Os 10 maiores obstáculos dos concursos fiscais

Os concursos públicos da área fiscal tem suas características e, entre elas, suas dificuldades. As principais características de provas como o concurso Receita Federal, e cargos como Auditor Fiscal do Trabalho e Auditor Fiscal da Receita Federal. Para chegar até a aprovação no concurso Auditor Fiscal, e outros concursos correlatos, é preciso conhecer o que você vai enfrentar. Para isso, preparamos esse artigo com os 10 maiores desafios dos concursos fiscais.

Vale ressaltar que os nossos obstáculos não estão em nenhuma ordem específica. O que é  mais difícil para um, não é necessariamente para o outro. Vamos lá!

Leia mais

Não consigo estudar! Há uma solução emergencial para essa situação?

Dedicar-se a passar em um concurso público significa deixar de lado alguns hábitos e se apegar aos livros todos os dias. Mas, ao tentar colocar a rotina de estudos em prática, muitos concurseiros sofrem um bloqueio“não consigo estudar! Qual é a solução emergencial para isso?”, é o que muitos nos questionam.

Ter dificuldade para estudar é um problema comum a muitas pessoas que se tornam concurseiras.

Entretanto, passar em concurso público exige muito esforço, principalmente quando se trata de concursos muito concorridos.

Diante da queixa “não consigo estudar”, apresentada por muitos concursandos que nos acompanham, reunimos as possíveis causas para o bloqueio com os estudos e como superá-las. Continue a leitura!

Procrastinação: o mal do século

A procrastinação nada mais é do que o famoso “deixar tudo para depois”. E, na maioria das vezes, quando isso acontece, a pessoa fica estressada.

Segundo o psicólogo Tim Pychlyl, da Universidade de Carleton no Canadá, “a procrastinação é, na atualidade, o problema mais grave da educação”.

Ele integra um grupo que investiga o assunto para “entender por que às vezes nos tornamos nosso pior inimigo com atrasos desnecessários” de nossas tarefas.

Muitos concursandos também encaram a procrastinação como, na verdade, um bloqueio mental e, por isso, muitos exclamam preocupados: “não consigo estudar!”.

No entanto, o fato de não conseguir estudar pode ser resultado do cansaço, o que resulta em sono durante o estudo ou da falta de motivação para realizar suas tarefas.

Contudo, se você deseja ingressar na carreira pública, é indispensável buscar uma solução emergencial para seu problema de “não consigo estudar” e engatar nos estudos.

Para isso, avalie o tempo de estudo disponível e se prestar um concurso público condiz com seus objetivos profissionais.

Antes de continuarmos, gostaríamos de reforçar que a gestão do tempo, assim como a motivação, o ambiente de estudo e a área que você escolher, fazem parte dos pilares de aprovação. 

Não consigo estudar porque estou muito cansado

O cansaço é uma das causas mais alegadas por aqueles que reclamam que não conseguem estudar.

Por isso, antes de desesperar-se, você já verificou se há horários do dia em que você apresenta um rendimento melhor para estudar?

Cada pessoa possui um relógio biológico e um ritmo de estudos diferente. Tem gente que apresenta melhor desempenho durante as manhãs, enquanto outros conseguem absorver melhor o conteúdo quando se dedicam a estudar à noite.

Portanto, para driblar o bloqueio com os estudos, a primeira iniciativa é encontrar o turno do dia ideal para estudar.

Em suma, não existe um melhor horário para estudar. Tudo vai depender do seu rendimento. Alexandre Meirelles (guro de concursos públicos) conta que rendia melhor durante a noite. Em geral, ele chegava do trabalho às 18h e dormia de 20 minutos a 1 hora antes de estudar.

Um cochilo pode potencializar o aprendizado

Dormir um pouco pode ser o melhor remédio para o bloqueio resultante do cansaço!

Se você não trabalha, experimente fazer uma sesta, ou seja, repousar após o almoço por 30 minutos. Se você for estudar durante a tarde, é possível que seu desempenho seja amplificado.

Se você tem apenas o período da noite para estudar e, assim como eu, chega muito cansado do trabalho, permita-se tirar um cochilo antes de começar a estudar e estenda os estudos até o início da madrugada.

Trabalho, só tenho a noite para estudar e me sinto muito cansado. O que fazer?

Se você trabalha o dia todo e tem as noites para estudar, mas sente-se exausto neste horário, que tal experimentar madrugar? Pode ser que seu desempenho seja melhor pela manhã.

Tente chegar do trabalho, tomar banho, jantar e pegar no sono às 20h. Dessa forma, programe o despertador para tocar às 2h ou 3h da manhã e estude até o amanhecer.

Em geral, nos primeiros dias, você não conseguirá pegar no sono às 20h, mas aos poucos você conseguirá adaptar seu organismo a essa rotina e verificar se esse método funciona para você.

Só não desista! Muita gente acredita que é necessário se dedicar exclusivamente aos estudos para ser aprovado em um concurso. 

No artigo: Dá para estudar para concurso público e trabalhar ao mesmo tempo?” tiramos suas dúvidas e tentamos responder a essa pergunta.

Não consigo estudar porque não tenho “cabeça” para isso! Como lidar com essa situação?

Há pessoas que possuem o dia todo disponível para estudar, mas alegam não conseguir pois não têm “cabeça” para os estudos.

Nesse caso, o bloqueio existe em função da ausência de motivação para estudar. E  cabe a você procurar o aspecto que te motiva e impulsiona.

Lembre-se que, a partir do momento que você escolhe prestar um concurso público, é necessário ter objetivos claros e estudar muito até alcançá-los.

Não existe “meio concurseiro”, ou seja, aquela pessoa que deseja prestar um concurso mas estuda apenas eventualmente. Esse é um dos maiores erros no estudo para concurso público.

Prestar um concurso é uma postura que deve ser internalizada e refletida em estudo constante!

Se você percebe que manter uma rotina de estudos realmente não é a sua praia, pare de se enganar, meu amigo.

Deixe de gastar dinheiro com materiais e criar expectativas na sua família sobre a aprovação em um cargo público. Procure a carreira que te faça feliz, seja na iniciativa privada ou empreendendo.

Como aumentar a motivação para estudar para concursos públicos

Encontrar o que te motiva a estudar é a melhor forma de cessar as queixas de “não consigo estudar!”.

Questione-sempre: por que eu estou estudando para um concurso público? Quais aspectos da tua carreira te deixavam insatisfeitos e te levaram a tomar essa decisão?

Identificar a motivação é ter combustível o suficiente para alcançar o seu objetivo.

Há uma solução emergencial para aumentar a motivação com os estudos?

Não há uma única solução emergencial para aumentar a concentração e ter foco nos estudos, mas há dicas para elevar o engajamento. Confira!

1. Organize sua rotina

Defina os horários em que você estudará e elabore o seu ciclo de estudos, ou seja, as disciplinas que irá estudar a cada dia e o tempo que será dedicado a cada uma delas.

Não deixe de alinhar o seu cronograma de estudos com as exigências do edital, para que nenhuma disciplina deixe de ser contemplada.

Risque cada disciplina concluída, assim, você terá a sensação de progresso.

Outra dica que recomendamos aos estudantes para se organizar corretamente para estudar é o aplicativo Estudaqui.

Esse app é fácil de usar e bastante intuitivo. Você só precisa selecionar o concurso escolhido na interface do aplicativo. Depois, marque alguns pontos relacionados às características da prova e pessoais para que o sistema crie seu plano de estudo personalizado.

O aplicativo também fornece estatísticas relacionadas ao desempenho que ajudam a acompanhar o progresso de maneira prática pelo celular. 

O Estudaqui é o único do mercado que consegue fazer isso com maestria. Os concorrentes não conseguem fazer ciclos tão eficientes, o que pode te atrapalhar muito. 

Leia mais no post “Ciclo de estudos para concursos públicos | PARTE PRÁTICA” e conheça a fundo esta técnica de estudo. 

2. Seja ativo no seu aprendizado

Ler o conteúdo ou assistir a videoaulas nem sempre é muito motivante! A solução é ser ativo, isto é, testar os seus conhecimentos sempre.

Faça questões de concurso público para fixação e revisão, explique para alguém (ou para você mesmo) em voz alta o que acabou de aprender e construa mapas mentais e resumos.

Essas são algumas técnicas que vão lhe proporcionar um senso de propósito ao estudar. É muito mais do que ver conteúdo e passar para a frente a folha.

3. Foco no progresso

Não pense em tudo o que ainda falta estudar e nem em quantos candidatos por vaga você terá que ultrapassar para conquistar a aprovação.

Foque nos seus estudos do dia e no seu progresso da semana. Não ponha a mente lá na frente durante os estudos.

4. Extermine as distrações

Então afaste-se de vez de distrações como:

  •  smartphone (exceto aplicativos de estudo, é claro);
  •  computador;
  •  televisão;
  • pessoas a sua volta.

Diante daquela disciplina complicada, não recorra às redes sociais e nem a seus programas favoritos.

5. Defina recompensas

Que tal definir uma meta diária de estudos e, após cumpri-la, oferecer a si mesmo uma recompensa?

Pode ser uma hora de videogame, assistir a um ou dois episódios de uma série ou até mesmo comer um pedaço da sua sobremesa favorita.

6. Compartilhe experiências

Uma boa oportunidade para elevar a sua motivação é conhecer e conversar com pessoas que estão vivendo desafios semelhantes aos seus.

Alexandre Meirelles, criador do método ciclo de estudo, relata que quando estudava para concursos, ingressou no Fórum dos Concurseiros, uma comunidade em que vários concursandos compartilham sua rotina de estudos, dificuldade e outras dicas de aprendizado.

Sugerimos que procure um grupo de credibilidade nas redes sociais, formado por concursandos focados, para trocar dicas, comentar a sua rotina de estudos e se motivar.

Estudar para concurso é uma fase

Estudar para concursos e ter que ver matérias que você não tem muito interesse é uma fase! Sempre se lembre de que você não vai estudar para sempre.

Se você tiver foco agora, em breve a tão sonhada aprovação virá e você terá estabilidade financeira para curtir a vida ao máximo.

Aqui em São Paulo sempre ouvimos um ditado comum, que diz que “enquanto você não está estudando, um japonês está”.

E essa é uma verdade – mas a concorrência não se limita a japoneses, são diversos brasileiros buscando estabilidade na carreira pública que estão estudando muito.

Busque ajuda e fortaleça sua estratégia até a aprovação

Se você realmente acredita que não consegue estudar, talvez seja porque você não consegue estudar sozinho e para isso existe solução. Peça ajuda à teconologia!

Todas essas dicas funcionam em conjunto com todas as funcionalidades que o aplicativo Estudaqui disponibiliza para seus usuários. 

Como já mencionamos, além de organizar sua rotina e elaborar um ciclo de estudo personalizado para você, o App  traz estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui. Você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo. 

Se você não estudar direito, você perderá a chance de ser aprovado quando vier seu edital e, provavelmente, terá que estudar por muito mais anos para que surja outra oportunidade. Tenha foco!

 

Um abraço, e bons estudos!

Plano de estudo para concurso público: aprenda como fazer

Fazer um concurso público exige muito estudo. Isso qualquer um que esteja se preparando para uma prova pode afirmar. No entanto, estudar não significa abrir os livros de qualquer jeito e ler sem raciocinar sobre o assunto. Para garantir sua aprovação, você deve selecionar seu material e organizar seus estudos. Como fazer isso? Um plano de estudo para concurso é o primeiro passo!

Continue lendo este artigo e aprenda como montar um plano de estudo para concursos e comece a se preparar hoje mesmo!

Por que fazer um plano de estudo para concurso?

O objetivo principal do plano de estudo para concurso é fazer com que você se organize para o dia de estudo. Colocar no papel – ou em uma planilha no computador – o que você precisa estudar é uma maneira de se manter concentrado e preparado para a prova.

plano-de-estudo

Veja abaixo algumas das vantagens de fazer um plano de estudo para concurso:

#1. Organização

Estar organizado é o primeiro passo para conseguir montar um plano de estudos para concurso e garantir a produtividade na hora de estudar. 

