06-capa-dicas-para-trabalhar-e-estudar-01-min

DICAS DE COMO ESTUDAR PARA CONCURSOS TRABALHANDO – POST [#6]

Olá, aqui é o Alexandre Meirelles mais uma vez. Hoje darei dicas de como estudar para concursos públicos conciliando a rotina do trabalho com o tempo necessário para a preparação utilizando o método de estudo correto.

Foram incontáveis as vezes que escutei a pergunta: “é possível estudar para concursos públicos e trabalhar ao mesmo tempo?”. Espero demonstrar neste post como é clara a resposta: SIM, acredite, É POSSÍVEL!

Obviamente, este artigo é mais direcionado para os concurseiros que trabalham, mas possui alguns toques interessantes para quem não trabalha também.

Quando resolvi voltar a estudar, no já longínquo ano de 2005, eu também me fazia esse questionamento. Afinal, já tinha sido aprovado em concursos na primeira metade da década de 1990, mas quando não trabalhava, era somente, por assim dizer, um “filhinho de papai”, com tudo bancado e todo o tempo do mundo disponível.

Bem, resumindo o meu ano de 2005, não só foi possível ser aprovado, como consegui obter um desempenho muito superior ao de antigamente.

A essa altura você deve estar se perguntando: “Que se dane esse cara, eu quero saber o resto do pessoal, será que muita gente também consegue? Será que eu consigo?”

MUITOS DOS QUE TRABALHAM E ESTUDAM PASSAM?

Prefiro responder analisando as coisas do jeito que mais gosto, em cima de números. Para meu deleite, logo no primeiro dia do curso de formação para o Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil (AFRFB) em 2006, foi apresentado um estudo do perfil dos mil aprovados naquele certame, sabidamente um dos mais difíceis do País. Nele havia várias informações interessantes, das quais me arrependo não ter tomado nota. Entre elas, uma mostrava que dos 1.000 aprovados, 700 estavam trabalhando no período imediatamente anterior ao da prova.

Destes, metade na iniciativa privada e a outra metade na pública (esses números são aproximados, ok?).

Resumindo e arredondando, um terço não trabalhava, um terço trabalhava no setor público e um terço no privado. E ainda faço uma ressalva: não quer dizer que esses que não trabalhavam tinha vida mansa, pois conheci vários aprovados desse tipo que foram muito mais guerreiros que os que trabalhavam, pois cuidavam de filhos ou dos pais, sem emprego, fazendo bicos etc. Bem, basta ler o livro “Como vencer a maratona dos concursos públicos”, de Lia Salgado, para você perceber que muitas vezes alguém que não trabalha e que teoricamente tem todo o tempo disponível para estudar está em piores condições do que quem trabalha e possui menos tempo.

Confesso que fiquei encucado quando vi esses números. Era diferente do que imaginava, pois sempre pensei em cursinhos lotados de pessoas que não trabalhavam e achei que eram no mínimo uns 75% dos aprovados nos concursos mais concorridos. Como dos “meus” 75% eles passaram a ser só 33%? Então comecei a buscar explicações para isso.

A primeira que encontrei foi a do “concurso escada”, como o William Douglas o apelidou. São aqueles concursos que fazemos não como nosso objetivo final, mas sim para garantir uma relativa paz financeira e emocional para prosseguirmos nos estudos para os concursos mais concorridos. Isso explicava a grande maioria do terço de aprovados que trabalhavam no setor público.

A outra é saber otimizar o tempo disponível para estudar. Generalizando, quem tem muito tempo para estudar costuma utilizar mais livros para cada disciplina, fazer mais cursos e “enrolar” um pouco mais. Já quem trabalha e sabe se organizar devora o melhor livro de cada disciplina e seleciona melhor os cursos que fará.

Como gosto de estatísticas, lá vai mais uma: quase todos os primeiros colocados que conheci trabalhavam enquanto estudavam.

ARRUMANDO TEMPO

O concurseiro que trabalha tem de aprender a conseguir pedaços de tempo durante seu dia para estudar.

Um inglês chamado Charles Buxton disse:

“Você nunca encontrará tempo para nada. Se quiser mais tempo, terá de criá-lo”.

Se ele disse essa frase tão verdadeira há uns 150 anos, imagine como ela é mais válida ainda nos dias de hoje.

Bom, gostaria de passar algumas dicas de como conseguir “criar” o tempo de estudo no dia a dia (inseri no final do artigo uma ilustração que resume o que será colocado a seguir):

– Hora de almoço não é para enrolar, é para almoçar o mais perto possível do trabalho e conseguir pelo menos uns 30 minutos de estudo.

– O horário dedicado ao lazer deve ser reduzido, mas nunca extinto por completo, porque assim ninguém suporta o estresse por meses.

– Utilize o tempo gasto no trajeto casa/trabalho para acompanhar vídeos (se utilizar ônibus e metrô) e áudios (se utilizar o seu carro) no seu smartphone.

– Tente perder menos tempo de estudo por causa do trânsito. Exemplificando, se você trabalha até 17h ou 18h e depois perde uma hora ou mais voltando para casa, devido ao rush, seria legal arrumar um lugar para estudar perto do seu trabalho, para evitar pegar um baita trânsito, ônibus ou metrô lotado. Tente arrumar uma sala vazia, uma biblioteca ou algo parecido e estude até o trânsito diminuir consideravelmente. Assim você estudará com cabeça menos cansada e poderá estudar por mais tempo.

É só fazer a seguinte análise: se você sai do trabalho às 18h e só chega em casa umas 19h30, cansado do trânsito, só vai conseguir estudar no mínimo lá pelas 21h e ainda por cima com o cérebro e o corpo cansados, não é? Até que horas vai conseguir estudar para acordar cedo no dia seguinte? Esse estudo será de boa qualidade? Será que não é mais fácil sair do trabalho às 18h, fazer um lanche e/ou tomar um café, lavar o rosto e começar a estudar por volta das 19h, com a cabeça mais leve, e depois, por volta de umas 21h30 ou 22h30 voltar para casa sem pegar trânsito? Eu fiz isso e achei importantíssimo para o meu resultado. O ganho é duplo, uma vez que você perderá menos horas de estudo por dia no trânsito, evitando os horários de rush, e estudará com a cabeça menos cansada.

– Outra dica interessante é tentar acordar mais cedo. Inverta a lógica do seu sono! Explico isso: a maioria das pessoas que trabalha, estuda quando chega em casa. Você já está cansado(a) depois de um dia inteiro de trabalho e quando chega a hora de se debruçar em cima dos livros, o corpo e a cabeça parecem não responder. Acho interessante tentar reverter essa lógica. Ou seja: tentem acordar mais cedo (de madrugada mesmo) para estudar. Mais uma vez, o seu cérebro estará descansado e o estudo renderá mais. Você vai sentir o cansaço no meio do seu trabalho. Ao chegar em casa, a ideia é dormir assim que possível e repetir isso até fazer parte da sua rotina.

– As férias são um tempo precioso para quem trabalha. Utilize-as com sabedoria. Se já há uma expectativa para o edital do concurso para o qual você está estudando, reserve o seu período de férias para a época da prova. Como disse anteriormente, não há mal nenhum em tirar uns dias de férias para curtir a sua família, mas não exagere….depois que for aprovado, você terá muitas férias para recuperar esse tempo…

– Por fim, se isso for interessante para você, negocie uma redução na jornada de trabalho para ter mais tempo de estudo.

Lembre-se: ganhar uma hora de estudo por dia representará 30 horas em um mês, 360 horas em um ano. Caramba, em 360 horas dá para estudar algumas disciplinas por completo. E estas 360 horas farão MUITA falta no futuro, eu garanto.

HORA DA REALIDADE

Agora vou entrar em outro tópico, e desculpe-me desde já por pegar mais pesado e escrever palavras mais duras, mas eu não seria sincero se não escrevesse isso, ok?

Se você trabalha, e desculpe-me pela sinceridade, considero muito difícil ser aprovado em um concurso concorrido estudando menos que três horas por dia, e isso vale tanto para os gênios quanto para os que não são. E mais: estudando somente três horas diárias durante a semana, no fim de semana terão que ser no mínimo umas seis a oito horas por dia. Simplesmente afirmo que não acredito no seu sucesso de outra forma porque a quantidade de assuntos é imensa e, se estudar menos do que isso, não chegará ao fim deles nunca. Conheço pessoas que conseguiram agindo assim, mas são a exceção da exceção, mais difíceis de encontrar que um torcedor do Vasco vestido com a camisa do seu clube no meio da torcida organizada do Flamengo.

“Puxa, mas eu só tenho uma hora por dia e o domingo para estudar um pouco mais, então será que não conseguirei passar?”. Bem, você pode até calar minha boca depois, mas será muito difícil você ser aprovado em um concurso muito concorrido. Eu acredito nos números, e foram raríssimos os casos de aprovados que conheci tendo feito assim. Pense seriamente em tentar primeiro um concurso menos concorrido (“concurso escada”) ou então remaneje sua vida para obter mais horas de estudo, mas estudar somente uma hora por dia para concorrer a um concurso bem pesado e passar vai ser como acertar na loteria.

Talvez seja mesmo o caso de pensar em estudar para um cargo menos concorrido e obter mais tranquilidade para estudar para um concurso mais difícil após ter entrado nesse cargo “intermediário”. Foi isso que a maior parte daquele um terço dos aprovados no AFRFB de 2005 que já trabalhavam no setor público fez.

Há uma máxima que escutei diversas vezes: “se estudarmos uma hora por dia, no futuro acumularemos conhecimento suficiente para passar, só levaremos mais tempo que os demais concurseiros”. Desculpe-me, mas não concordo com essa ideia. Eu não acredito nisso porque o esquecimento será imenso, afinal, o conhecimento não se acumula sem que esqueçamos o que já estudamos. As pessoas acham que acumulamos conhecimento como construímos uma casa, tijolo em cima de tijolo, mesmo que aos pouquinhos, e assim um dia a casa ficará pronta. Ou então que é um quebra-cabeças de 500 peças que montamos aos poucos. Não é assim. É o mesmo que construir uma casa em um local muito chuvoso e cheio de ladrões roubando tijolos, cimento, janelas e ferramentas, ou então montar o quebra-cabeças aos poucos no meio de uma creche. Eles não vão ficar prontos nunca, e esses exemplos se aplicam ao seu conhecimento também.

Outra pergunta que os concurseiros sempre me fazem é se deveriam deixar o trabalho para se dedicar inteiramente aos estudos. Isso eu não respondo nunca, pois não interfiro em decisões pessoais, e não adianta insistir, porque nisso eu não opino nem para os meus melhores amigos.

Só deixo umas perguntas no ar. Se você não for aprovado em dois ou três anos, você tem condições de voltar ao mercado de trabalho, caso desista do estudo em tempo integral? Você tem grana para se sustentar nesse período? É muito fácil largar o trabalho hoje e se dedicar mais para o concurso que acontecerá dentro de poucos meses, mas e se você não passar? O mundo desabará para você ou dará para continuar vivo e na vida de concurseiro? Reflita, converse com seus familiares e, por favor, “me inclua fora dessa”!

Se você não trabalha, considere-se em melhores condições de ser aprovado. Porém, cuidado com o excesso de cursos e livros e seja mais direcionado, organizado e compromissado. Não basta estudar mais horas do que os outros, tem de estudar horas realmente proveitosas, que acumulem conhecimento útil e crescente para você. Está cheio de gente querendo furar sua fila.

Resumindo este artigo, é claro que um concurseiro que trabalha pode ser aprovado, pois em todos os concursos vemos que a maioria dos aprovados trabalhava, e os números dificilmente mentem. Porém, terá de ser compromissado e muito objetivo. E se seu trabalho for daqueles de estresse total e com mais de 10 ou 12 horas de trabalho diárias, deixando somente uma hora de estudo livre para estudar por dia, e sempre de cabeça muito cansada, pense seriamente em prestar um concurso escada antes.

Bem, após ter lido estas palavras, você acredita que é possível trabalhar e ser aprovado? Se sim, então o que está esperando para acumular mais horas de estudo?

Estudar para Concurso Público e Trabalhar ao mesmo tempo

Livre para compartilhamento, desde que mencione este artigo com o respectivo link.

Um abraço do Alexandre Meirelles, um cara que trabalhava como Auditor Fiscal na prefeitura de BH, cursava um mestrado bem dureza e mesmo assim foi aprovado nos concursos de Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil (AFRFB) e Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo.

Dúvidas ou comentários? Escreva no campo de “comentários” logo abaixo. Fique à vontade para compartilhar tanto o artigo quanto a imagem nas redes sociais:

60 respostas
  1. Angela Capra
    Angela Capra says:

    Alexandre, você é um cara inspirador. Parabéns por seus artigos. Adoro e acompanho todos.
    Não viso um concurso na área fiscal por achar que não tenho memória suficiente para aprender mais de 20 matérias, mas estou retomando meus estudos graças a seus textos que me dão uma verdadeira injeção de ânimo.
    Não pare jamais! Nós, concurseiros, precisamos muito de pessoas como você que nos sirvam de exemplo. Um grande abraço!!!

    Responder
  2. Roseane
    Roseane says:

    Alexandre,estou me preparando para concursos estou focada para os tribunais. Enfim,minha rotina de trabalho e complicada,tenho dois filhos , um de oito anos e outro de 1 ano,um esposo q n colabora muito para que eu possa estudar . Eu saio p trabalhar as 5 e meia da manhã pego as sete no meu serviço , so volto as 20 horas para casa , tenho 1 hora de almoço. Quando vou começar a estudar ja sao 21 horas e muito cansada. Vi que você fala que e bom uma cadeira poo sentar e uma mesa,não tenho mesa e nem cadeira ,somente sofa,enfim gostaria que me orientasse uma mehor forma p eu estudar de acordo com que te relatei.

    Responder
  3. Luciane
    Luciane says:

    Olá, professor!

    Gostaria de saber a sua opinião…o edital para o TRT da minha região está previsto para ser publicado em novembro com possibilidade de provas em janeiro. Você acredita que dá tempo de estudar e ser aprovada?
    Faz quinze dias apenas que monteio o meu ciclo de estudos e estou estudando. Trabalho oito horas por dia e estudo das 22:00 às 00:00 hs.

    Responder
  4. Juliana
    Juliana says:

    Boa tarde Alexandre!

    Vou começar a estudar para concursos. Tenho lido muita coisa na área para definir meu foco. Já estou num concurso escada, o que facilita e sou formada em Administração. Estou em dúvida sobre área fiscal, tribunais ou mais algum? Penso (mas não bati o martelo ainda) em não mudar de estado, o que possivelmente aconteceria num AFRFB. Aprovações para o ATRFB também seguem as mesmas regras de lotação do AFRFB? Pois para tentar minimizar a mudança de estado penso em optar pelo Analista. Muitas incertezas ainda… Não gostaria de ficar longe da Família. O Céu mesmo seria ser aprovada num ótimo concurso para lotação em BH ou adjacências.

    Responder
  5. joão
    joão says:

    Boa noite, professor. Queria fazer uma pergunta muito especial ao senhor. Estou cursando o 2° período de Ciências Contábeis na Unopar (que é à distância, uma vez por semana), ao todo são oito períodos. Eu trabalho oito horas por dia de segunda à sexta-feira. Tenho as noites e os finais de semana para estudar para a faculdade e dedicar a algum concurso. Pois então professor esta é a minha pergunta ao senhor: se eu começasse estudar a partir de agora 30 horas líquidas por semana para fazer o concurso da Receita Federal para fazê-lo daqui uns três,quatro ou cinco anos, o senhor acha que daria tempo de aprender as matérias e passar no concurso, seja para Auditor ou Analista?

    Responder
  6. Jean
    Jean says:

    Alex, tudo bem? durmo meia noite e saio para trabalhar umas 7:40. Qual horário vc acha ideal para acordar e estudar? Pergunto isso pq tem que ter pelo menos 6 horas de sono né.

    Responder
  7. Fernanda Bonfin
    Fernanda Bonfin says:

    Alexandre,
    Este artigo veio de encontro ao que estou vivendo. Trabalho 8 horas por dia na iniciativa pública, tenho filho de 3 anos e, recentemente, tive uma perda muito grande, meu pai faleceu, o que trouxe muita tristeza ao meu coração e o que muitas vezes me faz desviar minha concentação. Contudo, há três meses venho me preparando para o concurso da Receita. Acordo 4 horas da manhã, estudo no meu horário de almoço e mais um pouco quando chego em casa. Sigo seu ciclo. Ainda estou nas primeiras 6 matérias que recomendou para o ciclo inicial. No momento, estou em gozo de licença- prêmio, neste período tenho estudado 8 horas líquidas, além de 1 hora que reservo para meus resumos (não consigo viver sem eles). No fim de semana consigo estudar apenas 6 horas. Quando retornar para o trabalho, vc acha que conseguiria ser aprovada com o ritmo de 5 horas diárias ou vc me aconselharia reduzir minha carga horária para que eu obtivesse aprovação?
    Obrigada!

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Fernanda,
      vc está conseguindo um bom rendimento.
      Acredito q mesmo qdo voltar ao trabalho continue num ritmo legal.
      Qto a reduzir sua carga de trabalho, é uma decisão bem pessoal, pq acredito q envolva perda financeira. Pense nos prós e contras, converse com os mais próximos e decida o q for melhor pra vc.
      Abs

    • Fernanda Bonfin
      Fernanda Bonfin says:

      Obrigada, Alexandre. Vc é uma grande inspiração pra mim e para muitos. Quando puder, gostaria que nos orientasse melhor sobre o melhor método para revisão das matérias já estudadas. Um abraço.

  8. Denise
    Denise says:

    Olá Professor! Ótimas dicas!! Hoje “gastei” o meu tempo de estudo para afiar o machado, refiz meu ciclo de estudos que estava um tanto desorganizado e coloquei uma meta de horas semanais. Devido ao meu atual emprego, tenho apenas 3 horas/dia de segunda a sexta e nos finais de semana umas 4 horas/dia. Sou formada em Ciências Contábeis, por isso, muitos capítulos do livro do Sérgio viram, na verdade, uma revisão. Levando em conta esse ponto, o que acha das minhas 23 horas semanais? E também, deveria reduzir o horário de contabilidade no ciclo? Valeu!

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Denise,
      nao sei como está seu ciclo, mas tb nao adiantaria muito saber pq nao sei como vc está nos estudos, conhecimentos etc.
      Mas se vc tem facilidade com contab, ela nao precisa estar tao intensa no seu ciclo, isto é fato.
      Mas tente aumentar suas 23h semanais, ok?
      abs

  9. Miriam
    Miriam says:

    Alexandre, boa noite! Parabéns pelo seu site. Agradeço de coração todas as matérias e desde que o conheci comecei a estudar pelo Método Ciclo de Estudos o que tem me ajudado bastante. Entrei no “mundo dos concursos” neste ano…gostaria de saber um pouco mais sobre o “concurso escada”. Preciso focar em um concurso (gostaria da área fiscal) e caso queira fazer primeiro um “concurso escada” seria na mesma área (com um cargo mais simples ou menos concorrido) ou qualquer outra área (por exemplo, um tribunal)? Fico no aguardo de seu retorno. Desde já agradeço sua atenção.

    Responder
  10. Nádia
    Nádia says:

    Professor, adorei o artigo! Meu problema é que quero estudar mais um pouco à noite, mas chego cansada da academia e não tenho forças para estudar mais um pouco!
    Vc acha que devo abandonar o esporte? Ou apenas estudar mais cedo. Acordar umas 5:00 da manhã pra estudar E dormir mais cedo?! Me ajude por favor!!!

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Nádia,
      nao sei como é seu dia a dia, seus horários, relógio biológico etc, entao fica difícil opinar.
      só penso q academia mais do 3x/semana é exagero pra concurseiro, entao nos outros dias ganha mais tempo de estudo.
      abs

  11. Leonardo Ortiz
    Leonardo Ortiz says:

    Muito bom o artigo professor, sou daqueles do concurso escada, passei na Prefeitura de Santos -SP (nível fundamental) – e há dois anos estou no Detran-SP (nível superior), e desde maio/2016 me dedico para o concurso de AFRFB, comprei o seu livro e devorei em dois dias, foi muito útil.
    Só estou sentindo ainda dificuldade em resumos (tenho demorado muito com eles), e também como estudar RC do Auditor Fiscal, o fato de eles dividirem RC em 4 disciplinas tem me deixado com dúvida em quais das 4 matérias focar mais, sendo que, tenho uma base muito fraca nas 4 rs.
    Qual dica o senhor poderia passar a respeito do estudo do RC de AFRFB para quem não tem base nenhuma? será que seria interessante deixar boas parte das horas do ciclo reservada para essas matérias (da mesma forma que contabilidade?), ou por ser apenas 10 questões vale a pena focar em uma ou duas das 4 disciplinas?

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Leo,
      acredito que o RC mencionado seja o q chamamos normalmente de RL, raciocínio lógico, ok?
      se for, nao tem como deixar nada de fora, pq elimina muito, tvz só alguns tópicos de estat inferencial, e mais nada.
      e a carga horária dele no ciclo tem ser grande tb.
      abs

  12. Pérola Cho
    Pérola Cho says:

    Alexandre, adorei esse post… é praticamente minha realidade hoje em dia (trabalho 8 horas/dia e estudo 3 hs diárias durante a semana e 8 hs nos fins de semana (além de ouvir aulas no caminho para o trabalho)… e faço isso visando a receita Federal.
    Obrigada… por tudo…!

    Responder
  13. Jeane
    Jeane says:

    Bom dia, Alexandre.
    Esse artigo foi ótimo, especialmente por retratar minha realidade.
    Eu trabalho 6h/dia, estudo de 2 a 3h líquidas por dia, e, além do mais, estou na faculdade. Decidi começar desde já a me preparar para tribunais eleitorais, e quando passar, após o término da faculdade, o tempo de trabalho contará como experiência para tentar concursos mais pesados que exigem atuação na área.
    Acontece que nas semanas de prova na faculdade, não consigo me dedicar às matérias dos concursos, tendo que me dedicar quase que exclusivamente para a prova do dia.
    Você tem alguma dica de como conciliar os dois estudos? Ou acha que estou certa em deixar o concurso de lado na semana de prova? Muitas vezes as matérias da faculdade coincidem com as do edital, mas não é sempre que isso tem acontecido.

    Abraços, e obrigada pelas dicas!

    Responder
    • Ricardo
      Ricardo says:

      também tenho essa dificuldade e o Alexandre respondeu!
      até pensei em trancar a faculdade, mas creio q dá para passar em um concurso “escada” e depois formado e concursado “comer livros” para um concurso pesado.

      Obrigado Jeane pela pergunta e Alexandre pela resposta
      =)

  14. Bruna
    Bruna says:

    Olá Professor, achei muito construtivo o seu artigo . Gostaria de fazer uma pergunta : Eu só tenho 3 horas líquidas disponíveis de segunda a sexta mas no sábado eu estudo das 06:00 até 21:00(obviamente com intervalos de 15 minutos a cada 2 horas) e no domingo estudo das 06:00 até 13:00 . Ainda sim é pouco ?

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Bruna,
      tudo isso é muito relativo, pq depende de QI, dos materiais q usa, de concentração, do concurso q irá fazer, de bons métodos de estudo etc.
      mas vc tem estudado bem, pelo q descreveu.
      abs

  15. Ani
    Ani says:

    Olá Alex,
    acompanho vc há algum tempo e praticamente tudo o que faço hoje com relação aos meus estudos tem “dedo” seu: o método de estudos em ciclos, por exemplo e as revisões. RS
    Vc não nos ilude e seus artigos são muito esclarecedores.
    Gosto demais da forma sincera que vc dispõe as informações/dicas para nós, concurseiros.

    Eu trabalho fora da cidade em que resido e sem desprezar algum lazer e cuidados com a saúde, tenho basicamente 30 hrs de estudos líquidas durante a semana (incluindo o fim de semana) e quase 120 hrs liquidas no mês, o que dentro de um ano totalizariam quase 1500 hrs/HBC (não contei os feriados).

    Lembro-me de que em alguma parte do seu livro “Como estudar para concursos” vc fez alguns cálculos. Lembro que guardei a informação de que para um concurso tão pesado quanto o da Receita, uma pessoa “normal” precisaria de pelo menos 1500 hrs líquidas de HBC para chegar na prova com chances razoáveis de aprovação para o cargo de Analista/Auditor.

    Com essa minha realidade de precisar trabalhar fora da minha cidade e dormir menos de seis hrs por dia na busca de aprovação para o cargo de AFRFB ( que é meu grande sonho), penso que depois de ler esse artigo talvez eu possa estar sonhando alto demais…ou não!?

    Um grande abraço pra vc!

    Responder
  16. thomas
    thomas says:

    Excelente texto!
    Eu sou um desses, atualmente trabalho na prefeitura da minha cidade, ganho pouco, mas trabalho próximo de casa, menos de 5 minutos de bicicleta, com isso não perco tempo com deslocamento (no meu trabalho antigo eu perdia mais de 2h com deslocamento por dia). Minha rotina é muito pesada acordo as 4h30 estudo cerca de 3h antes de sair para o trabalho, no almoço consigo estudar cerca de 40 minutos e quando chego do trabalho estudo até aguentar (acrescento mais uma vantagem de acordar cedo para estudar: o silêncio). Tenho conseguido fazer de 6 a 7 horas líquidas diárias durante a semana e no fim de semana geralmente eu faço 10 horas divididas entre sábado e domingo. Já estou nesse ritmo a mais de um ano e tenho sentido que começo a ficar competitivo, então realmente dá para conciliar estudo com trabalho e família (sou casado e tenho um filho).

    Responder
  17. Gabriela Geib Otaviani
    Gabriela Geib Otaviani says:

    Querido Alexandre,

    o artigo está ótimo, completo, realista e muito mais muito próximo da realidade de muitos concurseiros do nosso Brasil. Infelizmente o que atrapalha a vida dos concurseiro que não trabalham é o fato de ter muito tempo livre e deixar tudo para ser feito depois, aquele velho pensamento, “amanhã eu faço, depois do almoço eu reviso, antes de dormir eu leio” e assim por diante. A realidade para quem trabalha é outra e o fato de não termos muito tempo para estudar, nos força a aproveitar cada segundo que temos livre para reler alguma parte da matéria, para fazer um resumo, para fazer o que for… Por exemplo, eu assisto uma vídeo aula em um dia e no dia seguinte escuto ela enquanto trabalho e sim, escuto o dia INTEIRO de trabalho e no meu caso isso funciona muito bem para fixar a matéria. Parabéns pelo artigo ele está muito esclarecedor. Amei.

    Responder
  18. Fleur
    Fleur says:

    Eu pretendo estudar no horário do trabalho também, mas preciso ser discreta nas leituras dos PDF’s na minha máquina. Gostaria de saber se há alguma dica para que eu pudesse tirar ou não exibir os cabeçalhos e rodapés dessas aulas em PDF. Já pesquisei e não encontrei nada que me ajudasse. Alguém sabe como fazer isso? Seria uma salvação no ambiente de trabalho.

    Responder
  19. Emerson
    Emerson says:

    Boa noite professor!!!
    Tenho 3 horas diárias no período da tarde e uma hora no trajeto do trabalho. No entanto, contabilizo apenas as 3 horas líquidas! Infelizmente, a minha disponibilidade é no período da tarde, período em que produzo menos nos estudos!!!!! Como otimizar esse estudo, e como vencer o sono neste período??

    Responder
  20. Vanessa Lima
    Vanessa Lima says:

    Olá professor!!
    Estudo há 3 anos para ATRFB. No início nem me passava pela cabeça estudar para o de Auditor. Pensava ser muito conteúdo e pelo tempo que disponho (25 horas semanais) acreditava não ter condições…
    Você acredita que seria possível ter condições de chegar competitivo à prova estudando apenas os assuntos específicos de Auditor, durante os meses que antecede a prova caso saia antes o edital deste do que o de Analista?
    Obrigada

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Vanessa,
      vai depender muito do qto vai se lembrar do q estudou pro analista.
      Mas se vc já estudou o programa do analista, parta pro de auditor, revisando o q já estudou do analista. Bem, é o que eu faria.

      abs

  21. LILIANE MARUJO DE CARVALHO
    LILIANE MARUJO DE CARVALHO says:

    Bom sei o quanto é difícil a questão do tempo para alguns, principalmente para os que trabalham na rede privada e conseguir nesse tempo ter a concentração suficiente somente para o estudo. Mas, no meu caso por exemplo, pode parecer que por eu ser apenas mãe e dona de casa tenho todo tempo disponível e não estudo de preguiçosa que sou…Não!!! com toda certeza do mundo, estudo faz dois anos e meio e me cobro bastante.A minha frase predileta nesses tempos é ” Estudar até passar”, mas não quero me classificar no concurso com a felicidade nos lábios e a bengala na mão…rsrsr Contar as horas de estudos, faz tudo parecer organizado e sob controle, porém fico numa grande dúvida…Será que deveria contar as horas e não me prender aos itens do edital.???..caramba existem PDF´s enormes e às vezes o tempo é pequeno em vista do conteúdo, e o que escolher? Eu termino no tempo do ciclo ou termino por aula?
    Bom feriado professor Alexandre, ah saudações, também sou vascaína!!!

    Responder
    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Liliane,
      eu prefiro a contagem pelo tempo, mas há quem prefira o assunto.
      Só que há assuntos q levam mais de 100 pgs de um pdf/livro, como controle de constitucionalidade, por ex, entao vai estudar isso de uma vez só?
      Mas é claro q cada um segue o q achar mais produtivo no seu caso.
      Abs e parabéns pela garra nos estudos

  22. Raul Gouvea Schwind
    Raul Gouvea Schwind says:

    Alexandre, estou adorando os seu artigos. Há pouco tempo comprei seus livros e vários dos que indicou para o concurso da RFB. Tenho todos os “ventos a favor”, trabalho perto de casa em um emprego bom, tenho tudo para aproveitar ao máximo as horas de estudo disponíveis. O problema é que procrastino muito, jogando vídeo game, enrolando e sendo ocioso. Suas palavras e as do William Douglas me motivam muito, obrigado pela sua disposição em nos direcionar. Espero – em breve – compartilhar minha aprovação e ajudar a motivar outros concurseiros.

    Responder
  23. Leonardo
    Leonardo says:

    Ótimo … Parabéns professor… Tenho uma pergunta: eu estudo 4h líquidas por dia mas de segunda a quinta , sexta e sábado estudo 2 a 3 h líquidas e tem dia que não consigo estudar… Vc poderia me dizer se conseguirei passar neste ritmo ?

    Responder
  24. Kelly
    Kelly says:

    Ótimo!! Eu não trabalho fora, mas tenho duas filhas pequenas e todo o serviço da casa! Tenho usado o pomodoro no horário em que elas estão na escola, a cada 50 minutos faço um intervalo de 10 e nesse intervalo organizo rapidamente alguma coisa na casa. Na parte da manhã consigo fazer de 4 a 5 pomodoros e nos intervalos acabo adiantando bastante o serviço doméstico. Estou nesse ritmo há dois meses e está funcionando bem. Percebo que hoje, casada e com filhos, administro muito melhor meu tempo que na época em que era solteira!

    Responder
  25. Thereza
    Thereza says:

    Adorei o texto!!!!

    Desde 2014 vinha dividindo meu tempo entre trabalho e estudo. Mas estava bem difícil…

    O trabalho estava me exigindo demais e o cansaço já não me deixava cumprir as metas de estudos.

    Em Maio deste ano fui demitida. Mudei o foco de concursos, agora a dedidação é para área fiscal e desde então tenho me dedicado exclusivamente aos estudos.

    Confesso que tem dias que bate uma neura. Desde os meus 17 anos nunca fiquei sem trabalhar (Hoje tenho 32 anos). E ficar “parada só estudando” me exige uma disciplina e controle mental muito grandes. Tem dias que quero jogar tudo pro alto e voltar a procurar emprego. Principalmente quando penso em coisas que quero fazer, como fazia antes, mas que não devo pois preciso segurar a onda para poder segurar a barra sem trabalho durante esse tempo. Pra quem sempre trabalhou e sempre foi independente, isso não é fácil…

    Enfim… Penso muito nos “concursos escada”, porém fico com receio de desviar o foco, me atrasar e acabar demorando mais tempo pra passar… Meu foco hoje é a RFB e vejo poucos “concursos escada” em que poderia utilizar o conhecimento adquirido até aqui.

    Foi um desabafo! Rsrsrsr…

    Obrigada por escrever pra gente!

    Responder
  26. Felipe Stroka
    Felipe Stroka says:

    Prof. Alexandre!
    Os resumos pra quem tem apenas esse horário pra estudar, tornam-se um desperdício de tempo?
    E para os que tem mais de 6h para estudar, até que ponto vale a pena fazer resumos? E de que forma fazê-los!? Me vejo muitas vezes escrevendo os conceitos dentre cada conteúdo de uma matéria e me bate a dúvida se resumir é realmente a melhor forma de estudar, ainda que eu tenha em mente que “eu só aprendendo escrevendo”.
    Abraço!

    Responder
    • Kelly
      Kelly says:

      Felipe, se me permite um palpite, eu tb só aprendo escrevendo. Mas, para não escrever muito e para poupar tempo, tenho feito poucas anotações no próprio material e marcando os trechos que necessitam ser revisados. Percebo que está funcionando!

    • Pábulo
      Pábulo says:

      Felipe, se me permite, deixa eu expressar minha opinião também. Eu trabalho e estudo para concursos e tenho aprendido uma coisa: a limitação do tempo cria objetividade. Eu acreditava muito que a melhor forma de estudar e reter o conhecimento era sempre fazendo resumos, mapas mentais, tabelas comparativas e etc. Pensava que se não fizesse isso, jamais conseguiria aprender algo e acertar as questões na prova. Com o tempo você fica sufocado se tenta fazer tudo isso, porq você avança muito devagar. Então, deixei de lado essa crença e passei a ser mais objetivo (necessidade). Confesso que tinha medo de deixar de lado tudo isso que fazia porq achava que não ia aprender de outra forma. Assim, passei a fazer resumos só para aquilo que fosse muito difícil de memorizar, optei por pequenas marcações no material e vários pequenos desenhos que gosto de fazer (como se fosse no mapa mental, mas ao lado do texto), marcações. Demorou um pouco para digerir isso, mas agora estou tendo nas questões o mesmo resultado e no avanço da matérias mais resultado ainda. Outra coisa que costuma nos sufocar são as revisões. Abraço.

    • Alexandre Meirelles
      Alexandre Meirelles says:

      Felipe,
      uma resposta sobre resumos demandaria algumas páginas, mas para não o deixar sem resposta, vamos ao pcp de suas perguntas.
      Em qq situação, não é pra fazer resumo de tudo, e sim de poucas coisas, se for o caso.
      Como a Kelly mesmo respondeu, muitas vezes a simples marcação no material substitui os resumos. Não é uma forma ótima, mas quase sempre é suficiente.
      Abs

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *