que caem no seu concurso e estudá-las do começo ao fim, pode ser perigoso.

É necessário conhecer os critérios dos examinadores para escolher determinados artigos. Apesar da dica anterior, Gerson reforça que, ao aprender como estudar lei seca, você não deve considerar todos os artigos com o mesmo grau de importância.

Como assim? Você deve estar se perguntando. Gerson aponta, então, um exemplo: “Na Constituição Federal, a palavra ‘obrigatório’ aparece apenas 11 vezes. Mas, por exemplo, foi uma palavra cobrada em mais de 300 questões analisadas. Então, se você sabe esse dado estatístico, toda vez que aparecer a palavra ‘obrigatório’ na Constituição, você destaca e dá mais atenção.”

Palavras como “salvo”, “exceto”, “sempre”, “nunca” também são exemplos de termos presentes em artigos que merecem o seu cuidado.

Se você está começando a sua preparação, uma dica valiosa é utilizar o aplicativo Estudaqui.

O Estudaqui tem o objetivo de, por meio da geração de um plano de estudo perfeito e do acompanhamento inteligente das suas metas diariamente, encurtar o tempo que você demoraria para realizar o seu objetivo da aprovação. Por isso, conheça suas várias funcionalidades e otimize seu tempo!

Onde encontrar a legislação seca para estudar?

Para saber como estudar lei seca para concursos é necessário, antes de tudo, ter em mãos o texto correto.

É possível encontrar a lei seca em diversos sites na internet. Mas, conforme falamos, mas é importante se atentar para a sua atualidade, ou seja, que seus dispositivos estejam vigentes.

Para a Legislação Federal, por exemplo, o melhor é acessar o site da Casa Civil (Palácio do Planalto).

Lá é possível encontrar a Constituição Federal, todas as leis e os decretos editados pela União.

As leis e atos dos entes federados podem ser encontrados, primeiramente, no site do poder legislativo e, em seguida, no site do órgão para o qual você irá prestar concurso ou que é objeto de avaliação em sua prova.

Textos completos vs. textos compilados

Ao procurar a lei seca, ressaltamos que há dois tipos de texto: os textos completos e os textos compilados.

A diferença entre eles é que os completos contam a história da modificação da lei e possuem textos que não estão em vigor.

Já os textos compilados só possuem textos que estão em vigor. Então, concurseiro: use o texto compilado!

Isso não quer dizer, obrigatoriamente, que você deve sempre estudar pelo texto compilado.

Isso porque, se o edital contiver o histórico da modificação, você precisará saber o que foi alterado.

Nesses casos, estude o conteúdo inteiro, ou seja, o texto completo. Mas isso é a exceção. Na maioria das vezes, o texto compilado basta.

Por fim, a dica de ouro que damos sobre como estudar lei seca é: não estude uma vez e depois nunca mais olhe para aquilo.

Para que você memorize mesmo, é preciso revisar. Sabe aqueles grifos que você fez na lei? Volte lá e releia e faça o esforço de sempre praticar questões como forma de revisão!

Uma forma de manter o conteúdo sempre fresco em sua cabeça é adotando o método de ciclo de estudo como caminho até a prova. Para conhecer mais sobre esse modelo, indicamos a leitura de dois artigos:

Agora você já sabe como estudar lei seca como poucos. Mas, ainda assim, se você não estudar a quantidade correta de cada uma, você dificilmente será aprovado, e é por isso que você precisa diariamente de uma ferramenta que te permita controlar seus estudos de maneira inteligente.

A melhor opção do mercado nessa esfera é sem dúvida o aplicativo Estudaqui. Ele é extremamente eficiente. Você escolhe a prova para a qual deseja estudar e o app te mostra na hora todas as matérias que são pedidas no seu edital.

Depois é só você indicar seu nível de conhecimento em cada uma delas e a tecnologia você terá seu ciclo de estudo perfeito e personalizado considerando diversos fatores estatísticos da sua prova. Dê uma olhada no site da Estudaqui para mais detalhes.

Um abraço, Alexandre Meirelles e Gerson Aragão.

assine a nossa newsletter

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Além disso, fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais:

Passar em Concurso Público não é só para gênios

Se você pensa que para passar em Concurso Público é preciso ser gênio, você está completamente equivocado. Quem é aprovado em concurso público é gente normal, eu não sou gênio e fui aprovado em diversos dos concursos mais difíceis do país. E não fui só eu.

Existe uma infinidade de tipos de candidatos. Os que trabalham e os que só estudam; os que são bons em Exatas e os que não; os que memorizam facilmente e os que possuem mais dificuldade; os que tem grana para investir em cursos e livros e os que não; os que estão motivados e os que precisam daquela injeção de incentivo; os que desistirão no primeiro fracasso e os que continuarão firme e fortes nessa jornada.

Mas será que existe uma fórmula mágica para ser aprovado que seja a mesma para todos esses diferentes tipos de candidatos? Existe sim! É a famosa HBC, sigla para Horas-Bunda-Cadeira, que é o número de horas que você vai passar estudando. Ela sim o levará à tão sonhada aprovação, desde que você se organize e utilize todos os métodos de estudo eficientes.

Estudar para um concurso concorrido requer preparação diária e melhora gradativa do desempenho, dentro do melhor tempo possível. Afinal, concurseiro não é profissão e sim um período na vida de toda pessoa que almeja ser aprovado em concurso público e que se dedica com afinco para alcançar esse sonho.


Como começar a estudar e passar em Concurso Público?

Alguns concursandos estudam pelos melhores livros e cursos, acham que estão muito bem preparados, mas nunca são aprovados. Destes, vários estão cometendo erros básicos que comprometem a sua preparação para Concurso Público. Afinal, “ninguém tropeça em montanhas, você tropeça em pequenas pedras”.

Quando fui aprovado, sabe qual foi o meu diferencial em relação aos demais candidatos uma vez que estudei muito menos horas que muitos deles? Foi saber como estudar, organizar-me, ter disciplina, utilizar técnicas para memorizar melhor, saber escolher bons materiais de estudo etc.

Por isso, é importante que você saiba como começar a estudar antes de sair enfiando a cara nos livros de forma desordenada, desperdiçando energia e comprometendo seu futuro nessa fase como concursando. Clique em cada um dos links abaixo para algumas informações básicas para começar os estudos com o pé direito:


Você também vai ser aprovado em Concurso Público

O período para obter a tão sonhada aprovação é, quase sempre, de mais de um ano. Logo, se você não souber se preparar corretamente para começar a estudar várias horas por dia durante todo esse tempo, reduzirá suas chances de aprovação. Quero que você também encontre o seu método de estudo, tenha sucesso na prova e veja o seu nome no Diário Oficial.

Eu vou garantir uma coisa para você: depois que for aprovado, todo mundo vai achá-lo muito mais inteligente. Quase ninguém falará que você passou porque estudou muito e sim porque é inteligente. E é por isso que as pessoas ainda dizem por aí que quem passa em concurso público é gênio. O que é uma grande bobagem!

Para passar em Concurso Público é preciso se dedicar aos estudos. E isso, qualquer pessoa pode ser. Estudar é costume. Se você nunca foi acostumado a estudar pesado, vai sentir dificuldade nos primeiros meses, mas depois sua concentração e atenção começarão a melhorar.

Já disseram que o “pensamento que orienta sua inteligência é muito mais importante que a quantidade de inteligência que você tem”. Pense nisso.

Um abraço Alexandre Meirelles e bons estudos!

 

newsletter-exercicio-fisico-concurso-público

 

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais:

Como passar no concurso da PM: 8 dicas para todas as etapas

O concurso da Polícia Militar é um dos mais concorridos do Brasil. Os salários são bons, os requisitos não são muitos e a profissão é interessante e desafiadora. Por isso, é preciso se preparar muito para tirar notas melhores que as dos concorrentes. Mas como passar no concurso da PM?

No texto de hoje, vamos dar 8 dicas para quem quer realizar esse sonho. Confira e comece a se preparar o quanto antes!

Como passar no concurso da PM? 8 dicas para se preparar

1. Entenda a atuação e saiba como passar no concurso da PM

Para saber como passar no concurso da PM, primeiro é preciso compreender o que faz um policial militar.

Muitas vezes, as pessoas fazem concursos públicos sem ter certeza de que aquela é a vaga que desejam e, por isso, acabam se frustrando mesmo quando são aprovadas.

A Polícia Militar é um órgão estadual, encarregado pela segurança, ordem pública e policiamento em cada um dos estados.

Quem é aprovado nos concursos, que são diferentes de acordo com o estado, vira um dos responsáveis pela segurança e ordem do estado em que atua. 

Os salários também variam de acordo com o estado.

2. Leia o edital do concurso

Ler o edital do concurso é o primeiro passo de como passar no concurso da PM ou de qualquer outra instituição. 

No edital estão descritos todos os pré-requisitos para fazer a prova ou assumir o cargo.

Ler o edital também vai te ajudar a montar um plano de estudo para o concurso, coerente com o que vai ser pedido na prova.

Alguns dos requisitos, para fazer a prova da PM, são:

  • Ser brasileiro nato ou naturalizado;
  • Ter mais de 18 anos antes da data da matrícula no curso de formação;
  • Estar em dia com suas obrigações militares (se for um candidato do sexo masculino) e eleitorais, tendo como comprovar;
  • Ter a Carteira Nacional de Habilitação, no mínimo, de categoria B, sendo válida a provisória;
  • Ter o Ensino Médio ou equivalente completo, com um diploma reconhecido por uma instituição certificada pelo Ministério da Educação;
  • Estar com a saúde física e mental em dia, passando nos exames de aptidão mental e saúde sem qualquer indício de patologia ou psicopatologia;
  • Não possuir antecedentes criminais e não apresentar uma conduta social repreensível;
  • Não ter sido desligado ou excluído de qualquer Instituição das Forças Armadas por atos de improbidade administrativa;
  • Não ter tatuagens ou qualquer outra expressão permanente no corpo que remeta à violência, uso de drogas ou envolvimento com gangues ou outras organizações criminosas.

Uma dúvida muito comum é sobre a idade máxima para entrar na PM. Para entender todos os detalhes dessa questão indicamos que você acesse o artigo: Qual a idade máxima para entrar na polícia militar?”. 

Esses são alguns dos requisitos para assumir o cargo de policial militar, mas é importante ressaltar que cada cargo – soldado, capitão etc. – tem suas especificidades.

O edital traz ainda outras orientações, como:

  • o dia e hora das provas;
  • quais materiais você pode levar etc.

Não se esqueça de que, como o concurso é estadual, você não pode basear seus estudos plenamente no edital de um estado diferente de onde você pretende prestar concurso. As regras, requisitos e matérias podem ser diferentes!

3. Conheça as fases do concurso da PM

Ao contrário de diversos concursos, em que você precisa apenas passar na prova e comprovar que segue todos os pré-requisitos, os concursos da PM costumam ter 5 fases e o candidato deve passar em todas para assumir o cargo. Elas são:

  1.      Prova objetiva;
  2.      Exame de aptidão mental;
  3.      Exame de saúde;
  4.      Exame de capacidade física;
  5.      Investigação social.

Enquanto a prova objetiva tem caráter classificatório e eliminatório, as outras quatro fases são todas eliminatórias – ou seja, se você não passar em alguma delas, será automaticamente retirado do processo de seleção. 

Por isso, as etapas de como passar no concurso da PM não estão ligadas, apenas, ao estudo das matérias que irão cair na prova.

4. Tenha um plano de estudo para a prova objetiva

A prova objetiva é a primeira das 5 fases que você precisa dominar para entender como passar no concurso da PM. Passando por ela, estará um pouco mais próximo para assumir um cargo na Polícia Militar.

Ainda que os próximos editais possam trazer algumas diferenças, vamos basear nossas dicas nos editais de 2018 e no que costuma acontecer nos concursos da PM.

A prova é composta de 80 questões, cada uma com 5 alternativas, em que apenas uma é a alternativa correta.

Entre as questões de conhecimento geral estão áreas como:

Nos conhecimentos gerais, o assunto principal é Noções de Direito Penal Militar. 

Para se organizar para estudar para concurso, você deve estar atento à bibliografia exigida, por isso temos nosso e-book gratuito indicando a melhor Bibliografia para concursos públicos da ÁREA POLICIAL.

Para garantir sua aprovação, é essencial montar um bom plano de estudo para cobrir todas essas matérias.

Organize sua rotina de estudos de modo que você possa estudar pelo menos um pouco todos os dias, sem se sobrecarregar e divida seu tempo entre revisar as matérias e fazer questões das últimas provas para se preparar melhor.

Optar por um aplicativo que organize sua rotina é uma excelente opção para aproveitar todo o tempo que você tem disponível.

5. Entenda o exame de aptidão mental

O exame de aptidão mental, ou psicoteste, tem como objetivo saber se os candidatos têm as características mais importantes para trabalhar na PM. Essas características dizem respeito, principalmente, às situações que um policial militar pode passar no dia a dia.

Algumas dessas características são:

  • Bom controle emocional;
  • Ansiedade e impulsividade diminuídas;
  • Domínio psicomotor e raciocínio espacial adequados;
  • Autoconfiança;
  • Resistência a frustrações;
  • Muita persistência e assertividade;
  • Agressividade adequada;
  • Boa inteligência e memória;
  • Maturidade e responsabilidade elevadas;
  • Boa capacidade de se adaptar a diferentes situações;
  • Ausência de fobias;
  • Boa sociabilidade e capacidade de se comunicar;
  • Espírito de liderança,
  • Honestidade.

6. Prepare-se para o exame de saúde da PM

Como passar no concurso da PM

 

O exame de saúde tem como objetivo verificar a presença de doenças ou sintomas que inabilita o candidato para o futuro cargo.Alguns dos fatores analisados são:

  • a idade;
  • a massa muscular;
  • a altura;
  • gordura corporal;
  • as condições de saúde que possam ser prejudiciais, como problemas cardíacos.

A melhor maneira de como passar no concurso da PM é se preparar para o exame de saúde, meses antes da prova, fazendo um check-up geral no seu médico e descobrindo o que você pode fazer para chegar ao dia do exame em seu melhor estado.

Além disso fique atento a outras questões como:

  •  manter uma alimentação balanceada;
  • fazer exercícios físicos constantes;
  • manter cuidados com seus níveis de estresse.

Esses são elementos básicos para manter seu corpo e sua mente, saudáveis.

7. Planeje-se para o exame de capacidade física

Não basta saber como passar no concurso da PM, é preciso ir à prática e preparar-se.

O exame de capacidade física, ou teste de aptidão física (TAF), consiste em uma série de exercícios que avaliarão:

  • força;
  • coordenação;
  • agilidade;
  • flexibilidade;
  • equilíbrio e velocidade, entre outras capacidades.

Assim, é possível avaliar se você está pronto para participar do curso de formação e se tem a resistência necessária para cumprir as funções do cargo.

Os testes aplicados no TAF geralmente são os seguintes:

  • Para os homens, flexão na barra fixa; para as mulheres, exercício de barra estática;
  • Abdominal remador;
  • Apoio de frente sobre o solo;
  • Corrida de 12 minutos;
  • Natação em piscina.

Você deve se preparar para esse exame do mesmo modo que deve se preparar para a prova objetiva: com um bom planejamento.

Fazer exercícios com regularidade garante a aprovação nessa etapa e também contribui para um bom desempenho no exame de saúde.

Treine pelo menos quatro vezes por semana para o TAF. Se for possível, tenha uma ajuda profissional.

De qualquer modo, não ultrapasse seus limites para não se lesionar. E lembre-se de separar um dia, pelo menos, para descansar – seu corpo precisa disso para melhorar o desempenho.

8. Saiba o que é a investigação social

A última fase do concurso da PM é a investigação social. Nela, é feita uma investigação sobre a conduta do candidato, com o objetivo de saber se ele tem os aspectos sociais, morais e profissionais necessários para atuar na polícia, assim como saber se ele será capaz de cumprir com suas funções.

Nesse último caso, não há como se preparar: é sua conduta de toda uma vida que vai comprovar se você está ou não apto a seguir com essa carreira.

Com essas 8 dicas de como passar no concurso da PM, você já sabe o caminho das pedras e pode se preparar com calma e determinação.

Para finalizarmos, se você gostou deste artigo, nossa última dica de como passar no concurso da PM é um convite! Conheça o aplicativo do Estudaqui

O app organiza sua rotina de estudos utilizando o método de ciclo de estudos, criado por Alexandre Meirelles e validado por diversas aprovações de concurseiros e estudantes nas provas mais difíceis do Brasil. 

O aplicativo monta seu plano considerando sua prova e suas facilidades, automaticamente. O Estudaqui é a opção mais completa e com as melhores funcionalidades do mercado, além de ser baratíssimo por tudo o que ele entrega. 

E ai? O que está esperando?

Com ele você tem um plano de estudos eficiente, personalizado e que atende às suas necessidades. E ainda saberá  como, quando e o que estudar.

Ainda tem a funcionalidade de controle para que você possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e o quanto falta para terminar um ciclo.

Além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Conheça mais sobre esse excepcional aplicativo de estudo. Você pode economizar muito tempo e otimizar muito os seus estudos.

Um abraço, e bons estudos!

Anki para concursos: como fazer revisões perfeitas

Um grande desafio na preparação para concursos é memorizar fórmulas e uma avalanche de informações necessárias à aprovação. Para isso, são propostas inúmeras técnicas, como revisões intervaladas, estudo por questões e ferramentas como o Anki para concursos. 

Entretanto, vários concursandos têm dificuldades para gerenciar esse momento do estudo e as revisões ficam, muitas vezes, acumuladas ou simplesmente não são feitas.

Neste post, vamos apresentar o Anki para concursos, um programa que pode mudar radicalmente seu processo de como revisar uma matéria e acelerar a sua preparação.

O que é o Anki para concursos?

O Anki para concursos é um software gratuito disponível em diversas plataformas, que consiste no estudo por meio de flashcards inteligentes.

O programa baseia-se em duas ideias centrais: 

  1. Flashcards;
  2. Sistema de repetição espaçada (do inglês, spaced repetition system).

Um flashcard não é nada mais que uma pergunta e sua resposta. O estudante lê o questionamento, responde mentalmente (ou verbalmente) e confere a resposta. 

Embora seja simples, esse processo induz o estudante a realizar um estudo ativo ao obrigá-lo a buscar a informação apenas na sua cabeça.

Se você quer saber mais sobre outras tecnologias que vão revolucionar o seu estudo, conheça o aplicativo Estudaqui. Saiba mais sobre ele no final desse artigo.

Por sua vez, o SRS (Sistema de Repetição Espaçada) se relaciona a um famoso estudo do cientista alemão Hermann Ebbinghaus, que deu origem ao conceito da curva do esquecimento.

curva-do-esquecimento-Hermann-Ebbinghaus

Fonte: Wikipedia.

Traduzindo o que nos mostra o gráfico: se não revisamos regularmente o conteúdo aprendido, em pouco tempo teremos esquecido quase tudo o que aprendemos.

A partir desse conceito, surgiram inúmeras metodologias de revisões espaçadas

Normalmente, é sugerido que se façam revisões de 24h, 7 dias e 30 dias após o dia do contato inicial com a matéria, para que o conteúdo não seja esquecido. 

Contudo, é muito comum ver estudantes perdidos em meio às revisões que vão se acumulando e que acabam por se tornarem inviáveis.

Com o Anki para concursos, isso não ocorre. O programa irá agendar os cards de forma que sejam revisados mais os cartões em que o usuário demonstrou dificuldades e menos aqueles que foram devidamente memorizados.

Como criar flashcards no Anki: passo a passo

Após o Anki para concursos ser devidamente instalado no seu computador, o usuário deve começar a produzir os cartões que serão estudados. Para isso, ele deverá utilizar a janela “Adicionar”:

como funciona-anki-adicionar

Em seguida, deve preencher os campos com a pergunta e a resposta:

como funciona-anki-adicionar-2

Depois de feitos os cartões, eles estarão prontos para serem estudados. O processo de revisão com o Anki para concursos funciona da seguinte forma:

De início, apenas o campo “Frente” aparece. Após responder mentalmente à questão proposta, deve-se apertar no botão inferior “Mostrar Resposta”. A tela mostrará, então, o seguinte:

como funciona-anki-adicionar-conclusao

Observem as opções que surgiram na barra inferior. Nesse momento, o usuário deve realizar um julgamento pessoal sobre o quão fácil foi responder à questão proposta. 

Vejam que, dependendo da resposta, o card vai reaparecer para estudo em um prazo maior ou menor. 

Esse processo torna a revisão automática e totalmente otimizada, de acordo com a evolução do estudante.

Boas práticas de uso do Anki para concursos

Separamos alguns tópicos que, de acordo com a experiência de quem utilizou o Anki para concursos (e foi aprovado), são fundamentais para o uso correto do software.

1. Criação de cards no Anki

O Anki para concursos é uma ferramenta extremamente flexível. Dizemos isso porque, como é o próprio usuário que cria os cartões, ele pode escrever qualquer coisa nos campos que o programa simplesmente aceitará e mostrará o card para revisão. 

Portanto, é necessário ter muito cuidado no momento da criação do flashcard. Um card mal feito irá prejudicar a retenção da informação e tornará o uso do programa extremamente maçante.

2. Revise pelo Anki todos os dias

Incorpore o estudo pelo programa à sua rotina. O estudo diário por meio da ferramenta é fundamental para a sua eficácia. Assim, o Anki para concursos consegue “ler” melhor em que partes o usuário possui mais dificuldades. 

Isso o ajudará a revisar o conteúdo de maior dificuldade pessoal com mais frequência. Além disso, o nosso cérebro é muito mais eficiente para a retenção de informação em médio/longo prazo quando o estudo é realizado de forma constante.

3. Crie seus próprios cards

São incontáveis os pedidos de alunos que, ao descobrirem o Anki para concursos, procuram cards com quem o utiliza. Isso é natural, uma vez que o processo de criação é demorado e relativamente trabalhoso. 

Contudo, o baralho tem “a cara” de seu autor. Cada um tem as suas dificuldades nas matérias, aquelas partes que ele não consegue memorizar de jeito nenhum. 

O criador dos cards naturalmente fará cards focados nesses pontos, que podem não ser as fraquezas de quem pegar o “deck” pronto. 

Além disso, muitas vezes o simples processo de criação de cards é um momento valioso de ter aquele “estalo” na compreensão do conteúdo.

4. Estude a ferramenta antes de usá-la

Não podemos deixar de reiterar: se for mal utilizado, o Anki para concursos pode, sim, atrapalhar os seus estudos. 

Cards malfeitos não provocam o efeito desejado de realizar um estudo ativo. Além disso, eles tornarão o processo de revisão extremamente desgastante e chato.

Entretanto, se bem usado, não tenha dúvidas de que o programa vai compensar cada minuto dedicado a ele.

Anki para concursos: como usar corretamente

Como mencionei algumas vezes no artigo, o uso errado do Anki para concursos pode acabar atrapalhando os seus estudos. O uso correto vai transformar seus estudos da água pro vinho.

Com isso em mente, fica evidente que é importantíssimo que você aprenda como maximizar o uso do Anki no estudo para concursos públicos, em vez de usá-lo de uma maneira errada que possa prejudicá-lo.

Há diversos ótimos vídeos gratuitos por aí no youtube, por isso não vamos indicar nenhum em específico. Busque um vídeo de sua preferência :)

Quer saber qual o aplicativo perfeito para usar juntamente com o Aki? Sem dúvida alguma é o Estudaqui.

Você só precisa fazer um cadastro, escolher o concurso que deseja e definir suas facilidades em cada disciplina. Em poucos segundos o app monta seu ciclo, sem que você tenha qualquer trabalho. E isso não é tudo!

Além de montar seu ciclo, o app também te permite:

  • controlar o tempo de estudo de maneira simples e fácil;
  • acompanhar as porcentagens de acerto em qualquer celular ou tablet;
  • verificar relatórios de conclusão de blocos e avanços de conteúdo;
  • rever o histórico de tudo o que foi estudado;
  • receber dicas para melhoria de desempenho.

Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui. Você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo.

Um abraço, e bons estudos.