Com todas as matérias anotadas de maneira clara, você não tem que parar para pensar no que vai estudar toda vez que se sentar na cadeira.

#2. Motivação

Muitas vezes, quem está estudando para um concurso público se sente desmotivado porque não consegue mensurar a quantidade de matérias que ainda precisam ser estudadas

Com um plano de estudo para concurso, você tem uma visão clara do que precisa fazer e fica mais satisfeito quando completa uma tarefa.

#3. Prioridades

Quando se tem um plano de estudo para concurso bem feito e detalhado, é possível definir suas prioridades, tanto nos estudos quanto fora deles.

Assim, você pode dedicar mais tempo para o que realmente importa. Isso não apenas aumenta sua produtividade como também deixa uma boa sensação de dever cumprido.

#4. Foco

Um dos grandes problemas de quem quer passar em um concurso público é não conseguir dar a atenção devida aos estudos. Porém, não há como cortar caminho: quem quer alcançar esse objetivo tem que estudar muito.

Com um plano de estudos para concurso, você se torna mais capaz de manter seu foco, já que tem um objetivo a cumprir em longo ou médio prazo – a prova – e em curto prazo – as matérias a serem estudadas. 

No entanto, para que você possa tirar todos os benefícios possíveis do seu plano de estudo para concurso, é preciso montá-lo da forma certa e adaptá-lo às suas necessidades.

Vantagens e desvantagens do plano de estudo tradicional

Quando se faz uma rápida pesquisa para descobrir como fazer um plano de estudo para concurso, a primeira alternativa é um plano tradicional, muito difundido e utilizado por quem quer passar em um concurso público.

Nesse tipo de plano, também conhecido como calendário de estudo, é montada uma planilha com os horários de estudo, dias da semana e as matérias a serem estudadas, de acordo com o tempo disponível

É muito simples e básico, o que pode ser uma vantagem para quem nunca montou um plano de estudo antes.

No entanto, esse tipo de plano de estudo para concurso pode trazer mais desvantagens do que benefícios, já que tem a pretensão de prever sua semana inteira – e você acaba tendo que adaptar toda a sua rotina em torno dele. 

Nem sempre essa é uma boa abordagem para quem está estudando para um concurso público. Veja o porquê.

Digamos que na terça-feira você estude Português e Legislação. Mas em uma terça-feira em particular, você acorda doente e precisa ir ao médico. 

Para retomar os estudos, será necessário readaptar toda a sua semana, dando uma sensação de atraso e acúmulo de matéria. Ou, em muitos casos, você simplesmente vai deixar de estudar Português e Legislação naquela semana, atrasando seus estudos.

Outro problema recorrente é que você nunca tem tempo de revisar, o que, embora importante, torna-se inviável com esse tipo de plano de estudos para concurso público. 

Sendo tão linear, ele preenche todo o espaço de tempo com matérias novas, sem dar tempo de rever o que já foi estudado.

Por isso, usar um plano de estudo tradicional pode não ser a melhor ideia para um estudo regular e definitivamente eficaz.

Calendário de estudo e ciclo de estudo: qual é a diferença?

O conceito do ciclo de estudo criado por Alexandre Meirelles é a base do seu livro: “Como estudar para concursos”. Ele foi escrito especialmente para quem precisa se preparar para esse tipo de prova. 

Segundo o Autor, usando o ciclo de estudo como plano de estudos para concurso, há tempo para revisar as disciplinas e flexibilidade para adaptar tudo à sua rotina.

A primeira diferença entre os dois tipos de plano de estudo está na planilha montada. No caso do ciclo de estudo, você deve distribuir na planilha o que é preciso estudar e o tempo necessário para cada matéria. Confira os detalhes no vídeo abaixo:

Digamos que a duração total de um ciclo de estudos hipotético tenha 20 horas e você tenha quatro matérias para estudar.

A ideia é que você atribua um tempo de estudo para cada uma e quando esse tempo acabar, você passe para a outra até que as 20 horas terminem. Depois você recomeça – por isso o nome “ciclo”.

Vantagens do ciclo de estudo para concurso

A primeira vantagem de utilizar o ciclo de estudo é que você pode decidir com base em alguns critérios, quanto tempo vai dedicar a cada matéria. Esses critérios podem ser:

  • Nível de dificuldade;
  • Quantidade de assuntos;
  • Peso na prova;
  • Quantidade de questões etc.

A principal vantagem, no entanto, é que não existem horários determinados para cada matéria: você estuda quando puder. 

Digamos que você tenha que estudar uma hora de Inglês e uma hora de Português. Seus únicos tempos livres são a hora do almoço e antes de dormir? É só encaixar essas duas horas nesses momentos!

Se você não conseguir completar uma hora direto é só continuar de onde parou, assim que puder, e estudar até fechar uma hora. 

Dessa maneira, não é você que se adapta ao plano de estudo para concurso, mas sim ele que se adapta a sua rotina, dando mais flexibilidade.

Além disso, como você sempre volta a estudar as matérias, há a possibilidade de fazer revisões. Assim, aquilo que ficaria perdido em sua memória pode sempre ser recuperado, treinado novamente e preparado para o dia da prova.

Dicas para montar seu ciclo de estudo

Neste momento, você deve estar se perguntando: “Ok, mas como usar na prática o ciclo de estudo como método para passar em um concurso público?”.

Temos três dicas normais, e mais uma dica bônus para você fazer seu ciclo de estudo de forma automática:

  1. Intercale as matérias de modo que as que são muito parecidas não fiquem coladas uma na outra no ciclo;
  2. Mesmo fazendo pausas, procure não estudar por mais de 1h30min seguidos para não cansar sua mente;
  3. Monte o ciclo de estudo inicial com poucas matérias, como as quatro do nosso exemplo, para se acostumar ao método, e depois comece a adicionar matérias mais complexas.

A última dica é a melhor de todas: se fazer tudo isso tudo parece pouco prático para você, então você deve conhecer o Estudaqui, um app para criar ciclos de estudo (e muito mais) que monta seu plano considerando os três aspectos que listamos acima, e ainda faz tudo de maneira automática.

Depois de testarmos muitos métodos de estudo diferentes podemos afirmar que o Estudaqui é o único do mercado que consegue fazer essa tarefa com maestria. 

Com ele a tecnologia é uma aliada para aproveitar boas técnicas de estudo. 

Outra dica importante para montar um ciclo de estudo efetivo é ter comprometimento. Sem horários pré-definidos para estudar as matérias, é fácil deixar para estudar depois e ir adiando seu cronograma.

como-criar-ciclo-estudo

Por isso, para não se perder em seu plano de estudo para concurso e se organizar bem, é importante estabelecer quando você vai estudar, e o Estudaqui também faz isso por você! 

Quer mais uma? Desafiar-se para terminar os ciclos cada vez mais rápido. É uma ótima ideia para se motivar a estudar cada vez mais.

E Crie o hábito de estudar todos os dias. É a melhor maneira para fazer seu plano de estudo para concurso realmente render. 

Com organização, motivação e suas metas sempre em mente, você estará mais preparado no dia da prova, com toda a matéria estudada e revisada, pronto para alcançar seus objetivos!

Quer melhorar o seu método de estudo e aumentar as chances de passar em um concurso público?

O Estudaqui te ajudará a estudar e a montar um plano de estudos eficiente, personalizado e que atenda às suas necessidades. Com ele você sabe como, quando e o que estudar. 

Com um só clique você seleciona a prova que você irá fazer e com outro clique organiza toda a sua rotina dentro do modelo de ciclo de estudos, considerando a sua facilidade PESSOAL em cada disciplina.

Também possui a funcionalidade de controle para que você possa ver o quanto já avançou em cada disciplina e o quanto falta para terminar seu ciclo. 

Além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Conheça o melhor aplicativo para estudo do Brasil. 

 

Um abraço, e bons estudos!

 

Como organizar um ambiente de estudo | GUIA completo

A organização na preparação para um concurso público é extremamente importante. Não só a organização do estudo em si, como do ambiente que será utilizado por horas e horas a fio ao longo desta jornada. Neste artigo, tento responder a diversas dúvidas importantes em relação a como organizar um ambiente de estudo que foram enviadas para o meu e-mail nos últimos anos e que, às vezes, são deixadas de lado por muitos concurseiros.

Saber como organizar um ambiente de estudo é um dos pilares da aprovação. Por isso é tão importante conhecer as principais dicas para criar um local adequado e confortável para suas horas de leitura, exercícios e revisão. 

A seguir, listamos os principais cuidados para você aprender como organizar um ambiente de estudo. Acompanhe! 

6 dicas de como organizar um ambiente de estudo

1. Preciso de uma boa cadeira para estudar para concurso público?

Cadeira para estudoSim, sua cadeira para estudar deve ser a mais confortável possível para que você possa se concentrar nos estudos para o concurso. Ela precisa ter braços, diversas regulagens e um bom estofado.

Nada de estudar nessas cadeiras de cozinha de plástico ou madeira. Caso contrário, sofrerá com dores nas costas e no pescoço, desconcentrando-o do seu estudo.

Consequentemente, por causa das dores, ficará muitas horas a menos sentado na cadeira acumulando HBC, sigla que ficou bastante conhecida no mundo dos concursos, que significa Horas-Bunda-Cadeira.

Mesmo que gaste uns R$ 300 ou mais na compra de uma cadeira, saiba que será um excelente investimento

Não se preocupe com bobagens como a aparência da cadeira. Compre a melhor que seu bolso permitir, mesmo que não combine com os outros móveis. 

Quando passar no concurso, decore sua casa do jeito que quiser, mas agora não é hora de pensar nisso.

As cadeiras grandes chamadas de “executivo” ou “presidente” geralmente não são boas, porque não encaixam bem nas costas. 

Também não são aconselháveis as cadeiras muito estofadas, que alguns lugares chamam de “cadeira do papai”, porque nos deixam longe da mesa e de tão confortáveis vão induzir ao sono.

A mesa de estudos tem que possuir uma altura adequada, pois se for muito alta, seus ombros vão doer, e se for baixa, suas costas que irão sofrer. Regule aumentando a altura da sua cadeira ou colocando calços na mesa.

Se você sempre estudar com os braços apoiados na mesa, a cadeira não precisará ter braços, o que pode baratear sua compra. Caso utilize os braços da cadeira, estes deverão estar na altura dos cotovelos, sem forçar os ombros para cima.

Devemos apoiar as costas, principalmente, na área da curvatura da coluna, e não somente na sua parte superior.

As suas pernas deverão estar dobradas fazendo um ângulo de 90º, com os pés totalmente plantados no chão ou em algum apoio próprio para eles. 

Não cruze as pernas, muito menos se sente em cima dos pés ou das canelas, como se estivesse em posição de meditação. Isso força sua coluna e prejudica a circulação do sangue, tão importante para o bom funcionamento do seu cérebro. 

Procure não balançar as pernas, estude com elas paradas, pois esse movimento prejudica a atenção.

Também evite estudar deitado de bruços, porque é um veneno para suas costas. Você pode até argumentar que sempre estudou no colégio ou na faculdade assim, mas provavelmente era por poucas horas.

Agora, nesta sua fase de concurseiro, o tempo de estudo é bem maior e você deverá passar os próximos meses estudando. Além de fazer um mal terrível para a sua coluna, traz desconcentração e sono.

Leia também: Quanto tempo para passar em concurso público: 4 variáveis que afetam o cronograma.

2. É necessário usar um suporte de livros?

Os suportes são excelentes recursos de como organizar ambiente de estudo. Com o passar dos meses, ao estudar horas a fio com a cabeça abaixada, você começará a sentir muitas dores na nuca, refletindo depois nas costas.

Quando estudamos sem um suporte, baixamos muito a cabeça para ler o livro “deitado” em cima da mesa.

Com o suporte, você vai inclinar o livro uns 30 a 45 graus e forçará menos sua nuca, porque olhará mais reto e menos para baixo. 

Se o livro ainda estiver baixo, coloque livros grossos embaixo do suporte para aumentar a altura. Isso ajuda a evitar dores na nuca que podem te atrapalhar bastante.

Outra vantagem que o suporte possui é que ele mantém a mesma distância da primeira e da última linha da página em relação aos seus olhos.

Quando um livro está deitado em cima da mesa, essa distância varia, causando uma distorção (alongamento) na letra, que embora seja praticamente imperceptível, causa um ligeiro cansaço na vista. Com o suporte, esse tipo de cansaço visual desaparece. 

Pode parecer um mero detalhe, mas já foi provado que este efeito de distorção da letra ocasiona realmente um cansaço visual após horas de leitura.

Tem gente que reclama que ao usar um suporte não tem como fazer marcações no livro. É só saber se adaptar. 

Uma boa tática é marcar a lápis o início e o fim do trecho que é para destacar, para só depois passar a caneta marca-texto. 

Na hora de fazer as anotações, tire-o do suporte e anote. Você vai ver que na maior parte do tempo ou estamos só lendo ou fazendo anotações em um rascunho em cima da mesa. 

Logo, podemos ler o livro em cima do suporte tranquilamente.

Deixe o livro a uma distância de 30 a 45 centímetros dos seus olhos.

Quando estiver lendo, mova somente os olhos, não acompanhe a leitura com a cabeça movendo-a da esquerda para a direita e vice-versa. Isso diminui a velocidade de leitura. 

Leitores rápidos e acostumados a ler bastante desde pequenos não movem a cabeça, só os olhos.

Mas qual modelo comprar? Há diversos no mercado que podem ser de acrílico, de madeira ou de qualquer outro material. 

Há suportes até para ler deitado, mas não os recomendamos para estudo, porque a posição não é indicada, por causar sono.

Eles são indicados para ler livros de leitura antes de dormir, mas aí o sono é bem-vindo, ao contrário do horário de estudo.

No Mercado Livre, você encontra ótimos suportes. Há até uma empresa especializada nisso, a Lector Brasil. Uma busca no Google também mostra inúmeras opções.

Não deixe de utilizar um suporte, pode parecer uma dica boba, mas ajudará muito o seu estudo. Talvez estranhe no início, mas logo vai se acostumar e não vai viver sem ele.

3. Como escolher um lugar para estudar para concursos?

Um dos primeiros passos de como se organizar para estudar para concursos é escolher um local ideal para as horas de preparação. 

Primeiramente, o local deve ser o mais silencioso e sem interferências externas possível. Isso é óbvio, não é? Mas e se você não tiver um local assim? Pense em utilizar alguma biblioteca.

Essa é uma ótima dica porque lá suas distrações serão muito menores, principalmente, para quem tem família e filhos em casa. 

Mas evite sentar voltado para uma porta ou janela, para não se distrair, ou seja, de preferência, sente-se virado para uma parede e longe da entrada. 

Algumas bibliotecas possuem uma iluminação muito fraca, então, no caso destas, talvez tenha que se sentar próximo à janela, para aproveitar a luz natural ou leve uma luminária portátil à bateria. Existem modelos de led bem pequenas e baratas que quebram um bom galho.

Porém, a biblioteca ou outro local propício para estudar não pode fazê-lo perder muito tempo com deslocamento

Se você gastar duas horas diariamente para ir até ela e voltar, no final do ano representará 700 horas de estudo a menos

O barulho, os familiares incomodando, o tempo gasto se deslocando para o seu local de estudo, enfim, tudo isso tem que ser levado em conta na hora de escolher um lugar para estudar.

Há diversos “tampões de ouvido” ou abafadores de ruído que também podem ser usados. Alguns não são muito eficientes como os de silicone que usamos para natação, mas mesmo estes ajudam um pouco. São melhores do que nada! 

Os melhores são encontrados em lojas de roupas e acessórios para segurança no trabalho. Recomendamos fortemente a utilização de um destes, caso não estude em um local silencioso.

O fabricante Peltor possui excelentes abafadores de ruído, daqueles utilizados em estandes de tiro que são vendidos pela 3M aqui no Brasil. 

Apesar de recomendar os de tipo concha da Peltor, esses pesam na cabeça após um tempo de uso, então sugiro que tenha também um chamado “Polimer” que custa uns R$ 2 e é todo verde.

Contudo, não espere que ele abafe tanto quanto um Peltor, mas ajuda bastante e não incomoda quase nada. Ele consegue reduzir o ruído em 16dB. Tem uma versão chamada “3M Pomp Plus” que tem a mesma aparência, mas é laranja com a cordinha branca, que reduz 18dB

O Peltor H10A do tipo concha reduz 27dB, porém é mais caro e um pouco pesado. Tem uma versão mais barata e mais leve que reduz 20dB a 26dB.

Você pode ainda fazer uma combinação: nos momentos mais críticos de barulho use o Peltor com um desses internos que indicamos. 

Se optar por usar um abafador, prepare-se para ficar lindo estudando com aquilo na cabeça, parecendo o Mickey ou a Minnie.

E mais uma recomendação importante: além de procurar um local silencioso, evite ao máximo interrupções externas durante o seu estudo.

Alguns pesquisadores estudaram o prejuízo que ocorre quando estamos concentrados estudando e somos interrompidos. 

Se você estiver em seu nível máximo de concentração e for incomodado por algum barulho, como alguém lhe chamando ou um telefone tocando, você vai levar em torno de 15 a 25 minutos para voltar ao seu estágio anterior de concentração. Se você for mulher, levará um pouco menos.

Sabendo disso, pense no quanto você vai se prejudicar ao atender a um telefonema ou a um chamado de algum parente para comer.

Bem, então qual é a primeira coisa a fazer após saber desse estudo? Desligar seus telefones! Coloque-os no modo silencioso e sem vibrar, pois a vibração também irá desconcentrá-lo. Depois retorne as ligações e mensagens que merecem sua atenção. 

Algumas pessoas, principalmente as mães, ficam preocupadas com seus filhos caso algo aconteça na escola, por exemplo, e nunca desligam os celulares, recebendo assim centenas de ligações que não são urgentes (ainda bem). 

Caso seja este o seu caso ou algo parecido, se possuir um telefone fixo, peça para que seus familiares mais próximos liguem para você no telefone fixo, nunca no celular.

Ou então, se você tiver apenas celular em casa, utilize a função “Não perturbe” dele, essa função dos “smartfones” é muito boa, e resolverá o seu problema. Ela é, juntamente com o aplicativo Estudaqui, uma das grandes dicas como a tecnologias pode ajudar muito nos seus estudos.

Se quiser saber mais sobre a função “Não perturbar”, leia nosso artigo de “Aplicativos para estudar para concursos públicos”. Nós a explicamos bem nesse artigo. E se quiser saber mais sobre o Estudaqui basta ler esse artigo até o final.

A preocupação e o tempo dedicado à maternidade e a paternidade também são pontos delicados para muitas pessoas que desejam estudar para um concurso, vestibular, ou qualquer outra prova difícil. Algumas pessoas acham que é impossível estudar tendo filhos. Isso não é verdade! 

É claro que você precisará de mais jogo de cintura, mas com disciplina e apoio familiar, tudo pode dar certo. Separamos dois artigos sobre assunto e indicamos abaixo: 

Ainda tem outra maneira, que também funciona para quem estuda fora de casa: compre um celular simples pré-pago e passe-o somente para seus contatos de emergência como seu filho e a escola dele e seus pais. 

Não passe esse número para sua lista de contatos. Quando estiver estudando, deixe somente ele ligado e o seu bonitão desligado.

Além disso, quando ligar para alguém, estabeleça um tempo máximo para despender com a ligação. Você tem que voltar a estudar logo caso tenha sido interrompido.

Claro que não estamos nos referindo às suas horas de lazer e, sim, da hora em que poderia estar estudando em vez de perder seu tempo precioso falando bobagem ao telefone.

Peça para ser incomodado somente em último caso. Por último caso entenda aquelas situações extremas, tais como: sua casa pegando fogo, seu filho se machucando ou quando o Flamengo conseguir ganhar do Vasco. 

Explique para sua mãe ou outro parente qualquer que tem programação para a hora de parar de estudar para almoçar. Não os deixe interromper seu estudo gritando o tradicional: Fulano, vem comer logo, porque seu bife vai esfriar! 

Se fizerem isso, o que vai esfriar vai ser seu cérebro. Saiba a hora aproximada de fazer suas refeições e assim que achar conveniente parar seu estudo para ir comer, faça isso.

Alexandre Meirelles, em seu livro “Como Estudar para Concursos”, relata que soube de um rapaz que trabalhava durante o dia e quando chegava em casa havia muito barulho por causa dos filhos. Ele passou a estudar dentro do carro na garagem do seu prédio. Mesmo nesta circunstância, passou em um concurso concorridíssimo. 

É como reza o ditado: quem quer arruma um jeito; quem não quer, arruma uma desculpa.

Para finalizar este item sobre como organizar o ambiente de estudo, apresentamos o resultado de um artigo publicado recentemente, que afirma o contrário do que todos os especialistas sempre recomendaram: que se deve ter um local fixo para estudar

Este artigo mostrou que é melhor que haja sempre alteração do local de estudo, pois se constatou que, quando precisarmos nos lembrar de uma informação, será mais fácil nos recordarmos quando conseguimos associá-la ao local no qual a estudamos.

Sinceramente, não concordamos com isso. Até acreditamos que o local diferente nos ajude a lembrar, mas isso se aplica para quem não estuda com tanta frequência como nós. 

Como fazer para alterar toda hora o local se o estudante terá que estudar por meses e meses? Impossível, concordam? Você mora em uma mansão com dezenas de quartos disponíveis para estudar? 

Apesar de não concordarmos com esse estudo, por achar que não se adéqua à vida de concurseiros e vestibulandos, não quisemos deixar de mencioná-lo, para que você tome conhecimento e possa refletir ao organizar seu ambiente de estudo.

4. De que forma a mesa de estudo deve ser organizada?

Organização da mesa de estudoPrimeiramente, sua mesa não pode estar muito ocupada, nem o ambiente à sua volta. A desordem causa uma tensão visual, uma sensação de caos e de falta de motivação para estudar, devido à sobrecarga de estímulos.

Logo, não acumule mil livros e outros objetos em cima de sua mesa. Deixe-os por perto, mas não em cima da mesa. A não ser que tenha espaço suficiente para escrever e manusear seus materiais. Entretanto, sempre deixe  em cima dela:

  • o suporte para livros;
  • canetas coloridas;
  • régua;
  • luminária;
  • água etc.

Não acumule também inúmeras canetas e lápis que raramente utiliza. Coloque as canetas comuns, a caneta marca-texto e as lapiseiras dentro de um porta objetos, guardando aquelas que quase nunca utiliza em um local diferente da mesa de estudos.

Sempre que for estudar uma disciplina, deixe à mão os materiais que geralmente utiliza, para que não precise se levantar da cadeira, causando desconcentração. 

Exemplo: se for estudar Direito Constitucional, pegue o(s) livro(s) que sempre usa e a Constituição Federal e deixe-os ao alcance de suas mãos.

Não deixe materiais de disciplinas diferentes da que você for estudar em cima da mesa para não causarem distração.

Outra dica que aconselhamos é colocar um tampo de vidro em cima da sua mesa, deixando-a totalmente plana para escrever. Custa em média apenas R$ 40,00.

Embaixo desse vidro você pode colocar um papel com algumas frases curtas que lhe motivem a estudar mais, como “No final tudo compensa”, e outras mais.

Há pessoas que colocam um papel com o salário que querem conquistar ou até mesmo um xerox de um contracheque (“holerite”, para os paulistas) de um amigo. 

Alguns colocam fotos de lugares que querem conhecer no futuro. Enfim, coloque aquilo que lhe dê ânimo. Você vai precisar!

Esses tipos de mensagens são importantes para que você obtenha um gás a mais nos momentos de desânimo enquanto estiver estudando. 

Escreva frases curtas. Elas podem estar embaixo do tampo de sua mesa, como mencionamos acima, coladas na parede à sua frente, ou em qualquer outro lugar de fácil visualização.

O importante é que você use esse lugar para lembrar porque você estuda para concursos. Quais sãos suas motivações para encarar essa missão?

Você também pode colocar uma planilha com o número de questões que caíam em cada prova, com seus respectivos pesos e até um cartaz de um carro novo que você quer comprar quando conquistar o salário almejado.

Falando em número de questões e pesos, esse é mais um ponto em que o Estudaqui vai mudar sua vida para a melhor. Com ele você nunca mais precisará se preocupar com isso, pois ele tem todo esse trabalho por você. Leia mais detalhes no site da Estudaqui.

5. Como iluminar o ambiente de estudo?

Iluminação para estudoA iluminação do seu local de estudo não pode ser muito forte para não arder seus olhos, nem muito fraca, pois vai ocasionar desconcentração e, consequentemente, sono.

De preferência, aproveite a luz natural, porque é melhor do que a artificial. Mas não é para deixar a luz do sol incidir diretamente no seu material de estudo e, sim, para deixar entrar a luz que vem indiretamente por sua janela. 

Experimente estudar na praia com o sol incidindo diretamente em seu material de estudo e sentirá o incômodo que ele causa.

E mesmo a luz artificial também não pode incidir diretamente em cima do papel. Ela tem que ser difusa, caso contrário, como o papel branco reflete em média 85% da luz, os seus olhos começarão a arder com o passar das horas e o seu estudo renderá menos. Projete-a na parede para que só o seu reflexo atinja o papel.

Nunca deixe uma lâmpada piscando em seu ambiente de estudo porque vai atrapalhar bastante sua concentração. Troque-a o quanto antes, de preferência por uma lâmpada fria (fluorescente comum ou compacta ou LED). 

A compacta é aquela que chamamos de eletrônica com bocal igual ao de uma lâmpada incandescente comum. Já a fluorescente comum é aquele tubo grande que colocamos no teto. 

Há ainda uma fluorescente compacta que é chamada de “não integrada”, porque não tem aquela rosca da lâmpada comum, e sim dois pininhos. Sua iluminação é melhor que a compacta comum, mas pouca coisa, não vale gastar a mais só por isso.

A comercialização da lâmpada incandescente com 60W ou mais está proibida desde 2015. Logo, inevitavelmente, você terá que colocar uma lâmpada fria em seu ambiente de estudo. Seu bolso na hora de pagar a conta de luz agradecerá.

Evite fazer sombra em cima do material de estudo. Logo, se for destro, coloque a iluminação vindo da esquerda; se for canhoto, da direita. Assim sua mão e seus outros objetos de estudo, como canetas e régua, farão menos sombra no material.

Caso sinta seus olhos ardendo ou cansados, experimente esfregar suas mãos uma na outra até aquecê-las bem e coloque-as sobre os olhos por uns 30 segundos. Isso ajudará a relaxá-los.

Estudos recentes mostraram que pessoas de todas as idades comumente aumentam o grau de miopia ao atravessarem uma fase de estudos, como vestibulares e concursos. Então seguir essas dicas sem dúvida minimiza a chance disso acontecer.

6. Qual a melhor forma de organizar os materiais impressos?

Parte do processo de como organizar o ambiente de estudo está relacionado à necessidade de organizar seu material. Comece dividindo tudo de acordo com a disciplina a qual pertencem.

Os livros até podem ser colocados todos na mesma estante, pois são fáceis de serem localizados. Os materiais impressos devem ser separados em diferentes pastas, gavetas ou prateleiras. Economiza muito tempo de estudo.

No início, você achará que isso é exagero, mas, com o passar do tempo, a quantidade de materiais impressos como apostilas, questões de concursos públicos, resumos, provas, mapas mentais para estudos, dicas etc. será imensa. 

Se não estiver tudo muito bem dividido, tomará uma boa quantidade do seu precioso tempo de estudo a constante busca desses materiais.

Imagine-se estudando concentradamente uma matéria quando no meio do estudo decide consultar algo em outro material da mesma disciplina. 

Se estiver tudo muito bem organizado, rapidamente achará o que quer e voltará ao estudo, sem muita perda na concentração. Agora, se demorar a achar o que quer encontrar, além do tempo perdido, quando voltar a estudar, estará com uma concentração muito menor.

Essa dica é muito simples para organizar o ambiente de estudo: se imprimiu uma dica sobre como estudar ou algum boato de concurso, coloque-a em uma pasta própria

Se foi uma prova, idem. Se foi um edital, idem. Se foi um texto sobre alguma disciplina, coloque-o na pasta reservada para ela. 

Vai ser muito mais fácil estudar dessa forma, deixando uma pasta só com provas, outra só com editais de concurso público etc. Ao final de meses estudando, terá poupado muitas horas.

O mesmo vale para a utilização do computador. Organize tudo em pastas e subpastas. Crie pastas para cada disciplina, subdividindo-a em apostilas, exercícios, resumos etc.

Tenha uma pasta para provas, subdividida por banca examinadora, outra para editais e outra para dicas de estudo e outra para textos diversos.

Organizar ambiente de estudo

Imagem livre para compartilhamento, desde que mencione este artigo com o respectivo link.

Gostou das dicas de como organizar ambiente de estudo?

Agora que você sabe como organizar ambiente de estudo está pronto para começar a se preparar para atingir seu grande objetivo

Com essas dicas aplicadas é hora de se concentrar em seu plano de estudo para concurso e dá para criá-lo de forma prática e automática com o Estudaqui, um aplicativo para celular que monta seu plano de estudo ideal, com base em mais de 15 fatores relacionados à sua prova e suas características pessoais. 

Além de mostrar o histórico de horas estudadas, o Estudaqui também dá dicas personalizadas de como melhorar o seu aprendizado diariamente. E é o único do mercado que consegue fazer um ciclo de estudo com maestria. Os concorrentes não conseguem montar ciclos eficientes, o que pode te atrapalhar muito. 

Pra fechar com chave de ouro, o aplicativo da Estudaqui ainda fornece estatísticas relacionadas ao seu desempenho, que te ajudam a acompanhar seu progresso de maneira prática e rápida. 

Aproveite o teste gratuito de 7 dias para conhecer todos as funcionalidades, pois vai aumentar muito as suas chances de aprovação. 

 

Um abraço, e bons estudos.

Quais são os melhores concursos públicos do Brasil atualmente?

Hoje existem concursos públicos variados para diferentes escolaridades, áreas e cargos. Mas você já pensou sobre quais são os melhores concursos públicos do Brasil?

Muitos concurseiros focam seriamente em sua área de estudo para se dedicar às provas. Outros procuram as melhores oportunidades para começar a estudar mais.

E onde estão as melhores oportunidades para quem presta concurso? No texto de hoje, abordaremos os melhores concursos públicos, aqueles que oferecem boas remunerações em todo o Brasil. 

Venha descobrir o que mais se encaixa no seu perfil e comece a estudar hoje mesmo!

Observação: nossa análise neste texto será em cima quase que somente das remunerações, não entraremos em outros aspectos como aptidões pessoais, satisfação no exercício da profissão, locais de moradia etc.

LISTA dos melhores concursos públicos do Brasil

1. Concurso da Polícia Federal

Esse é um dos melhores concursos públicos e é sempre um dos mais aguardados entre os estudantes. O concurso tem vagas distribuídas para os cargos de:

  • Agente de polícia; 
  • Escrivão;
  • Delegado; 
  • Papiloscopista policial; 
  • Perito criminal.

Quem tem formação em Direito pode tentar o cargo de delegado – a remuneração prevista é de R$ 22.672,48. Já quem tem formações em outras áreas pode tentar os cargos de agente ou escrivão, por exemplo, com uma remuneração de R$ 11.983,26.

2. Concurso da Polícia Rodoviária Federal

A Polícia Rodoviária Federal também está entre os melhores concursos públicos do país e será um dos mais disputados quando sair um novo edital. O último concurso abriu oportunidade para 500 vagas.

A remuneração para o cargo é de R$ 10.357,88, já incluso o auxílio-alimentação no valor de R$ 458,00. Quem está de olho nesta prova pode começar a se preparar, pois já existe a previsão de um novo edital. 

3. Concurso da Receita Federal

A Receita Federal não abre concurso desde 2014. Em 2017, foi feito o último pedido de edital junto ao Ministério da Economia, mas até a data desta publicação ainda não foi liberada a aprovação. 

A categoria vive um grande déficit de funcionários, o que torna a aprovação ainda mais urgente. 

De acordo com a Central de Concursos, foram solicitadas 2.083 vagas para cargos como auditor e analista. O primeiro tem uma média salarial de R$ 19 mil, enquanto o segundo fica com R$ 11 mil.

Mas atenção: além de ser bem concorrido, o concurso da Receita Federal também exige conhecimento de muitas disciplinas na prova.

4. Concurso do Banco Central

Outro dos melhores concursos públicos, o Banco Central recrutou 500 vagas para as posições de Técnico (100) e Analista (400), no último edital

Negociações estão em andamento e pedem um novo concurso urgente para preencher o déficit de mais de 2.700 cargos vagas, mas ainda sem previsão. 

A remuneração dos cargos varia de R$ 5.158,23 a R$ 13.595,85. Quem tem formação em Direito também pode tentar o cargo de procurador com remuneração aproximada de R$ 15 mil.

A prova exige do concurseiro muito conhecimento nas áreas de economia e contabilidade, ideal para quem tem formação – ainda que não seja um pré-requisito.

5. Concurso da Agência Brasileira de Inteligência (Abin)

A Agência Brasileira de Inteligência é um órgão criado para investigar ameaças reais ou potenciais e defender o estado democrático de direito. 

A Agência recruta profissionais de níveis médio e superior para cargos como Agente Técnico de Inteligência e Oficial Técnico de Inteligência.

No último edital do concurso, a remuneração do primeiro ficava em R$ 6.302,23, enquanto os Oficiais Técnicos podem receber R$ 15.312,74.

6. Concurso do INSS também está entre os melhores concursos públicos

O concurso do INSS é um dos que mais oferecem vagas, por isso o incluímos dentre os melhores concursos públicos do Brasil.

Porém, não pense que o número de vagas deixa o concurso mais fácil: por ser uma prova que exige poucas disciplinas, o concurso do INSS é muito procurado pelos estudantes.

7. Concurso do Ministério Público da União (MPU)

Além de ser um dos concursos mais esperados, as vagas para o Ministério Público da União também são bastante concorridas. Não é por menos: a remuneração do cargo de técnico fica em R$ 7.260,41. 

Na época da última prova, o cargo de analista estava com uma remuneração acima de R$ 8 mil e deve aumentar no novo edital.

8. Concursos dos Tribunais Regionais do Trabalho (TRT)

Nas últimas provas dos TRTs, a remuneração era alta: mais de R$ 5 mil para cargos técnicos e mais de R$ 10 mil para analistas. Juízes do trabalho do TRT recebiam até R$ 27.500,17.

9. Concurso do Ministério da Fazenda

O Ministério da Fazenda também está entre os melhores concursos públicos, já que é muito aguardado e disputado pelos concurseiros. 

Nas últimas seleções, as remunerações foram de R$ 3 mil para Assistentes Técnico-administrativos até quase R$ 13 mil para Analistas. A previsão é que esses valores aumentem em concursos futuros.

lista-melhores-concursos-brasil

10. Concurso do Ministério Público do Trabalho

O MPT atua em questões de irregularidades trabalhistas. Ele se encaixa entre os melhores concursos públicos do país por causa do cargo de procurador do trabalho. 

A vaga exige ensino superior em Direito, uma experiência de pelo menos 3 anos de prática forense e, na última prova, oferecia uma remuneração de mais de R$ 24 mil. 

Além de Procurador, existe o cargo de Auditor-Fiscal do Trabalho, também muito visado pelos concurseiros com qualquer nível superior, com remuneração igual à do Auditor-Fiscal da Receita Federal.

11. Concursos dos Tribunais Regionais Federais (TRF)

Assim como os Tribunais Regionais do Trabalho, os TRFs de cada região abrem concursos em épocas diferentes. Por isso, é preciso sempre ficar ligado. 

Quem tem até o ensino médio pode tentar os cargos de Técnico Judiciário. Nas últimas provas, as remunerações ficavam em R$ 5.425,79.

Já para quem tem ensino superior, os cargos de Analista Judiciário e Juiz Federal Substituto pagavam, aproximadamente, R$ 9 mil e R$ 27 mil.

12. Concurso do Senado Federal tem um dos melhores concursos públicos

O Senado Federal também está entre os melhores concursos públicos e oferece remunerações altas, tanto para quem tem ensino médio quanto para quem tem ensino superior. 

Na época do último concurso, a remuneração para Técnico Legislativo chegava a R$ 19 mil. Em cargos de ensino superior, como Consultor e Analista Legislativo, os valores ficavam em aproximadamente R$ 24 mil e R$ 20 mil.

13. Concurso da Câmara dos Deputados

Outro órgão governamental que oferece boas remunerações, a Câmara dos Deputados também está entre os melhores concursos públicos do país. 

Na última prova, a remuneração inicial do Técnico Legislativo era de mais de R$12 mil. Os cargos de analista e consultor tinham remunerações maiores do que R$ 25 mil, além dos benefícios.

14. Concurso da Defensoria Pública da União

Esse é um dos melhores concursos públicos para quem é graduado em Direito e tem pelo menos dois anos de experiência atuando na área jurídica.

A remuneração inicial de um Defensor Público da União, no último concurso, era de R$ 16.489,37. Nas próximas provas, esse valor deve aumentar.

15. Concurso do Tribunal de Contas da União

As remunerações para quem faz a fiscalização financeira e contábil da União também são altas. No último concurso, os Técnicos Federais de controle externo recebiam remuneração de mais de R$ 7 mil. Os Auditores Federais de Controle Externo recebiam mais de R$ 14 mil.

16. Concurso da Controladoria Geral da União

Mais um exemplo de como os concursos da União estão entre os melhores concursos públicos do Brasil, a Controladoria Geral da União oferece remunerações que vão de R$ 6 mil (para Técnico de Finanças) até R$ 16 mil (para Analistas).

17. Concurso da Advocacia Geral da União

Os profissionais responsáveis pela advocacia pública no âmbito Federal também recebem remunerações altas, de acordo com os últimos concursos. 

Para quem tem formação em Direito, os advogados da União recebem, em média, R$ 17 mil.

18. Concurso da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional

Para ser um Procurador da Fazenda Nacional e exercer a defesa judicial da União, você deve ter formação em Direito e pelo menos dois anos de prática forense. No último concurso, a remuneração era, em média, R$ 16 mil.

Como você pode ver, existem diversas opções para quem quer passar em uma prova. Essa é uma lista atual dos melhores concursos públicos do país tendo em vista os cargos e remunerações pagas.

Lembre-se, no entanto, de não guiar suas decisões apenas pela remuneração: há muito trabalho para ser feito e você precisa gostar do que faz para ser um bom profissional.

Como estudar e ser aprovado nos melhores concursos públicos?

Agora, é hora de visitar os editais dos últimos concursos e começar a montar seu plano de estudos

Como são concursos concorridos, é importante que você tenha foco e saiba otimizar seu tempo da melhor maneira.

Para orientar a organização das matérias do seu edital, aproveite as vantagens que a tecnologia oferece. Recomendamos que você conheça o aplicativo do Estudaqui que ajuda a montar ciclos de estudo.

O app organiza as matérias automaticamente considerando suas facilidades pessoais e as exigências do concurso público que você escolheu.

Atualmente  o Estudaqui é a única opção do mercado que consegue fazer esse planejamento com maestria. Os concorrentes não fazem ciclos tão eficientes, o que pode  atrapalhar muito seu desempenho.

Com um só clique você seleciona a prova que você irá fazer e com outro clique organiza toda a sua rotina dentro do modelo de ciclo de estudos, considerando a sua facilidade PESSOAL em cada disciplina.

 O plano de estudos criado é eficiente, personalizado e atende às suas necessidades. Com ele você sabe como, quando e o que estudar. 

O Estudaqui possui ainda a  funcionalidade de controle para que você possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e o quanto falta para terminar um ciclo. 

 Além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Gostou das dicas? Então conheça mais sobre o Estudaqui. Você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo.

Bem, caros concurseiros, esperamos ter conseguido explicar quais são os melhores concursos públicos do país e incentivá-lo a começar a se preparar. 

Um abraço, e bons estudos!

Como se organizar para estudar para concurso público sem estresse

Pensar em como se organizar para estudar para concurso público pode ser muito estressante. Afinal, a concorrência e as expectativas são grandes e você precisa estudar muito para ter uma chance de passar.

Contudo, será possível passar por todo esse processo sem estresse e estudar com tranquilidade para o grande dia?

Veja nossas dicas de como se organizar para estudar para concurso público e aprenda a controlar o estresse e o nervosismo durante a fase de preparação!

Como se organizar para estudar para concurso?

Se você quer saber como se organizar para estudar para concurso sem deixar que o estresse tome conta, existem técnicas de estudo simples, que podem ser aplicadas de diversas maneiras. 

Depois de analisar o edital e de selecionar uma boa bibliografia para o concurso escolhido, você pode melhorar ainda mais sua organização e qualidade de estudo.

Encontrar técnicas alternativas para estudar vai fazer de sua rotina menos estressante, mais fluida e mais prazerosa. Veja abaixo algumas técnicas que podem ajudar a se organizar para estudar para concurso:

1. Ler em voz alta

Uma boa dica de como se organizar para estudar para concurso é ler em voz alta. Pode parecer um método sem propósito, mas esse tipo de leitura traz dois benefícios:

  • Ajuda a se desligar de distrações: o esforço de ler em voz alta e sua voz fazem com que sua mente se ocupe primeiro da matéria, esquecendo as distrações;
  • Dobra a absorção de informações: quando você lê em voz alta, absorve as informações pelo canal visual e pelo auditivo.

Quando estiver cansado de estudar, tente ler em voz alta – especialmente se for uma matéria ou trecho mais difícil de entender. 

Faça isso por alguns minutos, até você notar que sua concentração está voltando, e depois pode parar com esta forma de leitura, porque cansa.

estudar-concurso-ler-voz-alta
Ler em voz alta é uma boa técnica para fixar os conteúdos e manter o foco. Assim fica mais fácil estudar para um concurso.

2. Fazer anotações

Muitas pessoas acham que fazer anotações durante uma aula é uma distração. Porém, não há como se organizar para estudar para concurso sem reuni-las. Elas são essenciais para quem tem uma memória mais visual e ajudam a organizar seus pensamentos.

Você já se sentiu tão sobrecarregado de informações que não sabia quais eram importantes ou como elas estavam relacionadas? Fazer anotações deixa seus pensamentos mais claros e organizados, evitando confusões.

3. Estudar os conceitos básicos

Alguns estudantes sentem muita dificuldade com as partes mais complexas de uma matéria porque não dominam os conceitos básicos. 

Imagine como é difícil tentar entender o que é uma oração subordinada quando você não sabe a diferença entre frase e oração, por exemplo. Ou aprender Matemática Financeira se você não lembra como realizar cálculos com potências.

Compreender as matérias a partir do básico é essencial para que você entenda as partes mais complexas sem tanto estresse. Assim, fica mais fácil se organizar para estudar para concurso, pois você consegue dar um direcionamento por onde começar.

4. Conectar ideias

Aprender como se organizar para estudar para concurso público exige método. Criar mapas mentais e fazer anotações que conectem conceitos uns aos outros é uma boa forma de gerar conhecimento.

5. Estudar antes de dormir

Você não precisa estudar até altas horas da noite, nem quando estiver muito cansado física e mentalmente. Entretanto, fazer uma pequena revisão antes de dormir ativa sua memória e ajuda a gravar informações. 

Que tal uma lida rápida nos seus resumos antes de pegar no sono? Veja mais dicas no vídeo:

6. Estudar com colegas

Uma das principais causas de estresse entre concurseiros é a falta de vida social. Os estudos ocupam tanto tempo no seu cotidiano que você não consegue se encontrar com os amigos para conversar e se divertir.

Contudo, organizar-se para estudar para concurso não precisa ser um sofrimento, estudar com colegas pode ser uma ótima opção.

Vocês podem se ajudar em algumas questões, ensinar as matérias uns aos outros e passar algum tempo juntos. Estudo e vida social não precisam estar separados! 

Entretanto, cuidado! O estudo em grupo só é recomendável por poucas horas por semana, como em uma tarde de um dia, por exemplo, nada de estudar só em grupo, ok?

Esses são alguns métodos de como se organizar para estudar para concurso que vão deixá-lo menos estressado e que podem ser usados mesmo quando você estiver cansado de estudar. Eles são flexíveis e se adaptam facilmente ao seu planejamento de estudos!

Aprendendo a controlar o estresse nos estudos

Agora que você já sabe os métodos de como se organizar para estudar para concurso que podem deixar sua rotina mais simples e tranquila, é hora de aprender como controlar o estresse. 

Algumas práticas te ajudarão a entender quando é hora de parar e cuidar melhor de sua saúde enquanto se prepara para a prova. Veja:

Saber reconhecer o estresse

Existe um estresse comum, pelo qual todos passamos. Uma resposta natural do organismo quando acontece algo inesperado, desagradável ou assustador. Quando você passa muito tempo estudando e se preocupando com provas, é normal ficar estressado assim.

Contudo, é importante saber diferenciar essa sensação natural e corriqueira do estresse crônico, que prejudica sua saúde. Pessoas que sofrem de estresse crônico têm diversos sintomas físicos e psicológicos, como fadiga, insônia, inquietação, indigestão, falta de memória, bruxismo e compulsão alimentar.

O estresse crônico enfraquece seu sistema imunológico, deixando-o mais propenso a ter gripes, resfriados e infecções. Os músculos ficam mais tensos, causando dores e sintomas como arritmia cardíaca e hiperventilação.

Quando você consegue perceber alguns desses sintomas em seu dia a dia, é hora de admitir que seu problema é maior do que um estresse corriqueiro. O estresse crônico prejudica sua saúde e torna atividades como se organizar para estudar para concurso, impossíveis.

Aprender a respirar

Você sabia que muitos adultos respiram do jeito errado? Pode parecer estranho, já que respirar é uma função automática, mas muitos de nós respiramos pela boca, ou enchemos o peito quando respiramos. Isso prejudica a oxigenação do sangue.

Para respirar da maneira certa, deite-se ou sente-se com a coluna reta e coloque uma mão em seu abdômen. Inspire lentamente pelo nariz, sentindo os pulmões se encherem e seu abdômen se expandir com o movimento. Segure o ar por alguns segundos e depois o solte lentamente, pela boca.

Repetir esse processo algumas vezes ajuda a acalmar a mente, organizar os pensamentos e se sentir renovado para continuar estudando para concurso.

Fazer pausas

Estudar por horas sem parar não só aumenta seu estresse levando à exaustão, como também é contraproducente. A partir de dado momento, você para de absorver informações e começa a ficar mais confuso. Fazer pausas é o segredo para aumentar a produtividade.

Experimente fazer pelo menos uma pausa a cada 1h30 minutos de estudo, no máximo. Nesse tempo, converse com alguém, veja suas mensagens, ande pela casa, coma alguma coisa, beba água, vá ao banheiro etc. Quando você voltar, estará se sentindo mais atento e conseguirá focar melhor nos estudos.

Cuidar da saúde

Você não vai conseguir estudar para prova nenhuma se não tiver saúde. Para saber como se organizar para estudar para concurso, comece cuidando de sua saúde – física e mental. 

Em suas pausas, coma lanches e faça refeições saudáveis, com frutas, verduras e cereais. Beba bastante água e use o chá como uma alternativa ao café durante o dia.

Procure separar um tempo na semana para se exercitar e, todos os dias, alongue-se pela manhã e de noite. Isso evita dores nas costas e outras dores musculares que podem deixá-lo desconfortável e impedir que você estude.

Pensar em como se organizar para estudar para concurso passa por manter os cuidados com a saúde em dia. Exercícios e boa alimentação são essenciais!

estudar-concurso-cuidar-saude

Descansar

Mesmo que seja importante estudar com regularidade, descansar é imprescindível para sua mente. Separe um dia da semana, pelo menos, para não estudar. Aproveite-o para sair com os amigos, curtir a família, praticar esportes ou fazer o que você mais gosta.

Além disso, não estenda os estudos até de madrugada: dormir de seis a oito horas por noite é essencial para acordar com energia e disposição para encarar o dia de estudos.

Seguindo essas dicas, você já sabe como se organizar para estudar para concurso público sem estresse. Coloque seu bem-estar em primeiro lugar e esteja sempre em sua melhor forma para se dedicar aos estudos!

Comece a se organizar para estudar para concurso

Colocando essas dicas em prática você conseguirá se organizar para estudar para concurso e ser mais produtivo.

E se você quer organizar ainda melhor tanto o tempo quanto a qualidade do seus estudos, como falamos acima, você pode começar a usar um app para ciclo de estudos.

Esse tipo de aplicativo organiza seu plano de estudo de forma automática, considerando as características da prova e também aspectos individuais de desempenho.

O Estudaqui é consegue fazer com perfeição esse trabalho, até então manual. 

Os concorrentes, como o Aprovado, por exemplo, não geram ciclos eficientes, o que pode atrapalhar o desenvolvimento do seu estudo.

Além disso, o Estudaqui agrega outras funcionalidades, como estatísticas sobre a quantidade de horas estudadas e dicas personalizadas de como melhorar o seu aprendizado diariamente.

Se você nunca testou uma ferramenta desse tipo, pode usar o período de teste grátis — o Estudaqui oferece 7 dias — para ver na prática a utilidade e funcionalidade do app na sua rotina. 

Acesse o site da Estudaqui e conheça mais sobre o os detalhes. Você aproveitará muito melhor seu tempo e otimizará muito os seus estudos.

 

Um abraço, e bons estudos. 

Jeito fácil de montar ciclos de estudo e ganhar horas preciosas

Existe um jeito fácil de montar seus ciclos de estudo? Teria como usar tecnologia para turbinar seus estudos de maneira a ganhar preciosas horas extras no seu sofrido mês de estudante?

A pergunta acima “ecoa” em minhas caixas de e-mail há mais de uma década, e é graças ao vídeo que fiz esta semana que resolvi escrever este artigo. Leia-o até o fim e sorria, pois finalmente você tem uma ótima novidade tecnológica para comemorar.

Como tudo começou

Resumindo a história: essa semana fiz um vídeo do meu quadro “Alex Responde” que acabou se tornando algo viral em questão de e-mails recebidos com dúvidas, mesmo eu tendo falado no vídeo que eu não participo do projeto e pedido para por favor não me enviarem dúvidas rs. E é justamente por isso que resolvi ajudar mais pessoas, e também a mim mesmo, com este artigo.

No “Alex Responde” eu respondo (obviamente) semanalmente a dúvidas interessantes de concurseiros. Apesar de eu receber a pergunta acima há uma década, nunca tive uma resposta rápida para ela.

Pelo contrário, sempre expliquei que se a pessoa queria fazer um ciclo de estudo bom de verdade ela tinha que se tornar quase que uma especialista no assunto e indicava dezenas de artigos para isso, inclusive os meus. Afinal, fazer um ciclo de estudo bem feito exigia um pouco de conhecimento e TEMPO.

O que mudou agora para finalmente termos este “milagre”?

Há cerca de 2 ou 3 meses tudo mudou, a tecnologia finalmente nos trouxe uma novidade no mundo do estudo que, acredite, vale a pena você testar: O aplicativo Estudaqui.

O aplicativo tem um pouco mais de tempo que isso, mas ele vem melhorando a cada atualização, e agora finalmente chegou a um ponto em que o considero quase irrecusável para seu estudo.

Veja bem, ele não é perfeito, e como todo aplicativo de tecnologia ainda possui alguns bugs, mas meus alunos da mentoria dizem que o grande diferencial da Estudaqui é o suporte e o fato de ouvirem os estudantes. Segundo os alunos, se você reportar alguma necessidade de melhoria no aplicativo e a equipe considerá-la relevante, em poucas semanas ela estará lá, e é por isso que ele tem melhorado tanto a cada atualização.

Certo, e como funciona o Estudaqui?

Não vou me alongar muito aqui explicando detalhes porque, afinal, sou o pai do ciclo de estudo, mas não do aplicativo rs. Se você quiser conhecer detalhes o melhor lugar pra isso é na página da estudaqui.

Eu já disse, e repito: Não tenho nada a ver com o projeto da Estudaqui, indico porque quero ajudar, caros sofredores. Conheço sim os responsáveis pelo aplicativo, e sei que são de total confiança.

E lhe imploro uma última vez, caso tenha alguma dúvida sobre o app, não me mande, envie-a direto para eles utilizando o contato que está lá no site, ok?

Pra finalizar, assista ao meu vídeo de apenas 2 minutos, no qual, respondendo a essa famosa pergunta, acabei falando do Estudaqui.

Vou anexá-lo logo abaixo e sugiro que você realmente assista a ele e teste o aplicativo, pois o seu concorrente certamente o fará.

 

 

Abraço e bons estudos, agora com mais ajuda da tecnologia.

 

 

Matemática básica para concurso: aprenda como estudar a matéria

Matemática é uma das matérias que mais assusta os concurseiros quando aparece em um edital. Afinal, é a disciplina mais temida desde os primeiros anos da escola. No entanto, muitos nem sabem o que pode ser considerado matemática básica para concurso.

Por isso, no texto de hoje,trataremos de como se preparar para a prova de matemática, quais tópicos estudar mais e como você pode dominar a matemática básica para concurso com muito estudo e prática. Confira nossas dicas!

O que é a matemática básica para concurso?

A primeira dúvida a ser tirada sobre esse assunto é o que exatamente os editais querem dizer com “matemática básica para concurso”. Podemos considerar matemática básica como aquilo que é ensinado nos ensinos Fundamental e Médio, ou seja, do sexto ano até o último ano do Ensino Médio.

Por isso, quem quer prestar um concurso público que exija matemática básica pode sair na frente se já tiver completado o Ensino Médio. Assim, você precisa apenas revisar matérias que já aprendeu.

Porém, às vezes, o que aprendemos na escola é ensinado de modo raso ou pode fazer muito tempo desde que terminamos o Ensino Médio e todas essas matérias foram esquecidas.

Por isso, saber como montar um bom plano de estudo para matemática básica para concurso é essencial. Com ele, você estuda de forma eficiente para alcançar os resultados desejados.

Plano de estudo de matemática básica para concurso

plano-estudo-matematica-basica-concurso

Para saber como montar seu plano de estudo, você deve, primeiro, saber quais são os tópicos mais frequentes sobre matemática básica que caem nas provas.

É importante lembrar que esses tópicos podem mudar dependendo do cargo ao qual você vai concorrer, porque cada profissão exige alguns conhecimentos especializados.

No entanto, esses são os assuntos de matemática básica para concurso mais recorrentes e com maior probabilidade de cair em uma prova:

Tópicos do Ensino Fundamental

Estes assuntos comuns em provas de matemática básica para concurso são ensinados no Ensino Fundamental — do sexto ao nono ano.

  • Sistema métrico decimal;
  • Razão;
  • Proporção;
  • Divisão proporcional;
  • Regra de três simples e composta;
  • Porcentagem;
  • Equações de 1 º e 2 º grau;
  • Produtos notáveis;
  • Fatoração algébrica;
  • Área de figuras planas;

Tópicos do Ensino Médio

Os tópicos abaixo são ensinados nos três anos correspondentes ao Ensino Médio e também fazem parte da matemática básica para concurso.

  • Progressão aritmética e geométrica;
  • Noção de função;
  • Juros simples e compostos;
  • Probabilidade;
  • Análise combinatória;
  • Matrizes e determinantes.

Porém, de nada adianta saber todos esses conteúdos se você não domina os tópicos primordiais da matemática – aqueles que nos são ensinados bem no começo da vida escolar, no sexto ano do Fundamental (que, antigamente, era chamado de quinta série).

Se você não sabe por onde começar a estudar para a matemática básica para concurso, comece revisando esses assuntos básicos. Assim, quando chegar aos tópicos mais específicos, você vai ter toda a fundação necessária para desenvolver seus conhecimentos.

Abaixo, listamos quais são os tópicos básicos da matemática para concurso que você deve colocar em seu plano de estudos:

  • Operações básicas: soma, subtração, multiplicação, divisão, potenciação, radiciação, expressões numéricas;
  • Interpretação de problemas matemáticos que envolvam as operações básicas;
  • Divisibilidade;
  • Números primos;
  • Fatoração completa;
  • MDC (Máximo Divisor Comum) e MMC (Mínimo Múltiplo Comum);
  • Frações (frações equivalentes, operações básicas com frações, expressões com frações, problemas envolvendo frações etc.);
  • Números decimais e operações;
  • Sistema métrico decimal.

Revisando esses tópicos, você cria uma base sólida para estudar os assuntos mais comuns em concursos públicos e ainda resolve algumas questões com mais facilidade.

Além disso, você deve resolver qualquer conta na ponta do lápis – o que é ainda uma preocupação muito grande entre diversos concurseiros que estão acostumados a usar calculadora.

Dicas para estudar matemática básica para concurso

dicas-matematica-basica-concurso

Os exercícios de matemática básica para concurso nem sempre estão divididos em tópicos.

Por isso, procure estudar primeiro os exercícios que envolvem lógica.

Matemática é uma matéria difícil para muitas pessoas. Sendo assim, é importante esclarecer dois tópicos que vão facilitar seu entendimento da disciplina e aumentar a eficiência dos seus estudos.

#1) Os tópicos nem sempre estão separados

Na matemática básica para concurso, muitos tópicos são embasados em outros. Por exemplo, mesmo que logaritmos não esteja na lista de assuntos mais comuns em concursos, você precisa entender um pouco de logaritmos para aprender juros compostos.

Por isso, tenha em mente que talvez você precise estudar muito mais do que está previsto nessa lista.

E quando encontrar algum assunto que você não consegue entender de jeito nenhum, pesquise e descubra se você não precisa aprender alguma outra matéria antes. É bem possível que isso esteja o impedindo de avançar!

#2) Raciocínio lógico vai além dos tópicos

Você já deve ter visto em editais ou alguém comentado que o raciocínio lógico é o mais cobrado em provas na parte de matemática básica para concurso público.

Mas por que, então, ele não está na lista de tópicos mais comuns? É porque raciocínio lógico não é exatamente um tópico.

Salientamos que, mesmo que não caia expressamente o conteúdo de matemática básica em seu edital, vários dos seus tópicos são necessários para que você entenda Raciocínio Lógico, esta sim uma disciplina muito mais presente em editais.

Dicas gerais de matemática básica para concurso

  • Mesmo que você esteja fazendo um cursinho preparatório que tenha um bom programa de estudo de matemática básica para concurso, seu guia sempre deve ser o edital. Se o edital do próximo concurso ainda não tiver sido lançado, procure pelos editais de concursos passados para se basear;
  • Por falar em cursinho, se você não tiver uma boa base em matemática, fazer um curso é essencial, quase sempre mais do que para as outras disciplinas;
  • Aprender pode ser um processo lento que exige muita paciência e tempo. Não tente fazer tudo de última hora e comece a se planejar com antecedência, sem correrias. Quanto mais tempo você tiver para estudar e quanto maior for sua consistência, melhor;
  • Enquanto algumas matérias podem ser estudadas apenas com livros e marca-textos – ainda que isso não seja o mais recomendado –, a matemática precisa de exercícios de fixação constantes. Sem eles, você nunca vai ter certeza de que está aprendendo! Por isso, inclua muitos exercícios nos seu ciclo de estudo;
  • Matemática básica para concurso pode ser uma matéria bastante exaustiva para a cabeça. Por isso, não tente passar o dia inteiro em cima dela. Alterne os estudos de matemática com alguma matéria que seja mais leve para você não terminar o dia com aquela sensação de exaustão;
  • Não use calculadora enquanto estiver estudando. Você não vai poder usá-la na prova! Estude bastante as operações básicas e resolva tudo o que puder na ponta do lápis. Se quiser usar a calculadora, que seja apenas para conferir as respostas dos seus cálculos;
  • Organização é a chave para todo tipo de aprendizado. Não comece a estudar matemática de modo aleatório, escolhendo por cima o que vai ser estudado. Planeje seus estudos e siga esse plano todos os dias. Comece com as matérias básicas que apresentamos aqui e adicione o que estiver presente nos editais;
  • Se matemática não for sua matéria preferida, ou você não tiver muita facilidade com ela, não se desespere: mesmo que seja difícil, nada é impossível de aprender. Continue estudando com frequência e não pense que matemática básica para concurso é só para gênios;
  • Em 2019, Alexandre Meirelles publicou um livro de Matemática Básica juntamente com o Alex Lira. O livro contém todo este conteúdo de forma muito bem explicada, com quase 1.000 questões comentadas. Fica a dica!

Organização é a chave para um bom aprendizado

Existem muitos mitos que envolvem a matemática. A percepção de que ela é a matéria mais difícil do mundo é o que mais atrapalha os concurseiros. 

Encare a matemática básica para concurso como todas as outras matérias: algo que você vai estudar e aprender no seu tempo e no seu ritmo.

Como falamos acima, estudar de maneira aleatória não contribui para um bom aprendizado. Por isso, sempre aconselhamos os concursando a usarem ferramentas que ajudam a organizar os estudos.

Você gostaria de aplicar facilmente todas essas dicas para estudar matemática e outras disciplinas de maneira eficaz para um concurso? Isso é possível, com ajuda da tecnologia!

Todas essas dicas funcionam em conjunto com todas as funcionalidades que o aplicativo Estudaqui disponibiliza para seus usuários. 

Com ele você seleciona a prova que você irá fazer e o aplicativo organiza toda a sua rotina dentro do modelo de ciclo de estudos, considerando a sua facilidade PESSOAL em cada disciplina.

O plano de estudos criado é eficiente, personalizado e atende às suas necessidades. Com ele você sabe como, quando e o que estudar. 

O Estudaqui também possui a funcionalidade de controle para que você possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e o quanto falta para terminar um ciclo. 

Além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui. Você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo.

Um abraço, e bons estudos!

Como estudar para concurso público sozinho e com eficiência

Embora existam muitos cursinhos preparatórios no mercado, cresce o número de concursandos que desejam estudar por conta própria. Dessa forma, o desejo de aprender como estudar para concurso público sozinho é um questionamento recorrente entre os concursandos.

Estudar sozinho significa criar a própria rotina de estudos, escolher materiais atualizados e adotar bons métodos. Tudo isso não é tarefa fácil, exigindo muita pesquisa e organização.

Além disso, é necessário trabalhar constantemente a sua inteligência emocional, a fim de que seu objetivo final seja suficiente para manter a sua disciplina para com os estudos.

Para ajudar a explicar como estudar para concurso público sozinho e com máxima eficiência, convidamos um amigo muito conhecido no meio dos concursos, Fernando Mesquita, para expor seu posicionamento.

Continue a leitura e entenda como tornar o seu universo particular de concursando muito mais proveitoso! Mas antes de tudo, entenda o que é realmente estudar para concurso público sozinho.

O que significa estudar sozinho?

fernando-mesquitaUm equívoco recorrente entre muitos concursandos, segundo Fernando Mesquita, é acreditar que estudar sozinho significa aprender sem a ajuda de nenhum recurso externo.

“Estudar sozinho não é sentar na sua mesa e tentar aprender conteúdo com informações vindas por wi-fi (risos). Estudar sozinho, por exemplo, é não depender de curso preparatório”, explica Mesquita.

Inclusive, ao tomar a decisão de estudar para concursos públicos, muitas pessoas acreditam que, obrigatoriamente, devem se matricular em um curso preparatório – o que exigirá, além de investimento financeiro, deslocamento diário se for um curso presencial.

Contudo, há alternativas de se capacitar e manter o conhecimento atualizado sem precisar ingressar em um curso presencial.

Use os recursos externos

Para isso, é possível, com a popularização da internet, contratar cursos online – em PDF ou em vídeo, que podem ser tão úteis ou até mais relevantes que os cursos tradicionais.

Em suma, saber como estudar para concurso público sozinho é ter a destreza de adquirir materiais atualizados, conhecer e adotar bons métodos de estudos e se dedicar.

Para isso, é fundamental ter a internet como aliada na busca de bom conteúdo – tanto de material quanto inspiracional.

Ou seja, buscar uma mentoria online  como do Fernando Mesquita, Alexandre Meirelles  e outros Mestres, por exemplo, poderá ser útil para guiar seus estudos, aprender bons métodos e conhecer bons materiais.

Da mesma forma, estudar sozinho não significa se isolar. Socializar com outros concursandos, desde que com sabedoria, também pode ser muito relevante para o seu crescimento.

Busque formas de socialização, mas tenha cuidado com más influências

Antigamente, não existia outra modalidade de cursos preparatórios além dos cursinhos presenciais.

Dessa forma, esses locais, além de servir para a capacitação, eram verdadeiros “epicentros” de socialização entre concursandos.

Nas salas de aula, os concursandos trocam experiências, dicas de materiais e resumos, o que, inevitavelmente, dá uma motivação extra.

Agora, por sua vez, as pessoas estão mais concentradas no seu mundo, com suas aulas, PDFs e métodos.

Em suma, o grande “problema” de estudar sozinho é que você não vê mais ninguém estudando, e por isso pode ficar desmotivado.

Por isso, saber como estudar para concurso público sozinho é também entender como encontrar novas formas de socializar com qualidade com pessoas que se encontram na mesma situação que você.

Sendo assim, vale a pena investir em comunidades e grupos supervisionados por mentores no Facebook, a fim de trocar experiências com concursandos. No entanto, fuja de grupos cheios de boatos e discussões improdutivas.

A socialização não deve atrapalhar seu estudo sozinho

Fernando Mesquita aponta que, muitas vezes, manter-se distante de grupos é uma escolha sábia por quem estuda sozinho.

“Hoje, por a gente estar um mundo hiperconectado, você acaba tendo mais noção de desvios. Você entra em redes sociais, você vê pessoas comentando que cumpriram muitas horas de estudo ou que têm diversos materiais atualizados. E, de repente, você começa a se comparar com uma perspectiva que muitas vezes não é real”, alerta Mesquita.

Sendo assim, é fundamental “parar de comparar o seu bastidor com o palco do outro”. Muitas vezes, o concursando que publica que estudou 12 horas no dia não obteve o mesmo desempenho no dia anterior.

Dessa forma, Fernando explica que reconhecer seu perfil social é importante: “Quando eu estudava, o desconhecimento da concorrência não me afetava – mas existem pessoas que têm uma necessidade social maior, de se conectar às outras pessoas e compartilhar experiências”.

Portanto, ao entender como estudar para concurso público sozinho, saiba que o isolamento e a tentativa de bloquear as interferências negativas são interessantes para obter um melhor desempenho.

Como estudar para concurso público sozinho: 6 passos essenciais

Estudar por conta própria é possível – basta um pouquinho de coragem e um bocado de disciplina.

Para explicar de uma vez por todas como estudar para concurso público sozinho, separamos seis aspectos indispensáveis. Confira!

1. Use a internet e as redes sociais a seu favor

A internet oferece muitas possibilidades, tanto para o bem quanto para caminhos não tão benéficos assim para quem deseja estudar para concurso público sozinho.

Nela, você pode encontrar seus materiais de estudo, bem como programas de mentoria e suporte para complementar seus estudos.

É na rede que você pode ter acesso a videoaulas gratuitas, entrar em fóruns de discussão e, também, ter acesso a editais e provas anteriores do seu certame.

Diante disso, muitos sites disponibilizam provas antigas de concursos, simulados e muitos exercícios. Procure-os e faça o máximo que puder!

Assim, você pode avaliar como são os tipos de prova e descobrir o tempo que você leva para responder às questões, identificando seus pontos fortes e fracos.

Além disso, é crescente o número de canais de “consultoria” e mentoria para concursos públicos – como citamos anteriormente.

2. Estude até mais do que o tempo de um cursinho

Se você pensou em fazer um cursinho é porque você teria a possibilidade de estudar por três ou quatro horas por dia, certo?

Assim sendo, você deve estudar mais que esse tempo em casa, afinal, ainda tem a vantagem de não ter que se deslocar para o local do curso e ainda poder evitar as distrações que uma sala de aula possui.

Muitas vezes, por não estar em um cursinho, talvez você pense que pode se dar o direito de fazer qualquer outra atividade que você não faria se estivesse no curso presencial. Isso é um erro.

Você precisa ter a mesma disciplina e compromisso para aprender como estudar para concurso público sozinho que teria se tivesse matriculado em um curso preparatório.

3. Tenha em mãos bons materiais

Por mais que você não frequente um cursinho, você precisa ter materiais que o ajudem a estudar de forma adequada. Eles podem ser:

  • Aulas em PDF;
  • Videoaulas;
  • Livros.

É importante que todos os materiais que você escolha ao estudar para concurso público sozinho estejam adequados ao seu nível de estudo.

Sendo assim, se você está começando a estudar agora, é importante focar em materiais básicos e introdutórios.

Mais uma vez, os canais especializados em concursos podem indicar por quais materiais você deve estudar.

4. Cumpra prazos e cronogramas

O que acontece com muitas pessoas que estudam para concurso público sozinhas é a falta de organização, que gera baixo desempenho.

Por isso, você precisa de um prazo para finalizar os estudos de cada matéria. Implemente um ciclo de estudos e, principalmente, intercale as matérias estudadas, a fim de abarcar todo o conteúdo e não cansar a sua mente com uma mesma disciplina.

Para definir um bom Ciclo de Estudos, confira a nossa playlist no youtube com vídeos sobre por quantas disciplinas começar a estudar, quantas estudar por dia e o tempo de duração ideal de um Ciclo de Estudos.

Usar app para ciclo de estudos que automatiza a organização das matérias também é interessante e até bem mais prático. 

5. Exercícios e simulados

Depois de estudada a teoria, é importante que você faça questões relacionadas ao que acabou de estudar.

Por isso, procure provas anteriores do certame desejado e simule a prova. Basta imprimir os exercícios e aplicá-los no tempo de prova, como se você realmente estivesse fazendo a prova do concurso.

Ademais, falamos sobre as vantagens de fazer simulados durante os estudos para concursos públicos. Confira!

6. Elimine as distrações

Por mais que uma sala de aula tenha elementos que possam causar distração, a sua casa não é muito diferente disso.

No entanto, quando vamos ao curso, o nosso cérebro compreende que estamos indo a um local de estudos.

Já quando estamos em casa, pode ocorrer do nosso cérebro “relaxar”, pois é um ambiente de descanso.

Para evitar esse relaxamento, existem algumas dicas úteis para dominar como estudar para concurso público sozinho, que são:

  • Defina um ambiente de estudos;
  • Determine um horário de estudos;
  • Não estude com o celular ao lado ou com a televisão ligada.

Além disso, gostamos sempre de ressaltar que a vida de um concursando deve girar em torno da sua saúde, sua família, alguns amigos, seu trabalho (se tiver) e os estudos.

E, ainda, para ser considerado um concursando compromissado, nenhuma das suas atividades deve estar fora desses âmbitos. Por isso, esteja atento às suas escolhas!

Montando um ciclo de estudar para estudar para concurso público sozinho

Em suma, saber como estudar para concurso público sozinho é ter disciplina, organização e também reconhecer suas fraquezas.

Alexandre Meirelles e Fernando Mesquita reforçam que você deve saber usar os recursos que estão disponíveis.

Como abordado no item #4, os aplicativos para ciclo de estudo são ferramentas muito úteis na organização, principalmente, para quem estuda sozinho. 

Afinal, é comum se sentir perdido e não saber por onde começar a estudar no minuto em que olha o edital pela primeira vez — quem é concurseiro de primeira viagem ainda mais!

O Estudaqui é o único do mercado que consegue fazer um plano de estudo com maestria de forma automática. Os concorrentes não criam ciclos tão eficientes, o que pode atrapalhar muito seu rendimento.

Com o Aplicativo você seleciona a prova que irá fazer, e ele organiza toda a sua rotina dentro do modelo de ciclo de estudos, considerando as suas facilidades PESSOAIS em cada disciplina. 

O Estudaqui te ajudará a estudar sozinho para concurso público, vestibulares, ENEM, OAB e outras provas de classe, e qualquer outro tipo de prova. Com ele você sabe como, quando e o que estudar. 

E ainda possui a funcionalidade de controle para que possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e quanto falta para terminar um ciclo. 

Além de tudo isso, há estatísticas e métricas pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível. Conheça todos os detalhes no site

 

Um abraço, e bons estudos!

Como escolher áreas de estudo para concursos públicos?

Muitos candidatos que sonham em ocupar um cargo público, antes mesmo de começar a estudar para concurso público e iniciarem seus estudos, já se deparam com uma grande dúvida: como escolher uma das áreas de estudos para concursos públicos?

São muitas as áreas de estudo para concursos públicos, repletas de cargos bem remunerados, com escopos interessantes e, por isso, tentadores!

Bancária, policial, controle, fiscal… são muitas opções! Mas qual das áreas de estudos para concursos públicos será adequada ao seu perfil profissional e pretensão salarial?

Talvez você não saiba exatamente qual carreira quer seguir, mas, provavelmente, sabe o que não quer!

Por isso, uma boa alternativa para escolher uma das áreas de estudos para concursos públicos é eliminar aquelas que são incoerentes com seus objetivos.

Neste artigo, vamos apresentar 7 áreas de estudos para concursos públicos que têm mais procura pelos candidatos. Confira!

Para escolher o concurso público ideal, conheça sua vocação

O ideal é que a escolha de uma das áreas de estudos para concursos públicos seja pautada pela vocação.

Se você gosta de uma determinada disciplina e tem prazer de estudá-la, seu aprendizado será facilitado e seus resultados otimizados.

Por isso, é válido pesquisar as ementas, os editais dos concursos e entender com quais você mais se identifica. Isso, é claro, levando em conta também a remuneração e a qualificação para o cargo.

A vocação também pode ou deve estar atrelada ao cargo. Se, por exemplo, você cursou Direito e sempre quis trabalhar como juiz, não deixe de perseguir seu sonho!

O concursando que escolhe uma área apenas pela remuneração correrá o risco de se frustrar após ser aprovado e tomar posse das atividades. Sim, é preciso começar a pensar no que vai acontecer depois da sua aprovação. Para te ajudar com essa etapa, indico a leitura de Passei no concurso, e agora? O que fazer após a aprovação”. 

Enfim, faça sua escolha conciliando sua vocação com uma remuneração capaz de bancar suas necessidades e desejos.

As principais áreas de estudos para concursos públicos

Conhecer as áreas de estudos para concursos públicos é fundamental para tomar uma decisão assertiva.

O aplicativo Estudaqui te dá a opção de fazer um plano de estudo perfeito para centenas de provas diferentes. Portanto, se você está na dúvida sobre para qual concurso estudar, sugiro que utilize o Estudaqui para criar um plano de estudo para cada uma das provas em que você está em dúvida.

Assim, você poderá saber como seria estudar pra cada uma delas na prática: quais matérias caem, quais você teria que estudar mais ou menos tempo, de quanto em quanto tempo você teria que estudar aquela matéria que você odeia, e muito mais.

Entretanto, a seguir selecionamos algumas informações valiosas para você começar sua pesquisa. Confira!

Área Bancária

Neste caso, tratamos especificamente do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, porque as atividades a serem exercidas em outros bancos são muito parecidas e a preparação é basicamente a mesma.

Para prestar um concurso da área bancária, é necessário ter ensino médio completo. O concurso, em geral, apresenta menor nível de dificuldade e oferece boa estabilidade financeira.

Entre as atribuições, está:

  • atendimento ao público;
  • comercialização de produtos e serviços;
  • redação de correspondências;
  • uso de sistemas informatizados do banco;
  • realização de outras tarefas administrativas.

Área de Controle

A preparação para concursos na área de Controle, em geral, envolve as matérias de controle externo e auditoria governamental, além de ser necessário aprofundar o estudo de AFO (Administração Financeira e Orçamentária) e administração.

Os concursos mais famosos dessa área são:

  • Tribunal de Contas da União (TCU)
  • Tribunais de Contas Estaduais;
  • Os seis tribunais municipais de contas existentes no Brasil;
  • Controladoria Geral da União (CGU);
  • Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Em geral, os concursos da área de Controle são difíceis e exigem muita dedicação e estudo. O nível de dificuldade do TCU, por exemplo, é superior a quase todos os certames da área fiscal, talvez todos.

Os concursos da área de Controle, em geral, aceitam inscritos que possuem qualquer nível superior e, muitos deles, aceitam também a formação em tecnólogo.

Nessa área, o servidor de nível superior cuidará da:

  • verificação de receitas e despesas públicas;
  • adequada gestão orçamentária, financeira e patrimonial de determinados órgãos e entidades.

Área Fiscal

A área fiscal é muito procurada por quem decide prestar concursos públicos, em razão do bom nível salarial oferecido.

Os editais, em geral, exigem muito conteúdo a ser estudado. Então, se você quer saber quanto tempo para passar em concurso público, saiba que, nessa área de estudos para concursos públicos, não basta um ano de estudos para estar preparado e alcançar a aprovação!

Não basta apenas ter um bom conhecimento de jurisprudência e das demais áreas básicas de qualquer concurso. Estudar para esse tipo de concurso envolve dedicação às questões contábeis e de exatas, que são, naturalmente, mais difíceis e trabalhosas.

As oportunidades estão no âmbito federal (Receita Federal e Auditor-Fiscal do Trabalho), no estadual (ICMS) e no municipal (ISS), o que amplia bastante o número de editais.

As atribuições dos cargos são similares, resguardadas as peculiaridades de cada tributo.

Nos últimos anos, houve uma “seca” de novos editais na área fiscal. Mas de 2020 em diante, o cenário pode ser mais  favorável.

A Receita Federal já enviou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), o pedido de realização de concurso público para preenchimento de 2.153 vagas, sendo 700 de Auditor-Fiscal e 1.453 vagas de Analista-Tributário.

Atribuições e exigências da área fiscal

Entre as atribuições da área fiscal, está:

  • examinar a contabilidade de empresas;
  • verificar a sua adequação à legislação pertinente;
  • atuar em processos administrativos-fiscais;
  • orientar o contribuinte em dúvidas quanto à legislação tributária e aos procedimentos relacionados à sua atividade.

Para os cargos de analista e auditor da Receita Federal, os interessados deverão ter nível superior em qualquer área, incluindo tecnólogos, assim como é exigido para quase todos os fiscos estaduais e municipais.

Ao contrário do que muitos pensam, não é necessário ter formação superior em Direito ou Ciências Contábeis para prestar  quase nenhum concurso da área fiscal.

O próprio Alexandre Meirelles não tem nenhuma dessas graduações e é fiscal desde 95.
No vídeo abaixo  ele explica que não há formação ideal para prestar concursos fiscais. Confira!

Área Policial (Carreiras Policiais)

Para quem deseja servir ao Estado de uma forma mais dinâmica, há as carreiras nos órgãos policiais do Brasil.
Há cargos em diversos segmentos, como Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e polícias civis e militares dos Estados e do DF.

Algumas preparações, como para a Polícia Federal, são mais complexas do que outras. E os salários, em geral, são proporcionais ao nível de exigência de cada cargo.

Também é típico da área que o candidato aprovado passe por um curso de formação antes de iniciar suas atividades.

A Polícia Federal é um dos concursos mais almejados da área policial, com vagas para agente, escrivão, papiloscopista, delegado e perito.

Atribuições das carreiras policiais

As atribuições de cada uma das carreiras da Polícia Federal são distintas entre si. Entenda:

  • Delegado: o candidato deve ser bacharel em Direito. O cargo é responsável por instaurar e presidir procedimentos policiais de investigação, orientar e comandar investigações relacionadas com a prevenção e a repressão de ilícitos penais, planejar operações de segurança, supervisionar e executar missões sigilosas etc.
  • Perito: exige graduação em nível superior, incluindo tecnólogo. O perito é responsável por realizar exames periciais em locais de infração penal e em instrumentos presumivelmente utilizados na prática de infrações penais, além de realizar pesquisas no interesse do serviço e coleta de dados e informações necessários para a complementação dos exames periciais.
  • Escrivão: exige diploma de nível superior. É responsabilidade do cargo cuidar das formalidades processuais, fazer termos, autos e mandados, além de observar prazos relativos aos procedimentos de investigação e acompanhar a autoridade policial em diligências.
  • Agente: o candidato deve ter nível superior. O agente deve executar investigações e operações policiais para a prevenção e repressão a ilícitos penais, além de dirigir veículos policiais e desempenhar outras atividades de natureza policial e administrativa.
  • Papiloscopista: executar, orientar, supervisionar e fiscalizar os trabalhos papiloscópicos de coleta, análise, classificação, subclassificação, pesquisa, arquivamento e perícias, bem como assistir à autoridade policial e desenvolver estudos na área de papiloscopia.
  • Se você realmente sonha com a aprovação em um concurso da Polícia Federal, é importante de preparar de maneira completa e focada. Para começar sugerimos que acesse nosso artigo:Como ser policial federal: o guia completo para o concurso”. 

Área de Gestão

A área de gestão envolve os certames das 11 agências reguladoras brasileiras. Entre as mais famosas, podemos citar:

  • Agência Nacional do Cinema (Ancine);
  • Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel);
  • Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ainda estão incluídos nessa área os concursos do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPOG) e do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Assim como na área fiscal, o pré-requisito pode variar, mas, em geral, há cargos de nível médio e de nível superior, podendo ser exigida ou não formação específica.

Área de Tribunais

Apesar de haver diversos tipos de tribunais (TJ, TRE, TRT, TRF, além dos superiores), você pode dedicar-se a uma preparação que inclua as principais matérias e depois, na proximidade de publicação do edital, acrescentar as específicas daquele tribunal.

Além disso, matérias como Direito do Trabalho, Direito Processual e Direito Civil podem ser encontradas facilmente nos editais de alguns dos seguintes tribunais:

  • Tribunais Regionais do Trabalho;
  • Tribunal de Justiça dos estados;
  • Tribunal Superior Eleitoral;
  • Tribunais Regionais Federais.

Os certames da área, em geral, exigem formação de nível médio ou superior. As atribuições dos cargos consistem na execução de tarefas relacionadas a:

  • movimentação e guarda de processos e documentos;
  • prestação de apoio técnico e administrativo às atribuições da unidade;
  • atendimento ao público.

Jurídicos

A área jurídica envolve cargos específicos para graduados em Direito, como os concursos para Delegado, Defensor Público, Procurador do Estado ou Município, Procurador do Ministério da República e Juiz.
Muitos desses cargos são boas escolhas para graduandos em Direito que pensam em seguir a carreira pública.

Escolher uma das áreas de estudos para concursos públicos dependerá, também, do seu nível de formação.

Antes de fazer, analise se você já possui curso superior e, se não, se tem pretensões de se formar antes de tentar um concurso desejado.

Vale ressaltar que, caso você tenha apenas ensino médio e almeje um cargo de nível superior, vale investir na formação em tecnólogo, com apenas dois anos de duração.

Se você possui nível médio, também é válido tentar um concurso que sirva como “escada”, pois assim você terá condições financeiras e tranquilidade para estudar para um concurso de nível superior desejado.

Decidida a área de estudos para concurso público, é hora de colocar a mão na massa e estudar. Para isso, temos uma última dica: conheça o aplicativo Estudaqui.

É rápido, fácil, e extremamente eficiente, basta escolher a prova que deseja fazer e indicar em quais disciplinas têm mais facilidade. A partir disso, o sistema monta seu ciclo personalizado, de maneira rápida e automática, e ainda gerencia o seu estudo diariamente.

Com o Estudaqui você vai economizar muito tempo e otimizar bem os seus horários de estudo.

Agora você já sabe por onde começar e quais os passos para selecionar o que estudar para concurso público. Se ficou com alguma dúvida deixe nos comentários, será um prazer respondê-la.

Um abraço, e bons estudos.

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Fique à vontade para compartilhar este artigo nas redes sociais: